Cruzeiro
1

CRUZEIRO

Em áudio vazado, Itair Machado ataca opositores, Perrella, tenta justificar altos salários no Cruzeiro e se isenta de culpa por crise

Clube celeste acabou rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro

postado em 11/12/2019 18:30 / atualizado em 11/12/2019 19:52

(Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro)
Em áudio que circula em grupos de Whatsapp, o ex-vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, voltou a se defender de críticas. Um dos principais responsáveis pelo rebaixamento da equipe à Série B do Campeonato Brasileiro, ele responde a uma pessoa de nome Hanclef, confirma que está de férias em Portugal e aponta que todas as denúncias envolvendo seu nome - ele é investigado por suspeitas de falsificação de documentos, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro - são ‘fake news’. 

“Estou em viagem. Estou em Portugal. Estavam espalhando que estou nos Estados Unidos, mas essa viagem minha estava marcada desde julho. Foi marcada para quando o campeonato se encerrasse. Infelizmente, terminou da maneira que foi, sem a minha presença, porque tinha saído há mais de dois meses. É o que você falou aí, a força para desmentir uma denúncia negativa é muito pequena. A torcida do Cruzeiro nas redes sociais se deixa levar pelo fake news”, disse.

 

Ataques a Bruno Vicintin

No mesmo áudio (veja a transcrição na íntegra ao fim desta reportagem), Itair ainda critica um ex-dirigente que, segundo ele, “tem uma mílicia digital muito forte em rede social”. Ele não cita o nome do profissional por “questão de processo”. Na Justiça, o ex-vice de futebol responde por calúnia e difamação contra seu antecessor, Bruno Vicintin

“Tem um ex-dirigente do Cruzeiro, que por questão de processo não vou citar o nome, tem uma milícia muito forte na rede social. Ele tem muito dinheiro e banca muita gente mensalmente só para bater. Então, assim, eu não preocupei com isso, porque você vai ver quando encerrar o processo da Polícia Civil”, garante.

Procurado, Bruno Vicintin questionou o trabalho realizado pelo ex-vice de futebol. "Eu não sei se o senhor Itair Machado está foragido em Portugal ou na Disney, como está na internet. Eu não faço ideia. Mas, se ele realmente acredita que está sendo cobrado por milícias digitais financiadas por mim e não pela torcida, graças ao trabalho ridícilo que jogou um gigante de 98 anos na Segunda Divisão, ele realmente está vivendo em um mundo das fantasias", disse. 

Ataques a Sérgio Santos Rodrigues

Também sem citar nomes, Itair garante que o “ex-candidato” foi o responsável por vazar toda documentação que gerou a reportagem do Fantástico, da TV Globo, exibida em maio. O conteúdo jornalístico revelou que dirigentes do Cruzeiro eram investigados pela Polícia Civil por atos suspeitos na gestão do clube.

“Aquilo ali, o repórter quis crescer às custas do Cruzeiro. Quem entregou tudo para ele foi o ex-candidato, que também não vou falar o nome, porque dá processo. Ele também tinha acesso a documentos do Cruzeiro, nada ali foi ilegal”, disse. 

Procurado, Sérgio Rodrigues rebateu Itair Machado. "Seria cômico se não fosse trágico. Só tenho a dizer que saí de qualquer cargo no Cruzeiro em março de 2017. Depois nunca mais pisei lá. Então como que eu tinha documentos do clube relativos ao ano de 2018? Ou contratos de 2019? Não faz sentido porque, além de nem pisar na sede, nem amigos mais eu tinha lá considerando que eles mudaram boa parte dos funcionários. O financeiro, inclusive, está lá até hoje. Então é impossível atribuir isso a mim", rebateu. 

Altos salários e proposta

No áudio, Itair também revela salários de profissionais do departamento de futebol. Ele garante que o valor dos vencimentos de dirigentes é “normal”. “Gerente do Cruzeiro (Marcone Barbosa) ganha R$ 35 mil. Diretor de futebol (Marcelo Djian) ganha R$ 100 mil. E eu não minto, o presidente falou na internet, eu ganhava R$ 180 mil. Só que eu tive proposta para ganhar R$ 300 mil e não fui”, assegurou. 

“Mentiras” de Zezé e contratos milionários

Ainda de acordo com Itair Machado, o novo gestor do futebol do Cruzeiro, Zezé Perrella, tem “mentido” sobre os salários de jogadores.

Hoje, jogador top de linha, ganha R$ 600 a R$ 700 mil. E no Cruzeiro só há três que ganham isso. O restante é de R$ 500 mil para baixo. O Zezé tem mentido aí, ou é falta de conhecimento dele. A folha do Cruzeiro hoje é de R$ 9 milhões, sem imposto. O Cruzeiro paga R$ 1 milhão para jogadores que estão emprestados. O Mano não quis, e a gente teve que emprestar”, disse.

Citado por Itair Machado, Zezé Perrella foi procurado, mas não respondeu as mensagens até a última atualização desta reportagem. 

