Futebol Nacional

Violência

Antes do clássico, organizadas de Sport e Náutico entram em confronto no centro

Horas antes do primeiro Clássico dos Clássicos internacional da história, facções causam pânico em briga no bairro da Boa Vista

postado em 20/08/2013 16:50 / atualizado em 20/08/2013 18:19

Emanuel Leite Jr. /Especial para o Diario

Emmanuel Leite Jr./DP/D.A Press
Em dias de clássicos do futebol pernambucano, a população recifense já se habituou a ficar em estado de alerta. Principalmente os cidadãos que precisam transitar nos pontos de acesso aos estádios ou no entorno da Av. Conde da Boa Vista, local onde se situam as sedes das facções que denominam torcidas organizadas. Mantendo a lamentável tradição de confrontos violentos, Jovem e Fanáutico já protagonizaram os primeiros atos de vandalismo do dia.

Começou mais cedo do que se esperava. Cerca de quatro horas antes da partida de ida pela Copa Sul-Americana se iniciar na Ilha do Retiro, as duas facções se enfrentaram - na base de pedradas e porretes de pau - nas imediações da Rua da União e Av. Conde da Boa Vista. “Fiquei super nervoso. Vários homens atirando paus e pedras. A gente não tinha para onde ir. Ficamos no meio das pedras, que voavam sobre nossas cabeças. Parecia cena de guerra”, começou por descrever o comerciante Edmilson Ramos. “Tivemos que fechar as lojas, para evitar prejuízos”, contou.

Amedrontados, diversos pontos comerciais encerraram suas portas nas redondezas. De acordo com os relatos de quem presenciou a briga, tudo começou quando integrantes da Jovem se dirigiram até a esquina da Rua da União com a Av. Conde da Boa Vista, onde fica a sede da Fanáutico. Pouco depois, a Jovem voltou correndo, onde pegou pedras e porretes. Atrás da facção rival vieram os integrantes da Fanáutico.

Ao ficarem frente a frente, na Rua da União, deram início à selvageria, atirando pedras e paus uns contra os outros. Atônitos e aterrorizados, aos cidadãos restava a alternativa de se esconderem nos prédios comerciais. Quando a Polícia Militar chegou ao local, ambas as facções já tinham se evadido.

“Ligaram para o 190, informando que havia aglomeração de torcidas. Quando chegamos, já não havia mais confusão. Ao entrarmos no edifício São Cristóvão - onde se localiza a sede da Jovem - encontramos os porretes de pau”, descreveu o Tenente Josinaldo Souza, do 19º BPM. Uma viatura da Polícia ficou na Rua da União, a fim de garantir que não ocorresem novos confrontos.
Mais confusão
Ao fim da tarde, as duas facções voltaram a causar tumultos no centro do Recife. Desta vez, a confusão aconteceu em plena Av. Conda da Boa Vista.