Cruzeiro

CRUZEIRO

Volta de Thiago Neves e espaço para Pedro Rocha: Cruzeiro ganha reforços em semana decisiva no Mineiro

Time celeste está a um empate de ser campeão estadual pela 38ª vez

postado em 16/04/2019 07:00 / atualizado em 16/04/2019 20:37

<i>(Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro)</i>
A um empate de ser campeão estadual pela 38ª vez, o Cruzeiro ganhou reforços importantes para o seu setor ofensivo visando ao jogo contra o Atlético, às 16h30 de sábado, no Independência, pela partida de volta da final do Campeonato Mineiro. O meia Thiago Neves, recuperado de lesão na panturrilha direita, e o atacante Pedro Rocha, que participou dos minutos finais da vitória de domingo por 2 a 1, pelo jogo de ida, terão semana cheia de treinamento e estão nos planos do técnico Mano Menezes.

Thiago Neves vinha sofrendo com a enfermidade na perna direita desde a pré-temporada. Por causa disso, não conseguiu completar uma partida sequer em 2019, somando apenas 217 minutos em campo. A única participação do camisa 10 em um gol da equipe foi no empate por 2 a 2 com o Boa, em Varginha, no dia 31 de janeiro, pela quarta rodada da primeira fase. Na ocasião, ele deu passe de cabeça para Fred marcar o segundo gol cruzeirense, aos 18 minutos do segundo tempo.

A comissão técnica cruzeirense acredita que Thiago Neves, em sua melhor forma, tem condições de ser decisivo como foi nos dois últimos anos, quando jogou 112 vezes, somou 32 gols (17 em 2017, e 15 em 2018), deu 16 assistências e conquistou três títulos: dois da Copa do Brasil e um do Mineiro. Ainda que não seja titular no clássico, o meia pode surgir como alternativa a Rodriguinho, bem marcado pelos volantes do Atlético nos primeiros 90 minutos da final.

“Finalmente temos essa possibilidade. Trabalhamos para tê-la quando o Thiago pudesse entregar o melhor. É um jogador experiente, decisivo, uma parte do jogo certamente ele estará em campo”, projetou Mano Menezes, que deve utilizar Neves e Rodriguinho juntos em outras oportunidades da temporada.

Pedro Rocha, por sua vez, sentiu o gosto de jogar parte do segundo tempo no Mineirão. Ele entrou no lugar de Rodriguinho, aos 23 minutos, e teve tempo de fazer algumas tabelas com o lateral-esquerdo Egídio. “Foi muito gratificante para mim quando o Mano Menezes me chamou. Estrear em um clássico com vitória, com o estádio lotado e na presença da minha família foi maravilhoso”, disse o atacante.

Emprestado pelo Spartak Moscou, da Rússia, até dezembro, Rocha poderá ter oportunidade no Independência, uma vez que Rafinha, espécie de “12º titular” de Mano, foi expulso no Mineirão após cometer duas faltas consecutivas para cartão amarelo. “Não fará diferença para a gente. O Cruzeiro é gigante, qualquer lugar que for para jogar, entraremos para fazer o nosso melhor”, afirmou o jogador, a respeito da decisão do Atlético de mandar o clássico no Horto.

Outra opção aos titulares Robinho e Marquinhos Gabriel para as pontas é David, que marcou três gols e deu duas assistências em 2019, porém sofreu lesões na coxa esquerda e, desta forma, participou somente de sete dos 19 jogos do time.

Retrospecto

Para levar o Cruzeiro bicampeonato consecutivo do Campeonato Mineiro, Mano Menezes terá de ao menos arrancar um empate no Independência. Em cinco jogos sob o comando do treinador no estádio, o retrospecto é desfavorável: uma vitória e quatro derrotas. O único triunfo aconteceu há pouco mais de um ano, pela 11ª rodada da primeira fase do Estadual: 1 a 0, gol do atacante Raniel, aos 3min do segundo tempo.

Em contrapartida, o Cruzeiro não perde mata-matas para equipes brasileiras há quase dois anos. São 14 vitórias consecutivas: cinco pelo Campeonato Mineiro, oito pela Copa do Brasil e uma na Copa Libertadores. O último time a ter superado a Raposa em duelos eliminatórios foi justamente o Atlético, na final do Mineiro de 2017. Segundo Mano Menezes, o resultado construído pelo time celeste no Mineirão modificará as estratégias das duas equipes no duelo no Independência.

“Demos um primeiro passo em direção à conquista do título. A vitória nos deixa contente, podemos trabalhar uma semana já com base nessa realidade objetiva, com as escolhas do adversário, com postura do adversário, que precisa atacar o Cruzeiro no segundo jogo. Essa reversão da vantagem muda as características do confronto, a maneira como o jogo pode ser jogado. Vamos nos preparar para fazer um jogo melhor do que fizemos aqui para tentar confirmar essa condição”.

Tags: interiormg mineiro decisão final cruzeiro