Futebol Nacional

CAMPEONATO BRASILEIRO

Cruzeiro e Atlético fazem jogo morno e frustram torcidas com empate sem gols no Mineirão

Ponto somado faz time celeste ultrapassar Fluminense, embora distância para a zona de rebaixamento continue curta. Galo atinge 40 pontos

postado em 10/11/2019 17:50 / atualizado em 10/11/2019 23:31

(Foto: Gladyston Rodrigues/EM D.A Press)
Em clássico de baixa qualidade técnica e poucas oportunidades claras de gol, Cruzeiro e Atlético empataram por 0 a 0, neste domingo, no Mineirão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado refletiu a má campanha das equipes na competição. A melhor chance da Raposa foi com Thiago Neves, aos 11’ do primeiro tempo, em chute à esquerda de Cleiton. Já o Galo acertou uma bola no travessão, com Fábio Santos, aos 37’. Entretanto, quem compareceu ao estádio viu, na maior parte dos 90 minutos, um jogo de muitas divididas no meio-campo e tentativas equivocadas de lançamentos e cruzamentos.

No fim, o ponto somado no Mineirão fez o Cruzeiro chegar a 35 e subir do 16º para o 15º lugar, já que o Fluminense perdeu para o Internacional por 2 a 1, no Beira-Rio, e permaneceu com 34. Contudo, o Botafogo, 17º, com 33, pode ganhar três posições no duelo contra o lanterna Avaí, nesta segunda-feira, às 20h, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro.

Já o Atlético, relativamente confortável na luta pela permanência na Série A, caiu um degrau na classificação: 12º, com 40 pontos. Isso porque o Vasco ganhou do CSA por 3 a 0, no Rei Pelé, em Maceió, e pulou para 11º, com 42.

O Cruzeiro volta a campo contra o Avaí, no dia 18 (segunda-feira), às 20h, no Mineirão, pela 33ª rodada do Brasileiro. O Atlético jogará no sábado (16), às 19h, diante do Fluminense, no Maracanã.

O jogo


Abel Braga surpreendeu ao divulgar a escalação do Cruzeiro sem David. Em entrevista à TV Globo, ele creditou a decisão à carga de cobrança pela falta de gols do atacante. Com isso, Marquinhos Gabriel passou a jogar pelo lado esquerdo, enquanto Robinho ficou na direita. No Atlético, Vagner Mancini reforçou a marcação no meio-campo optando pelo paraguaio Ramón Martínez no lugar de Elias, lesionado na coxa direita.

O Cruzeiro começou a partida com mais volume. Em dado momento, contabilizou 72% de posse de bola. Aos 11’, Marquinhos Gabriel tocou para a grande área, Fred fez corta-luz e Thiago Neves bateu de primeira com o pé direito, à esquerda da meta de Cleiton. Aos 33’, Fred girou em cima de Réver e finalizou na rede, mas pelo lado de fora. Foram as melhores chances celestes na etapa inicial. No mais, houve falhas sucessivas em passes e cruzamentos, além de bolas perdidas no meio-campo.

(Foto: Gladyston Rodrigues/EM D.A Press)

O Atlético equilibrou as ações a partir dos 20 minutos. Aos 22’, Cazares arriscou de fora da área e assustou o goleiro Fábio. Aos 37’, o grande momento da etapa inicial: Fábio Santos recebeu assistência de Cazares nas costas de Orejuela e bateu firme para o gol. A bola resvalou no zagueiro Cacá, tocou no travessão e saiu à linha de fundo. Mas parou por aí. Assim como seu rival, o time alvinegro mostrou pouco repertório ofensivo, embora estivesse tranquilo para se defender.

Para o segundo tempo, o Cruzeiro voltou com David no lugar de Marquinhos Gabriel, enquanto o Atlético manteve a formação. E o camisa 11, contestado por parte da torcida, foi responsável por duas boas jogadas. Aos 22’, ele cruzou na pequena área, e Fred desperdiçou ótima oportunidade ao cabecear nas mãos de Cleiton. Aos 25’, David levou a bola do lado esquerdo para o meio e soltou a bomba, obrigando o goleiro atleticano a espalmar.

Na sequência do clássico, Abel apostou nos velocistas Pedro Rocha e Ezequiel, que entraram nas vagas de Robinho e Thiago Neves. Por sua vez, Mancini colocou os jovens Bruninho e Marquinhos. Efetivamente, as modificações não surtiram tanto efeito, pois as equipes atacavam apenas em bolas espirradas, sem qualidade no toque e nos arremates. Na base do abafa, o Atlético teve duas chances. Aos 40’, Cacá cortou na pequena área o passe rasteiro de Patric. Já aos 42’, Fabrício Bruno bloqueou o chute de Igor Rabello e salvou o Cruzeiro do revés.

CRUZEIRO 0X0 ATLÉTICO


CRUZEIRO
Fábio; Orejuela, Cacá, Fabrício Bruno e Dodô; Henrique e Éderson; Robinho (Pedro Rocha, aos 23min do 2ºT), Thiago Neves (Ezequiel, aos 38min do 2ºT) e Marquinhos Gabriel (David, no intervalo); Fred
Técnico: Abel Braga

ATLÉTICO
Cleiton; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Zé Welison e Ramón Martínez (Marquinhos, aos 34min do 2ºT); Luan, Cazares (Bruninho, aos 24min do 2ºT) e Otero; Di Santo
Técnico: Vagner Mancini

Cartões amarelos: Henrique, aos 27min do 2ºT (CRU); Fábio Santos, aos 45min do 1ºT (ATL)

Motivo: 32ª rodada do Campeonato Brasileiro

Data: domingo, 10 de novembro de 2019

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)

Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Leirson Peng Martins (RS)

VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Pagantes: 37.844

Presentes: 43.205

Renda: R$ 1.165.329,00







Tags: clássico atleticomg cruzeiroec interiormg Mineirão seriea