Cruzeiro

Neymar arrasa Cruzeiro e é ovacionado pela torcida celeste no Independência

Torcedores ficaram inconformados com derrota por 4 a 0 e vaiaram Roth, Charles, Sandro Silva e Mateus; camisa 11 do Santos foi aplaudido no estádio do Horto

postado em 03/11/2012 20:56 / atualizado em 03/11/2012 23:02

(Foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)

Todo o planejamento por água abaixo em 10 minutos. Essa foi a realidade do Cruzeiro no duelo contra o Santos, no Independência. Com o discurso de parar Neymar, o técnico Celso Roth viu o santista desequilibrar partida e teve a cabeça, mais uma vez, pedida pelos torcedores. A ideia de Sandro Silva “colar” no camisa 11 só valeu na primeira vez em que ele pegou na bola. Depois disso, o craque do Peixe foi decisivo e causou a ira dos torcedores azuis.

Na primeira vez em que pisou no Independência, Neymar teve atuação de gala. Com três gols e uma assistência, o jogador foi aplaudido até pela torcida celeste. O atacante foi responsável pela maioria das jogadas de perigo do Santos e infernizou a defesa do Cruzeiro.

Com a derrota por 4 a 0, o Cruzeiro caiu para a 11ª posição do Nacional e trocou de lugar com o Santos, que está em nono. O clube ainda pode cair mais três posições no complemento da rodada. O próximo duelo do time celeste será contra o Bahia, novamente no Horto. O Peixe vai a Goiânia pegar o Atlético-GO.

Primeiro tempo

A posição mediana na tabela do Brasileiro poderia dar a impressão de que Cruzeiro e Santos fariam um jogo sem muitas pretensões, mas desde o começo da partida, as duas equipes demostravam muita disposição para dominar as ações. Com função especial de parar Neymar, o volante Sandro Silva cumpriu à risca a determinação de Roth nos primeiros minutos. Na primeira vez em que o camisa 11 apareceu no campo ofensivo, o volante celeste deu um carrinho lateral, desarmou o santista e arrancou aplausos do torcedor.

Até os 10 minutos, nenhum dos times chegou com real perigo à meta adversária. Porém, o time celeste deu mais espaços que o previsto para o camisa 11. Quando passou pelo seu marcador, Neymar arriscou de longe, mas sem ameaçar Fábio. Na segunda vez em que teve liberdade, o craque do Peixe mostrou que a preocupação excessiva em marcá-lo era justificada. Em jogada lateral de Arouca, o volante cruzou rasteiro e o avante santista finalizou de primeira, em bola que passou por baixo do goleiro Fábio: 1 a 0, gol de Neymar.

Quatro minutos depois, o Cruzeiro respondeu com Anselmo Ramon, de fora da área, mas Rafael espalmou. No contra-ataque, o Santos teve boa chance com Neymar, porém, ele escorregou na hora de finalizar.

A melhor oportunidade do Cruzeiro veio aos 22 minutos. Em jogada trabalhada desde o campo de defesa, Everton tocou para Montillo, que cruzou para Martinuccio, mas o atacante desperdiçou livre na linha da pequena área. Após escanteio desviado por Rafael Donato, o time azul teve outra chance clara, mas Anselmo Ramon cabeceou em cima de Rafael. De qualquer forma, o centroavante estava em posição de impedimento.

O Santos quase vez o segundo aos 30 minutos. Em troca de passes entre Felipe Anderson, Juan e Arouca, o volante santista entrou cara a cara com Fábio, mas o goleiro defendeu no canto, a finalização foi semelhante a de um pênalti. Dois minutos depois, Neymar recebeu sozinho, mas quis servir André e Mateus conseguiu cortar. A displicência do santista chamou atenção na jogada.

(Foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A Press.)

