CSA

SÉRIE A

CSA aposta em técnico Jacozinho para evitar rebaixamento e recebe o Bahia

Time alagoano ainda sonha em permanecer na elite do futebol brasileiro em 2020

postado em 01/12/2019 09:23 / atualizado em 01/12/2019 09:23

(Foto: Augusto Oliveira/RCortez/Ascom CSA)
Juntar os cacos e se reconstruir rapidamente. Esse é o objetivo do CSA na reta final do Campeonato Brasileiro. Afinal, o clube alagoano perdeu, de maneira inesperada, o técnico Argel Fucks para um "convite muito forte" vindo do Ceará. A palavra agora está com o ex-ídolo do time, Jacozinho.

"Acredito estar preparado para mais este teste, confiante de que podemos buscar essa permanência. Sabemos que é difícil, mas temos esperança. Isso que é importante, porque os jogadores estão comprometidos", declarou o novo técnico.

Para os últimos três jogos, que são vitais na luta contra o rebaixamento, a diretoria concedeu o comando técnico para Jacozinho, que tem o cargo de auxiliar permanente e se tornou ídolo do clube como jogador durante a década de 1980.

E a primeira "decisão" para tentar a permanência será neste domingo, às 18 horas, diante do Bahia, no estádio Rei Pelé, em Maceió (AL), pela 36.ª rodada do Brasileirão. Depois, vai visitar a rebaixada Chapecoense e finaliza a temporada diante da torcida contra o São Paulo. No momento, o time soma 32 pontos, quatro a menos do que o Cruzeiro (36) e cinco atrás do Ceará (37), o primeiro clube fora da degola.

Para este confronto, a baixa é o meia argentino Jonatan Gómez, que recebeu o terceiro cartão amarelo na vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, no Mineirão, na última quinta-feira. Dessa forma, a tendência é que Jean Cléber, mais ofensivo, entre na sua vaga. Ou Warley, uma opção mais defensiva. Caso queira deixar a equipe alagoana com três atacantes, Bruno Alves é outra opção.

De qualquer forma, a tendência é que a escalação seja confirmada somente momentos antes do jogo. "Não tem muito o que inventar. É só uma questão mesmo de uma ou outra escolha, porque todos estão prontos para entrar", garantiu Jacozinho.

Tentando quebrar uma série de nove jogos sem vencer, o Bahia deve apostar na mesma formação que empatou por 1 a 1 com o Atlético, na partida contra o CSA. Os desfalques ficam por conta do meia Marco Antônio e do atacante Rogério, ambos vetados pelo departamento médico.

Roger Machado ainda deixou duas dúvidas no ar. Fernandão, que se envolveu em uma polêmica com a torcida, tem possibilidade de iniciar jogando, assim como o meia Guerra. Mas a tendência é que ambos continuem como opções no banco de reservas.

"(A má fase) Está incomodando a gente, pela qualidade que nosso time tem. A gente poderia estar brigando mais em cima na tabela. Ficamos um pouco mais distantes. Nossa equipe é bem madura para assimilar as coisas que estão dando errado. Corrigir e tentar melhorar. Vamos em busca desse resultado em Maceió. Vai ser um jogo difícil, como falei. Mas acho que, pelo que a gente já mostrou no campeonato, temos totais condições de deixar o Bahia no mínimo entre os dez primeiros no campeonato", disse Élber.

Já Roger Machado falou do desempenho do clube. "Trabalhamos o emocional do atleta para que ele sinta confortável no jogo. É final de temporada, não há mais o que fazer. Se vencermos os três jogos, vamos fazer a melhor campanha do clube no campeonato e o torcedor vai ficar feliz. A frustração vem da expectativa e o grupo também está decepcionado", completou.

Com 45 pontos, o Bahia está dentro da zona de classificação para a Copa Sul-Americana, o que virou o principal objetivo da equipe, que ficou distante da briga para disputar a Libertadores em 2020.

Tags: futebol Brasileirão CSA csaal bahiaba seriea