Cruzeiro

CRUZEIRO

Presidente do Cruzeiro diz ter sido hostilizado por dirigentes da Caldense e promete queixas à FMF; Veterana desconhece insultos

Dirigente relata que foi xingado na reta final do jogo dessa quarta

postado em 30/07/2020 19:45 / atualizado em 30/07/2020 20:19

(Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)
O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, afirmou ter sido hostilizado por dirigentes da Caldense nas dependências do Estádio Dr. Ronaldo Junqueira, em Poços de Caldas, onde as equipes se enfrentaram nessa quarta-feira, pela 11ª rodada do Campeonato Mineiro. Na versão do mandatário, os xingamentos ocorreram na reta final do segundo tempo, quando ele se dirigia a uma área próxima ao vestiário. Foi preciso, inclusive, que a Polícia Militar interviesse na situação. Com gol do meia Régis, a Raposa venceu por 1 a 0, mas caiu na primeira fase do estadual pela desvantagem no saldo: 9 a 6.

“Não posso afirmar que era a diretoria da Caldense, porque não conheço seus membros. Não fizeram questão de nos receber e nem se apresentaram como seria comum em qualquer campeonato. Mas quero crer que sejam membros, até porque o protocolo só permite que sejam membros de diretoria que vão. Eles me hostilizaram pessoalmente. Ao fim da partida, me encaminhei para ir ao vestiário assistir ao jogo do local isolado, onde deveria estar. Oito ou nove dirigentes - ou pessoas que a diretoria permitiu que estivessem ali - ficaram me hostilizando. Estava sozinho, oito pessoas gritando com uma pessoa, a Polícia até ficou ao meu lado, mas sem necessidade. Graças a Deus meu espírito é de paz”, disse Sérgio, em live nesta quinta-feira no canal oficial do clube no YouTube.

Sérgio Rodrigues prometeu tratar bem a diretoria da Caldense quando o clube vier a Belo Horizonte enfrentar o Cruzeiro. Como exemplo, ressaltou a amizade com Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético, e Paulo Bracks, diretor de futebol do América. O dirigente esperava ter sido acolhido pela cúpula do clube de Poços de Caldas - o que, segundo ele, esteve longe de acontecer.

“Quero garantir a qualquer dirigente da Caldense que quando a gente voltar a jogar vocês serão muito bem recebidos no Mineirão, de forma completamente diferente como fui recebido ontem em Poços de Caldas. Aqui a gente está de braços abertos. Esta semana fiz uma live com Sérgio Sette Câmara (presidente do Atlético) e Paulo Bracks (diretor de futebol do América), a gente fez brincadeira e falamos de tudo que pretendemos para construir um belo futebol. Infelizmente não foi isso que vi ontem. Além de, obviamente, como todo mundo viu na televisão no estado de gramado”.

Assim como o técnico Enderson Moreira, Sérgio lamentou as más condições do gramado do Ronaldo Junqueira, mencionando os problemas musculares sofridos pelo meia Maurício e o atacante Marcelo Moreno. O presidente do Cruzeiro prometeu ainda entrar em contato com Adriano Aro, da Federação Mineira de Futebol, com o intuito de exigir melhorias nas condições dos estádios. Do contrário, estudará a possibilidade de colocar a equipe sub-20 ou até mesmo a sub-17 para participar do Mineiro em 2021.

“Tentamos falar com alguns diretores de lá por intermédio de pessoas educadas e competentes, que são o Eduardo e o Thiago, que fazem parte da equipe que investe no time da Caldense. Queríamos falar que jogar nesse campo era uma temeridade para os atletas. Tivemos o Marcelo Moreno e o Maurício saindo mancando dentro de campo. Infelizmente, a preocupação não foi com a saúde. Todos que assistiram ao jogo viram o que aconteceu”.

“É triste isso, nos faz repensar. Vou me dirigir ao presidente da Federação Mineira, Adriano Aro, e conversar com ele. Porque sinceramente, se for para colocar time profissional para jogar em campo dessa forma e ser recepcionado dessa forma, temos de repensar o que queremos do Campeonato Mineiro. Se vamos colocar o time júnior ou o sub-17, se for o caso. Se não for dado o valor ao que o Cruzeiro merece, aos times que estão ali para fazer um bom campeonato, se tiver que passar por isso, temos de repensar o que queremos do do Campeonato Mineiro”, acrescentou.

Por fim, Sérgio Rodrigues usou um comparativo entre o futebol da América do Sul e da Europa para reforçar o descontentamento com a Caldense. “Qual a diferença do futebol sul-americano para o europeu? Nunca teremos uma Libertadores igual à Champions League enquanto todo mundo achar bonito pintar o vestiário no dia para o time passar mal com o cheiro da tinta, cortar água quente, enfim, coisas que ainda acontecem nos vestiários. A gente tem que saber pensar que todo mundo está ali para construir. Então, me dirijo a vocês e digo que deram um show de descortesia com a nossa diretoria. Podem ter a certeza que esse show não será retribuído. Quando vierem aqui, serão bem-recebidos. Jamais faremos o que fizeram conosco ontem”.

Caldense desconhece caso


Procurada pelo Superesportes, a assessoria de comunicação da Caldense informou que os dirigentes do clube “desconhecem qualquer tipo de ofensa” a Sérgio Santos Rodrigues. “Não houve absolutamente nenhum desrespeito a ele ou qualquer outro representante do Cruzeiro. Inclusive, a Caldense sempre teve ótima relação com todos os dirigentes que passaram pelo clube”.

Na semifinal do Campeonato Mineiro, a Caldense pegará o Tombense, que terminou a primeira fase na liderança, com 26 pontos. Por causa do uso da tecnologia do árbitro de vídeo (VAR), os duelos de ida e volta serão realizados em Belo Horizonte. O primeiro jogo está marcado para domingo, às 11h, no Independência, e o segundo será na quarta-feira, às 21h30, no Mineirão.

Já o Cruzeiro disputará o Troféu Inconfidência, tendo o Patrocinense como adversário, às 14h30 de sábado, no Mineirão. Caso vença, pegará o ganhador de Uberlândia x Boa na quarta-feira, 5 de agosto, às 19h, em local a ser definido.

Tags: Cruzeiro serieb interiormg futnacional Caldense