Leia, na íntgra, a transcrição do áudio de Itair Machado:

“Estou em viagem. Estou em Portugal. Estavam espalhando que estou nos Estados Unidos, mas essa viagem minha estava marcada desde julho. Foi marcada para quando o campeonato se encerrasse. Infelizmente, terminou da maneira que foi, sem a minha presença, porque tinha saído há mais de dois meses.

É o que você falou aí, a força para desmentir uma denúncia negativa é muito pequena. A torcida do Cruzeiro nas redes sociais se deixa levar pelo fake news. Tem um ex-dirigente do Cruzeiro, que por questão de processo não vou citar o nome, tem uma milícia muito forte na rede social. Ele tem muito dinheiro e banca muita gente mensalmente só para bater.

Então, assim, eu não preocupei com isso, porque você vai ver quando encerrar o processo da Polícia Civil. Graças a Deus, eu fui engraxate, catador de papelão, ferro velho, e sempre tive uma vida boa mesmo nessa época aí. O que eu fiz pelo Cruzeiro foi ganhar título. Eu, graças a Deus, tenho uma estabilidade hoje que não precisava de salário no Cruzeiro. Mas o salário do Cruzeiro, hoje, para você ter uma ideia, o meu estava atrás de cinco dirigentes no mercado. E modéstia à parte, eu pegar um clube quebrado como peguei, eu procurava dinheiro para o futebol, tentaram me envolver em erros administrativos que não fui eu.

Eu não sabia que tinha diretor ganhando R$ 125 mil por mês. Eu falei com o presidente que foi um grande erro, vários salários altos, e lá no futebol não tem salário fora do mercado não. O Cruzeiro é gigante, tem que ter time para peitar todo mundo. Até o momento da Libertadores, em que terminamos em primeiro, a mídia só falava em Cruzeiro. Depois é que vinha o Palmeiras e o Flamengo. Aí veio essa matéria do Fantástico. A matéria, se você tem algum amigo advogado, pega ela na internet e manda ele olhar se tem alguma ilegalidade ali. Aquilo ali, o repórter quis crescer às custas do Cruzeiro. Quem entregou tudo para ele foi o ex-candidato, que também não vou falar o nome, porque dá processo. Ele também tinha acesso a documentos do Cruzeiro, nada ali foi ilegal. 

A administração do Wagner errou muito em salários para diretores que não eram do futebol. Salário para quem era do futebol é isso mesmo. Gerente do Cruzeiro ganha R$ 35 mil. Diretor de futebol ganha R$ 100 mil. E eu não minto, o presidente falou na internet, eu ganhava R$ 180 mil. Só que eu tive proposta para ganhar R$ 300 mil e não fui. Dei minha vida ao Cruzeiro, e a torcida de rede social desgastou meu nome. Pode ter certeza de que eu tinha o projeto para salvar o Cruzeiro dessa dívida. Só que você não encerra dívida como coitadinho, e sim como time. Expliquei como funciona a arrecadação hoje: sem time, não tem dinheiro. Hoje, jogador top de linha, ganha R$ 600 a R$ 700 mil. E no Cruzeiro só há três que ganham isso. O restante é de R$ 500 mil para baixo.

O Zezé tem mentido aí, ou é falta de conhecimento dele. A folha do Cruzeiro hoje é de R$ 9 milhões, sem imposto. O Cruzeiro paga R$ 1 milhão para jogadores que estão emprestados. O Mano não quis, e a gente teve que emprestar. Porém, quando eu assumi, eram R$ 2,5 milhões ao mês que o Cruzeiro pagava de salários para jogadores emprestados. Aos poucos fomos arrumando a casa. Mas reconheço que a parte administrativa lá na sede estava errada sim. E eu sempre falava aos mais íntimos e ao presidente: a sede do Cruzeiro só tem uma solução: se acabasse com ela, transferisse o Cruzeiro dali e reduzisse 70% dos funcionários. Foi a minha ideia, e eu demonstrava isso para o presidente o tempo inteiro. Mas por questões políticas, ele não conseguiu cumprir, e isso não diz respeito a mim.

Não estou aqui também não, estou procurando o vídeo para te mandar o programa do Barreto no SporTV, com a repórter que criou esse tumulto todo, lá tem ele desmentindo. Eu não aumentei salário meu não. Eu tive proposta de R$ 300 mil. O meu salário aumentou, se não me engano, R$ 20 mil, não lembro assim para te falar a verdade. Provou lá que eu não assinei aumento meu. 

Provou-se, desde o primeiro momento, que o que eles queriam, o acordo que foi foi feito com os dois repórteres com o ex-candidato, foi denegrir a minha imagem. Eles queriam me tirar do Cruzeiro. Só que eles esqueceram que ia sangrar o Cruzeiro. E sangrou. Quando saí, avisei ao Zezé que o Cruzeiro estava para cair. Pedi a eles sete jogos de paz. E não me deram. Tenho como provar isso aí, será mostrado, tenho áudio. Pedi a eles sete jogos de paz, que ia tirar o Cruzeiro do rebaixamento. Eles não deram. Então, me reuni com o presidente, e nós entendemos que era melhor ele me tirar"

Tags: Cruzeiro interiormg seriea futnacional