Cruzeiro

CRUZEIRO

Dedé dá versão sobre saída de Ceni do Cruzeiro, diz ter cobrado Thiago Neves e rebate acusações: 'Não sou mau-caráter'

Emocionado, zagueiro pediu espaço para se pronunciar após saída de técnico

postado em 27/09/2019 17:30 / atualizado em 27/09/2019 21:41

<i>(Foto: Paulo Galvão/EM D.A Press)</i>
Depois de receber enxurrada de críticas nas redes sociais e acusações de conspirar contra Rogério Ceni, o zagueiro Dedé pediu um espaço para se pronunciar sobre a demissão do técnico. Em resposta de mais de 10 minutos nesta sexta-feira, na Toca da Raposa II, o camisa 26 se mostrou bastante emocionado, deu sua versão sobre o ocorrido no vestiário do Castelão após o empate por 0 a 0 entre Cruzeiro e Ceará e garantiu que seu objetivo foi sempre ajudar o clube.


“Depois do jogo contra o Ceará, fui tocado no coração, e, com toda a simplicidade, pedi a voz no vestiário. Cheguei no Rogério e, em momento algum, cobrei ou critiquei. Jamais fiz isso, todo mundo que estava lá sabe, o próprio Rogério pode falar. Simplesmente pedi para o Rogério, em forma de pergunta, que nosso grupo precisaria de todos. E, naquele momento difícil para a gente, falei que Thiago Neves, Sassá e Edilson, que são jogadores importantes para a gente, não fossem deixados de lado”.

Dedé revelou que, na reunião com os atletas, cobrou de Thiago Neves mais profissionalismo e respeito às convicções do treinador. Nesse momento, contou o jogador, Ceni virou as costas, saiu do vestiário e se dirigiu ao ônibus que levaria a delegação cruzeirense para o hotel.


“Da mesma forma que falei isso para o Rogério, cheguei à frente do Thiago e falei: ‘Thiago, a gente precisa de um pouco mais de profissionalismo seu. Que você se dedique um pouco mais para a gente, não precisa ser amigo do Rogério’. Nisso, quando eu estava falando com o Thiago, o Rogério saiu. Cara, por mais que tenha virado as costas para mim, nunca tive nada contra ele, sempre me dediquei ao máximo”.


O zagueiro afirmou que esperava ao menos uma manifestação de Rogério. “Acho que ele poderia me dar uma resposta falando: ‘poxa, Dedé, te entendo. Dedé, não vou fazer isso, quero de outra forma’. Eu respeitaria a opinião dele, mas nem essa resposta tivemos. Foi um momento em que nosso grupo sentiu. A minha intenção, da mesma forma que estou falando para vocês, falei no vestiário”.





No fim do pronunciamento, Dedé lamentou o fato de até mesmo sua família receber xingamentos nas postagens. “Estão atacando minha esposa, post da minha esposa com minha filha recém-nascida, isso mexe muito comigo. Esse pronunciamento eu pedi em forma de defesa, minha preocupação é sim com o torcedor do Cruzeiro, porque eu tenho muito orgulho do que faço e um carinho muito grande do torcedor”.

Leia, na íntegra, o pronunciamento feito por Dedé nesta sexta-feira:

“Desde quando cheguei aqui, mostrei um carinho enorme pelo torcedor, por ter me recebido de uma forma diferente. Desde quando me machuquei, mostrei uma forma de gratidão aos torcedores, e isso vai ficar eternizado para mim, por mais que muitos tenham colocado na cabeça um Dedé, por causa de um detalhe, diferente. Então, por isso pedi esse pronunciamento para explicar o que de fato aconteceu. 

Não sei a fonte, mas eu vi, já logo em seguida, o que o Samuel Venâncio (repórter da Rádio Itatiaia) postou. De fato foi aquilo que aconteceu. Eu, para ajudar até o Rogério Ceni com a situação real que estamos vivendo, e principalmente pensando no clube. Da mesma forma, cheguei em uma entrevista para o Artur (Moraes, da Rádio Super), na qual falei do David, que precisávamos dele, um jogador muito importante, com características diferentes de muitos aqui no futebol brasileiro. É um cara forte, alto, rápido, habilidoso, ambidestro. 

Eu, depois do jogo contra o Ceará, fui tocado no coração, e, com toda a simplicidade, pedi a voz no vestiário. Cheguei no Rogério e, em momento algum, cobrei ou critiquei. Jamais fiz isso, todo mundo que estava lá sabe, o próprio Rogério pode falar. Simplesmente pedi para o Rogério, em forma de pergunta, que nosso grupo precisaria de todos. E, naquele momento difícil para a gente, falei que Thiago Neves, Sassá e Edilson, que são jogadores importantes para a gente, não fossem deixados de lado. 

