Cruzeiro

Mirando nova era, Cruzeiro 'volta para casa' e apresenta contrato com Mineirão

Clube celeste explorará estádio comercialmente em seus jogos, em troca de fidelização

postado em 14/11/2012 11:02 / atualizado em 14/11/2012 10:12

Gilmar Laignier/Superesportes
Em uma cerimônia no Mineirão, na manhã desta quarta-feira, o Cruzeiro oficializou o acordo para mandar 100% dos jogos no estádio pelos próximos 25 anos. O clube celeste explorará comercialmente o Gigante da Pampulha em seus jogos e terá ambientes específicos para seu torcedor.

O presidente Gilvan de Pinho Tavares não revelou os percentuais destinados ao Cruzeiro no lucro de suas partidas, apenas disse que o clube será o “dono” do estádio nos dias dos seus jogos.

“O contrato é muito grande e não dá para explicar tudo que existe no contrato, mas, nos dias dos jogos do Cruzeiro, o Cruzeiro será o dono do estádio, terá participação na arrecadação do estacionamento, participação na arrecadação de bares e lanchonetes e teremos aqui, como forma de mostrar que o espaço é nosso também, não só do estado, para o futuro, aquilo que sempre foi um sonho nosso e não tínhamos espaço adequado, que é o nosso memorial”, explicou Gilvan.

VEJA IMAGENS DE COMO SERÁ A NOVA CASA DO CRUZEIRO

“Pensando neste contrato, me veio à lembrança a figura de uma pessoa que foi importante na vida do Cruzeiro, que foi nosso presidente Felício Brandi, que foi visionário, quando falaram em construir o Mineirão, ele vinha para a Pampulha e ficava olhando a obra e, antes da inauguração, ele teve o discernimento de escolher inclusive a localização da torcida do Cruzeiro. E o o Cruzeiro daquele tempo era a terceira equipe de Minas Gerais em grandeza, em número de torcida. Aquela mudança do Independência para o Mineirão trouxe na ideia do Felício aquele pensamento de que ele poderia fazer do Cruzeiro um clube maior do que os outros dois rivais, e fez. Estamos voltando para nossa casa”, completou Gilvan.

Além do memorial, o Cruzeiro terá um bar temático e uma loja oficial no Mineirão. Os locais dos espaços celestes na nova arena não foram revelados, mas o Superesportes apurou que o bar deverá ser situado no tradicional setor da torcida cruzeirense, próximo aos antigos portões 3 e 6. No novo mapa do estádio, este setor deverá ser chamado de “setor sul”. O museu do clube deverá ser construído no espaço do antigo estacionamento das cadeiras cativas, próximo ao hall principal. A loja oficial deverá ser na esplanada do estádio.

O Atlético também conversa com a administradora para mandar alguns de seus jogos no Mineirão. Os mesmos benefícios serão oferecidos ao Galo, porém o acordo com o Alvinegro deverá ser assinado em outros moldes, pois o Atlético mandará seus jogos prioritariamente no estádio Independência, com quem tem um contrato de uso comercial. Para sair do Horto, o Galo precisa pagar uma multa à BWA, a não ser que haja comum acordo.

“Nos jogos do Cruzeiro, em troca da fidelização por 25 anos, nós acertamos ajustes de receitas para os jogos do clube. Não há restrições para outros clubes. Esperamos fechar outros tipos de acordo com o América e o Atlético também”, ratificou o presidente da Minas Arena, Ricardo Barra.