Cruzeiro

CRUZEIRO

Repórteres na cobertura da Seleção Uruguaia comentam polêmica saída de Arrascaeta do Cruzeiro

Armador vai voltar ao Mineirão neste domingo, em jogo da Copa América

postado em 14/06/2019 06:00 / atualizado em 14/06/2019 01:45

<i>(Foto: Humberto Martins/EM/D. A. Press)</i>

O confronto da Seleção Uruguaia contra o Equador, neste domingo, às 19h, no Mineirão, trouxe um grande números de repórteres a Belo Horizonte para a cobertura da Copa América. O Superesportes conversou com alguns jornalistas sobre a polêmica transferência de Arrascaeta do Cruzeiro para o Flamengo, no início desta temporada.

Arrascaeta deixou o clube em janeiro de forma controversa por ter se recusado a iniciar a pré-temporada na Toca da Raposa II e ter forçado a transferência para a equipe carioca. No fim, acabou vendido por cerca de R$ 55 milhões.

A novela envolvendo Cruzeiro, Flamengo e Arrascaeta teve início no dia 3 de janeiro. O agente do meia-atacante, Daniel Fonseca, apresentou a primeira proposta dos cariocas, recusada pela Raposa. Sem acordo, o jogador foi orientado por seu empresário a não se reapresentar para os treinos. O imbróglio ficou ainda maior com troca de acusações e xingamentos entre dirigentes do clube mineiro e representantes do camisa 10.

O que disseram os jornalistas

 
Sebástian Amaya, El Observador

“No Uruguai, vimos como um progresso por tudo que significa o Flamengo, por todo o investimento que o Flamengo fez nele, foi uma das compras mais caras do Brasil. Para ele, foi um salto de qualidade, embora tenha saído manchado com a torcida do Cruzeiro. Mas são decisões pouco compreensíveis para os torcedores”.

Guillermo Lorenzotti, Rádio Oriental de Montevidéu

“O que mais chamou a atenção foi o montante que pagaram nele, ainda mais no país dos camisas 10, como o Brasil. É a transferência mais cara do Brasil no mercado nacional, sendo um uruguaio. Foi o que mais se comentou. A polêmica que ocorreu foi secundário, embora tenha entristecido os cruzeirenses”.

Javier de León, Cadena Celeste

“Soubemos que foi o conflito de alguns dias, que ele acabou não treinando. Pegou mal que possivelmente algum dirigente do Cruzeiro tenha divulgado o telefone dele. Quando precisou falar com ele, não conseguiram porque ele teve que bloqueá-lo porque os torcedores mandaram muitas mensagens. Mas para um povoado muito pequeno, de 2.500 habitantes, como Nuevo Berlín, ter um jogador da Seleção, que participe de uma Copa do Mundo e que vai ao Flamengo, uma instituição com milhões de torcedores, é um orgulho imenso”.

Diego Muñoz, ESPN Uruguai

“Foi uma coisa natural. No Uruguai vemos como um passo positivo para Arrascaeta. Profissionalmente, passar para o Flamengo é como subir um nível. É  um jogador que tem muitas oportunidades, na Seleção vem jogando e jogando com nível. Por isso, foi bom passar para o Flamengo”.

Tags: cruzeiroec flamengorj copaamerica copa arrascaeta