Cruzeiro

CRUZEIRO

Cruzeiro obtém prazo na Justiça para desbloquear dinheiro de venda de Arrascaeta ao Flamengo

Clube celeste tenta recuperar R$ 6,5 milhões da negociação do jogador

postado em 25/06/2020 15:36 / atualizado em 25/06/2020 17:06

(Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)
O Cruzeiro obteve prazo de 15 dias na Justiça para apresentar um seguro-garantia que possibilite desbloquear R$ 6,5 milhões referentes à venda de Arrascaeta ao Flamengo. A decisão foi tomada nessa quarta-feira, 24, pelo Juiz Federal Bruno Oliveira de Vasconcelos. O Superesportes confirmou a informação divulgada pela Rádio Itatiaia.

Conforme o processo, o Cruzeiro tentou ter acesso à quantia por meio de uma carta-fiança, mas o magistrado indeferiu o pedido pelo fato de o fiador apresentado pelo clube não se tratar de instituição financeira autorizada pelo Banco Central. Assim, será necessário conseguir um novo abonador para reverter a decisão.

Em processo movido pela Fazenda Nacional, em 2019, o Cruzeiro teve penhorados R$ 17,1 milhões da venda de Arrascaeta. O órgão alega que o clube não repassou a contribuição de imposto de renda.

Na manifestação à Justiça Federal, tanto a Fazenda Nacional quanto a União argumentam que o Cruzeiro “não vem cumprindo com suas obrigações tributárias” e nem “apresentou plano de regularização fiscal sobre todas as dívidas do clube”.

Além disso, foi destacado que a “imprensa tem noticiado pagamento” do Cruzeiro “a outros credores” - como as recentes ações na Fifa -, enquanto a “a União é preterida”. 

Ainda de acordo com a União, a agremiação celeste teria intenção “de unicamente liberar os recursos constritos sem regularização de seus outros débitos fiscais”, deixando de pagar também os “débitos tributários correntes”. 

De fato, o Cruzeiro vive situação financeira caótica, com uma dívida total de R$ 799 milhões, sendo R$ 338 milhões de ordem tributária. Em fevereiro, o clube foi avisado de que perderia o parcelamento de R$ 261 milhões por meio do Profut - Programa de Modernização da Gestão e Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro.

O advogado João Paulo Fanucchi de Almeida Melo, especialista em Direito Tributário, encarregou-se da defesa do clube para retornar ao Profut. Ele também representa o Cruzeiro no processo movido pela Fazenda Nacional no dinheiro da venda de Arrascaeta.

Arrascaeta no Flamengo


No demonstrativo financeiro de 2019, o Flamengo contabilizou a compra de 75% dos direitos econômicos de Arrascaeta por R$ 76,1 milhões, dos quais R$ 55,3 milhões seriam pagos ao Cruzeiro, detentor de 50% em parceria com o Supermercados BH. A operação foi fechada em janeiro do ano passado.

Apesar da notoriedade de ser o jogador mais caro da história do Cruzeiro e também o maior artilheiro estrangeiro - 50 gols em 188 partidas -, o ex-camisa 10 teve saída conturbada da Toca, sobretudo pela recusa em se reapresentar para a pré-temporada de 2019. À época, o ex-vice-presidente de futebol, Itair Machado, criticou o jogador e se referiu ao empresário Daniel Fonseca como “bandido”.

No Flamengo, Arrascaeta entrou em rápida sintonia com Bruno Henrique e Gabriel. O trio contabilizou 96 gols na temporada - 18 do uruguaio, enquanto os atacantes anotaram 35 e 43, respectivamente. O rubro-negro ganhou o Campeonato Carioca, o Campeonato Brasileiro e a Copa Libertadores da América. Em 2020, conquistou a Supercopa do Brasil e a Recopa Sul-Americana.

Tags: Cruzeiro finanças dinheiro serieb Justiça União interiormg flamengorj Fazenda Nacional Arrascaeta