Cruzeiro

CRUZEIRO

Mano diz que colocou cargo à disposição no Cruzeiro, mas mantém confiança no trabalho

Diretoria, por ora, vai seguir com o treinador para a sequência do ano

postado em 04/08/2019 22:45 / atualizado em 04/08/2019 23:23

<i>(Foto: Ramon  Lisboa / EM DA PRESS)</i>

Após a derrota para o Atlético por 2 a 0, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, o técnico Mano Menezes revelou que conversou com a direção do Cruzeiro. Ele disse que deixou a cúpula do futebol à vontade para demiti-lo, se esse fosse o entendimento dos dirigentes. O presidente Wagner Pires de Sá estava presente. Por ora, o treinador segue no cargo.



Apesar dos resultados ruins, Mano disse que tem confiança para continuar no clube. O Cruzeiro não vence no Campeonato Brasileiro desde o dia 5 de maio: 2 a 1 sobre o Goiás. Desde então, são dez jogos sem vitórias: quatro empates e seis derrotas.

“Eu sempre trabalho com transparência, antes de vir aqui fiz uma reunião lá dentro do vestiário e deixei as pessoas da direção muito à vontade se elas quisessem tomar uma atitude que não fosse pela continuidade do trabalho. Comigo não tem constrangimento. Eu sei do momento que estamos passamos e como está grande para o Cruzeiro e para a realidade do treinador brasileiro. Não quero ser eu o empecilho para a recuperação do Cruzeiro. Então, eu deixei claro antes de vir aqui. A direção colocou a confiança no trabalho do treinador. Eu tenho confiança que posso fazer a recuperação juntamente com os jogadores”, disse Mano Menezes.
 
Mano admitiu preocupação com o momento vivido pelo Cruzeiro. O clube está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, em 17º lugar, com 10 pontos. Em 13 jogos, foram duas vitórias, quatro empates e sete derrotas. Para piorar, o clube celeste não consegue balançar as redes. Já são sete jogos consecutivos sem marcar um gol, pior marca da história do clube.



“Nós temos escolhido algumas coisas diferentes, até fui criticado por isso pela linha que escolhi em Libertadores e nos mata-mata, em função destas dificuldades. Tem sido muito custoso fazer um gol, e quando é muito custoso você não pode sofrer, porque não consegue reverter ou empatar. Então, é preocupante mesmo, junto com os torcedores nós estamos preocupados. Temos uma vitória importante aqui, uma vitória isolada lá que nos colocou na semifinal da Copa do Brasil, mas tem sido coisas esporádicas dentro de alterações significativas, como fiz no primeiro clássico, talvez a surpresa tenha produzido 3 a 0, mas não conseguimos manter isso no jogo seguinte, embora ache que os dois jogos contra o River foram parelhos e está dentro do contexto. Mas as dificuldades que tivemos no Brasileiro é muito dentro do inicio ruim que tivemos”, disse.

Mano acredita que pode reverter o cenário atual do Cruzeiro. “Penso que podemos recuperar. Acredito nisso. Estarei ao lado do clube para fazer esta recuperação, a menos que o clube entenda que não deva ser eu. Mas tenho capacidade para fazer isso, da mesma maneira que fiz das outras vezes. E conheço estes jogadores a ponto de saber o que deve ser cobrado nesta hora e a maneira. E vai ser assim, lá onde a gente tem que cobrar as coisas, olho no olho”, acrescentou.


O jogo


Mano disse que o Cruzeiro mudou a forma de jogar em relação ao último clássico no Independência – derrota celeste por 2 a 0, pela Copa do Brasil. Desta vez, o time teve mais posse de bola, mas não conseguiu transformar esta superioridade em gol. O treinador afirmou que o caminho, agora, é trabalhar. Abrangente na resposta, ele não deu detalhes de que forma vai mexer no time para o jogo decisivo contra o Internacional, nesta quarta-feira, às 21h30, no Mineirão, pela ida da semifinal da Copa do Brasil.  

“Hoje, o Cruzeiro fez um clássico em números diferente, fez 62% de posse de bola contra 38%, em termos de conclusão muito parelho com o Atlético, mas voltou a pecar no fundamento maior que a gente tem pecado, a gente não está conseguindo fazer gol com qualquer formação. O time que teve essa posse poderia ter concluído mais, poderia ter criado mais chances de gol pela qualidade que temos, mas não estamos conseguindo fazer, então temos que trabalhar. Não tem outro caminho.  É reunir o que temos, fazer jogo a jogo para sair desta situação em que estamos no Campeonato Brasileiro, e é com isso que desde amanhã já concentrados vamos trabalhar e conversar com os jogadores para encontrar este caminho”, afirmou.

Tags: cruzeiroec trabalho confiança demissão