Cruzeiro

AMISTOSOS DA SELEÇÃO

Novato na Seleção, Santos revela inspiração em ídolos de Atlético e Cruzeiro

Goleiro do Athletico-PR se espelha em jogadores que brilharam em Minas

postado em 08/10/2019 10:58 / atualizado em 08/10/2019 14:00

<i>(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)</i>
Aos 29 anos, Santos vive o melhor momento da sua carreira. O goleiro do Athletico Paranaense é destaque do time que recentemente conquistou o título da Copa do Brasil e foi pela primeira vez convocado para a Seleção Brasileira. Em Cingapura, onde se prepara para os amistosos contra Senegal, quinta-feira, e Nigéria, domingo, concedeu entrevista coletiva nesta terça e revelou inspiração em Taffarel, goleiro da Seleção na Copa de 1990, no título Mundial de 1994 e vice-campeão em 1998. O ex-arqueiro do Atlético é o atual treinador de goleiros da Seleção e acompanha de perto o trabalho de Santos.  

"O 'sai que é sua, Taffarel' é emblemático. Todo moleque já ouviu isso. Ele é referência para todos, exemplo para toda a molecada. Só cumprimentei, disse que já estava doido para trabalhar', afirmou Santos, que inicialmente será a terceira opção de Tite para o gol, atrás de Ederson e Weverton, mas que se destacou em treino de finalizações desta terça.

O principal ídolo de Santos na infância, porém, parece ser Dida, outro goleiro com passagem marcante pela Seleção e pelo Cruzeiro. Convocado para as Copas do Mundo de 1998, 2002 e 2006, Dida foi titular do Brasil na última delas.

"Era ele que eu costumava ser quando criança. Eu tenho ele como espelho, porque é um cara que tem uma carreira vitoriosa, um exemplo a ser seguido", acrescentou Santos.

Na Seleção, ele também reencontrou um antigo colega do Athletico-PR, Weverton. O hoje goleiro palmeirense foi o titular da meta da equipe curitibana entre 2013 e 2017, tendo Santos como seu reserva imediato e que depois o sucedeu na posição. E o goleiro destacou ser especial estar ao lado de Weverton, agora defendendo o Brasil.

"Eu conversei com o Weverton no dia da convocação. Ele me mandou mensagem parabenizando. Vai ser muito legal estar com ele, colhendo o que a gente plantou lá atrás", comentou.

Ídolos do futebol mineiro

Taffarel defendeu as cores do Atlético entre 1995 e 1998. No clube, conquistou os títulos do Campeonato Mineiro de 1995, da Copa Conmebol e da Copa Centenário BH, ambos em 1997. Disputou 191 jogos pelo clube mineiro, sofrendo 203 gols. Sua última partida pelo Galo foi a vitória por 2 a 0 sobre a Caldense, em 3 de maio de 1998, pelo Campeonato Mineiro.

Taffarel deixou o Atlético depois de disputar a Copa do Mundo de 98, quando o Brasil perdeu a final para a França, por 3 a 0. Ele foi para o Galatasaray, da Turquia. Na sequência, foi negociado para o Parma, da Itália, onde jogou por duas temporadas e encerrou a carreira em 2003.

Dida chegou ao Cruzeiro em 1994, aos 21 anos, após se destacar no time do Vitória, vice-campeão brasileiro no ano anterior. Com a camisa celeste, o guarda-metas disputou 304 partidas e conquistou a Copa do Brasil de 1996, a Copa Libertadores de 1997, além de quatro Campeonatos Mineiros.

Apesar de sua transferência do Cruzeiro para o Milan, em 1999, foi marcada por uma briga judicial, seus feitos em campo se sobrepuseram à questão tumultuada da ida para a Europa, e o goleiro é idolatrado pela torcida cruzeirense.

Tags: seleção braislerira santos futebol selefut futinternacional interiormg atleticomg cruzeiroec