Cruzeiro
1

CRUZEIRO

Em meio à pandemia, Cruzeiro diz que receita com bilheteria não está nos planos para 2020

Posição sugere que clube não espera liberação de torcedores nos estádios no restante da temporada

postado em 04/06/2020 06:00 / atualizado em 03/06/2020 19:33

(Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro)
Presidente eleito do Cruzeiro, Sérgio Rodrigues afirmou que não conta com as receitas de bilheterias de jogos para a sequência da temporada. Em meio à pandemia de coronavírus, ainda não há data para o retorno dos jogos oficiais. Mesmo quando o calendário for retomado, a tendência é que não seja permitido, por longo período, a presença de torcedores nos estádios brasileiros.

“(A crise do coronavírus) Não impacta no nosso planejamento, porque a campanha já foi feita na pandemia e a gente já não contava com isso agora. A gente está buscando a monetização de outras formas, através da produção de conteúdo, de divulgações nas redes sociais, de ações envolvendo o centenário ano que vem, então a gente já estava contando com essa monetização e não a do estádio. Já não estava no planejamento ter bilheteria e match day (explorações comerciais no dia do jogo) para este ano”, disse.

De acordo com o portal da transparência do Cruzeiro, o clube tem 53.775 sócios. Até aqui, não foi divulgado qualquer tipo de balanço sobre o percentual de torcedores que deixou ou permaneceu no programa em meio à pandemia. O clube também não apresentou até aqui qualquer tipo de atrativo para que os cruzeirenses sigam associados mesmo sem a realização de jogos.

Depois de ficar mais de dois meses sem sequer treinar na Toca da Raposa II, os jogadores do Cruzeiro retornaram aos trabalhos presenciais na última semana. A equipe ainda tem para disputar em 2020 a reta final do Campeonato Mineiro (hoje é o 5º colocado e fora da zona de classificação para a próxima fase), a Copa do Brasil (em que o time foi derrotado pelo CRB por 2 a 0 no primeiro jogo da terceira fase) e a Série B do Brasileiro, principal objetivo do ano. 

Em audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, nessa quarta-feira, o infectologista Carlos Starling, que integra o Comitê de Enfrentamento à Epidemia da Covid-19, da Prefeitura de Belo Horizonte, aconselhou que o futebol só retorne na capital após o mês de agosto agosto, quando o vírus deverá atingir o pico de contaminação. 

Hoje, é vital para o Cruzeiro se organizar para gerar novas formas de receitas. Vivendo a crise financeira mais severa de seus 99 anos de história, o clube iniciará a Série B do Campeonato Brasileiro com menos seis pontos em função de uma dívida, cobrada na Fifa, e que a Raposa não teve condições de pagar dentro do prazo.

Tags: Cruzeiro serieb interiormg futnacional