Cruzeiro

CRUZEIRO

Dalai terceiriza articulação política no Cruzeiro a Brandi e volta a apostar em 'correntes aglutinadas'

O próprio candidato a presidente é quem ouvirá integrantes de outras alas interessadas em lançar chapas para a eleição de 21 de maio

postado em 19/02/2020 08:00 / atualizado em 19/02/2020 10:32

(Foto: Ramon Lisboa/EM D.A Press)
Depois de definir Emílio Brandi como seu candidato à presidência do Cruzeiro, o atual mandatário interino, José Dalai Rocha, também terceirizou a articulação política para o postulante ao cargo. Caberá a Brandi, integrante do Núcleo Dirigente Transitório, ouvir membros de outras alas interessadas em lançar chapas para a eleição de 21 de maio.

“Essas proposições de conjugação partidária estou encaminhando ao Emílio Brandi. A palavra final é dele. Acredito que, quando o Emílio formar sua chapa, será chapa única. Quem irá contra uma chapa que harmoniza, que congrega, que reúne tudo? Que acaba com nós e eles que tanto prejudicou o Cruzeiro?”, questionou Dalai, que seguiu elogiando seu candidato.  

O Emílio Brandi com aquela serenidade e o nome de prestígio que traz desde o berço, que é o sobrenome Brandi é particularmente querido para nove milhões de torcedores, o Emílio Brandi vai aglutinar as correntes. Eu quase que aposto que será chapa única. Sendo chapa única, ele será eleito por aclamação. Esse é o nosso céu de brigadeiro. Nada de disputas, nada de divergências. É hora de reconstrução”, complementou o dirigente à reportagem. 

Emílio Brandi é sobrinho do ex-presidente Felício Brandi, que administrou o Cruzeiro em seus primeiros títulos de expressão: a Taça Brasil de 1966 e a Copa Libertadores de 1976. 

O Superesportes noticiou no último dia 14 que Célio Elias, ex-integrante da ‘primeira versão’ do Conselho Gestor, criado ainda na gestão do ex-presidente Wagner Pires de Sá, é um dos interessados em concorrer à presidência do Cruzeiro. Ele representa um grupo que tem, entre outros integrantes, o ex-superintendente de futebol de base da Raposa, Guilherme Cruz

A reportagem apurou que essa ala só desistirá de concorrer às eleições de 21 de maio caso consiga compor com Emílio Brandi. Inicialmente, a exigência é que pelo menos um integrante do grupo esteja na chapa presidencial - uma das vices-presidências. A chapa que concorrerá ao Conselho - presidente, vice e dois secretários - também precisaria surgir de uma composição de nomes.

Além de Célio Elias, é pré-candidato à presidência do Cruzeiro o advogado Sérgio Santos Rodrigues, que acabou derrotado por Wagner Pires de Sá no último pleito. Inicialmente, ele contaria com o apoio dos ex-presidentes Zezé Perrella, Alvimar de Oliveira Costa e Gilvan de Pinho Tavares.

Tags: política Cruzeiro eleição futnacional José Dalai Rocha Emílio Brandi