Cruzeiro

CRUZEIRO

Tríplice Coroa do Cruzeiro completa 13 anos

Em 30/11/2003, Cruzeiro foi campeão brasileiro e fechou ano com três títulos

postado em 30/11/2016 23:30 / atualizado em 30/11/2016 22:25

Emmanuel Pinheiro/EM/D.A Press

Há exatos 13 anos, o Cruzeiro encerrava a melhor temporada de sua história com a conquista do Campeonato Brasileiro. O lugar ao topo na primeira edição do torneio por pontos corridos coroou um ano mágico, em que o clube celeste ganhou todas as competições nacionais que disputou. A vitória por 2 a 1 sobre o Paysandu no dia 30 de novembro, num Mineirão com mais de 73 mil torcedores, deu à equipe celeste o primeiro título da Série A – posteriormente, em 2010, a Confederação Brasileira de Futebol unificou os campeonatos e considerou a Taça Brasil de 1966 como Primeira Divisão do Brasileiro.

Nesta quarta-feira, integrantes do grupo praticamente imbatível relembraram o feito que jamais foi alcançado por outra equipe no país. Astro da equipe, o meia Alex relatou o "conto de fadas" vivido pelo clube. “Se você não acredita em duendes e fadas, ou você não vivia em 2003 ou não era cruzeirense. Foi um ano espetacular em todos os sentidos. Desde o primeiro dia de pré-temporada, quando fomos para Araxá, as coisas funcionaram de uma maneira espetacular. Vencemos o Mineiro passeando, ganhamos a Copa do Brasil e já tínhamos a cereja, faltava aumentar o bolo, que era o Campeonato Brasileiro. Foram momentos mágicos. Em um conceito geral, para nós e para o torcedor, o ano acaba no jogo do Paysandu, mas ainda tivemos um tempinho para podermos nos divertir, que foram os jogos contra Fluminense e Bahia. Foi magia pura, um ano que vamos lembrar para sempre, cada segundo, cada momento, porque aquilo não acontece a toda hora”, disse o camisa 10 do time à época, em entrevista ao site oficial do Cruzeiro.

Paulo Filgueiras/EM/D.A Press
Hoje comentarista do canal de televisão ESPN, o ex-armador lamentou que uma data alegre para a torcida celeste tenha coincidido com o acidente do avião da Chapecoense que matou 71 pessoas na Colômbia, entre jogadores, dirigentes, jornalistas e tripulantes. O craque, porém, disse que seria impossível deixar de enviar mensagem de recordação aos cruzeirenses.

“Quero dar um grande abraço na torcida cruzeirense, em um momento delicado no Brasil devido ao acidente que, infelizmente, a Chapecoense sofreu. Mas, não posso deixar de lembrar e de agradecer ao Cruzeiro e ao cruzeirense pela oportunidade que me deram de poder participar um pouco desta rica história que tem o Clube. É uma data impossível de se esquecer”, frisou Alex.

Também em declaração ao site do Cruzeiro, o goleiro Gomes, 35, ainda em atividade pelo Watford da Inglaterra, destacou a projeção alcançada na carreira ao ser o camisa 1 do grupo comandado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo.

“Em menos de dois anos como titular do Cruzeiro, um cara lá do interior de Minas, ganhar a Tríplice Coroa... Eu sempre tinha um sonho de ser jogador de futebol. Começar a carreira sendo campeão pelo seu time do coração é uma grande honra. Não podia pedir mais a Deus do que aconteceu na minha carreira. Fiquei muito feliz por ter participado daquele time. Os jogadores abraçaram a causa e caminhamos juntos até a grande conquista do ano que foi o Campeonato Brasileiro. Somos muito orgulhosos de termos feito parte de uma equipe tão vitoriosa”.

O Cruzeiro ganhou o Campeonato Mineiro de 2003 de maneira invicta. Em 12 jogos, venceu 10 e empatou dois. O título da Copa do Brasil também foi alcançado sem uma derrota sequer: oito vitórias e três empates. Já no Brasileiro, a Raposa obteve 72,46% de aproveitamento, com 100 pontos somados em 138 disputados (31 vitórias, sete empates e oito derrotas).

FICHA TÉCNICA DE CRUZEIRO 2X1 PAYSANDU


CRUZEIRO: Gomes; Maurinho, Cris, Edu Dracena e Leandro; Augusto Recife (Felipe Melo), Maldonado, Wendel (Sandro) e Zinho; Márcio Nobre e Aristizábal (Mota)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

PAYSANDU: Carlos Germano; Lecheva, Lima, Jorginho e Souza; Vanderson, Sandro, Vélber (Junior Amorim) e Magnum; Aldrovani e Jóbson (Alexandre Pinho)
Técnico: Ivo Wortmann

  • Gols: Zinho, aos 7min do 1ºT, e Mota, aos 29min do 2ºT (CRU); Aldrovani, aos 47min do 2ºT (PAY)
  • Cartão amarelo: Sandro (PAY)
  • Motivo: 44ª rodada do Brasileiro
  • Local: Mineirão
  • Data: 30/11/2003
  • Árbitro: Heber Roberto Lopes
  • Pagantes: 73.141
  • Renda: R$ 827.201,00

 

Principais artilheiros do time na temporada:

 

  • Alex - 39 gols
  • Deivid - 28 gols
  • Aristizábal - 28 gols
  • Mota - 25 gols
  • Márcio Nobre, Thiago Gosling e Edu Dracena - 6 gols cada