O atacante se redimiu da chance perdida aos 36 minutos. Depois de a bola passar por baixo dos pés de Mateus, em falha incrível do defensor, André recebeu e tocou para o camisa 11. Ele dominou e chutou por baixo das pernas de Leandro Guerreiro: 2 a 0.

Incumbido de marcar Neymar, o volante Sandro Silva dava espaços para o atacante e recebia vaias da torcida. Além dele, Charles e Mateus não eram poupados das críticas do torcedor. Perdido na criação, o Cruzeiro errava muitos passes e tinha dificuldades para chegar ao gol de Rafael.

Segundo tempo

O Cruzeiro voltou para o segundo tempo com uma alteração. O volante Sandro Silva, que não conseguiu cumprir a missão de parar Neymar, deu lugar para o atacante Fabinho. O primeiro lance de perigo celeste foi por meio de falta batida por Ceará. O lateral Galhardo desviou e quase fez gol contra.

A defesa azul voltou a falhar no início do segundo tempo e Neymar quase fez o terceiro. Após falha de Rafael Donato, o atacante ficou na frente de Fábio, mas o arqueiro jogou para escanteio. Quando não faz, o craque santista da assistência. Em jogada pela esquerda, Neymar passa por Mateus, entra na área, e rola para Felipe Anderson marcar: 3 a 0.

O terceiro gol foi a gota d´agua para os torcedores. Aos gritos de “timinho”, os cruzeirenses reclamavam da atuação celeste. O Cruzeiro assustou Rafael aos 14 minutos, mas Rafael defendeu. Na sequência, Martinuccio teve boa chance, mas a defesa tirou para a linha de fundo.

A última cartada de Roth, após sacar Sandro Silva e Donato, para as entradas de Fabinho e Willian Magrão, foi Wellington Paulista. O jogador entrou na vaga de Martinuccio, fato que não agradou o torcedor.

O Cruzeiro esteve perto de fazer o primeiro com Anselmo Ramon. Após brigar com a defesa, ele entrou pelo lado da área e acertou o travessão. Um minuto depois foi a vez de Wellington Paulista arriscar, mas a bola passou rente a trave. O argentino Montillo protagonizou lance semelhante, mas o chute também foi para fora.

O time celeste reclamou de um lance aos 29 minutos do segundo tempo. Após Anselmo Ramon completar cruzamento de WP9, o lateral Galhardo tirou a bola, mas os jogadores questionaram que ela tinha passado a linha. O árbitro olhou para o auxiliar e mandou seguir.

A tabela entre Felipe Anderson e Miralles mostrou toda a fragilidade do Cruzeiro. Os jogadores trocaram passes pelo alto na intermediária e o argentino entrou livre na área para tocar para Neymar. O atacante completou para as redes e sacramentou a goleada: 4 a 0.

CRUZEIRO 0 X 4 SANTOS

Cruzeiro: Fábio; Ceará, Mateus, Rafael Donato (Willian Magrão) e Everton; Leandro Guerreiro, Charles, Sandro Silva e Montillo, Martinuccio e Anselmo Ramon
Técnico: Celso Roth

Santos: Fábio; Ceará, Mateus, Rafael Donato e Everton; Leandro Guerreiro, Charles, Sandro Silva (Fabinho) e Montillo, Martinuccio (Wellington Paulista) e Anselmo Ramon
Técnico: Muricy Ramalho

Motivo: 34ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Independência
Data: 3 de novembro de 2012
Gols: Neymar, aos 11 minutos , Neymar, aos 36 minutos -(1º tempo) Felipe Anderson, aos oito minutos e Neymar, aos 35 minutos.
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha/RJ
Assistentes:Marrubson Melo Freitas/DF e Luiz Antonio Muniz de Oliveira/RJ
Cartão Amarelo: Rafael Donato, Ceará, Charles, Willian Magrão, Montillo (Cruzeiro)- André, Juan, Miralles (Santos)
Cartão vermelho:
Público: 16.331 pagantes
Renda: R$571.230,00