São jogadores decisivos, tiveram participações decisivas na história do clube. Os quatro não precisavam ser amigos, mas, em prol do Cruzeiro, que respeitassem um ao outro pelo pedido de treinador para jogador. Da mesma forma que falei isso para o Rogério, cheguei à frente do Thiago e falei: ‘Thiago, a gente precisa de um pouco mais de profissionalismo seu. Que você se dedique um pouco mais para a gente, não precisa ser amigo do Rogério’. 

Nisso, quando eu estava falando com o Thiago, o Rogério saiu. Cara, por mais que tenha virado as costas para mim, nunca tive nada contra ele, sempre me dediquei ao máximo. Nesse momento em que eu estava machucado, fiz de tudo para voltar. Não quero me fazer de vítima, mas foi o que aconteceu. Fiz pensando 100% no Cruzeiro, porque a gente precisa de todo mundo, assim como falo que a gente precisa do torcedor. 

Não pedi para colocar Thiago, como está saindo. Ao contrário, cobrei do Thiago profissionalismo para que ele pudesse render para a gente. Cobrei ele na frente do grupo, mas cobro ele nos bastidores. Thiago balançou a cabeça concordando, aí foi o momento que o Rogério saiu. Acho que ele poderia me dar uma resposta falando: ‘poxa, Dedé, te entendo. Dedé, não vou fazer isso, quero de outra forma’. Eu respeitaria a opinião dele, mas nem essa resposta tivemos. Foi um momento em que nosso grupo sentiu. 

A minha intenção, da mesma forma que estou falando para vocês, falei no vestiário. Está aqui o Bruno (Faleiro, gerente de comunicação), e todos os outros atletas e diretoria, todo mundo. Nunca tentaria atrapalhar a vida de qualquer pessoa, todos sabem do meu caráter, da minha forma de trabalhar, da minha dedicação em campo e do meu jeito de ser. Os torcedores podem até achar que estou inventando e fazendo média, mas estou aqui há quase 7 anos e nunca fiz média para nenhum torcedor. Nunca fui marqueteiro e nem botei pilha errada na torcida adversária para me julgar como estão me julgando. 

Estão atacando minha esposa, post da minha esposa com minha filha recém-nascida, isso mexe muito comigo. Esse pronunciamento eu pedi em forma de defesa, minha preocupação é sim com o torcedor do Cruzeiro, porque eu tenho muito orgulho do que faço e um carinho muito grande do torcedor. O torcedor está acreditando muito no que falam. Vi um post no Globoesporte.com, não sei o nome do rapaz, mas vi lá. O rapaz nem sabe o que aconteceu e colocou que Thiago e eu derrubamos o Rogério. Jamais. 

O Thiago está trabalhando do jeito dele, pode ter o seu jeito, não ter gostado de algumas substituições, mas isso é problema do Thiago, eu não tenho nada a ver com isso. Nenhum deles, garanto a vocês, fez esqueminha para derrubar treinador, em momento algum teve. Nunca teve grupinho de jogador, vocês podem perguntar a cada menino da base a forma como trato eles. Eu, Dedé, nunca reclamei. 

Se fosse para eu ficar no banco, ficaria. Já fiquei, e tentei ajudar da melhor forma possível. Fiquei orgulhoso, pois quem estava como titular era o Murilo, um menino da base, por tudo que fez. Respeitei, pois aprendi com meus pais e minha família a respeitar o próximo. São esses caras que querem o mal do Cruzeiro que vão manchar minha imagem e minha história com a falsa acusação. 

Não puxando o saco, mas, de fato, o Samuel Venâncio - não sei a fonte dele - foi uma das únicas fontes verdadeiras. Meu jeito de ser foi a forma que estou falando. Fiquei chateado com a forma como estão me tratando, pois estão atacando minha família. Mas foi o que queria pronunciar. Fico até emocionado, porque falar de caráter é um peso grande para uma pessoa. Se uma pessoa me chamar de mau-caráter, não sei o que vou apurar. Vou a fundo saber tudo que eu fiz para saber porque uma pessoa me chamou de mau-caráter. Por isso estou aqui tendo esse momento de defesa, pois nada do que estão falando é verdade”.

Tags: Rogério Ceni Thiago Neves futnacional interiormg seriea dedé cruzeiro