Palmeiras

CAMPEONATO BRASILEIRO

Palmeiras e Fortaleza trocam boa relação por litígio antes de jogo no domingo

Briga entre clubes precisou de intervenção do STJD, Ministério público e Procon

postado em 20/09/2019 08:10 / atualizado em 20/09/2019 10:03

<i>(Foto: Sociedade Esportiva Palmeiras)</i>
A relação entre Palmeiras e Fortaleza mudou da água para o vinho nos últimos dias. Às vésperas do encontro deste domingo na Arena Castelão, em Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro, as duas equipes trocaram o clima amistoso da convivência nos bastidores por uma briga pública sobre o preço dos ingressos destinados à torcida da equipe paulista, inclusive com a participação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e de órgãos como Ministério Público e Procon-CE.

O desentendimento começou quando a diretoria do Fortaleza divulgou o valor dos ingressos destinados à torcida visitante. Os palmeirenses teriam de pagar R$ 110, número escolhido por ter sido mesmo preço cobrado pelo clube paulista no confronto entre as duas equipes na abertura do Brasileirão, em São Paulo. Na ocasião, o time da casa ganhou por 4 a 0.

A diretoria do Palmeiras considerou o valor muito alto e acionou o STJD para pedir a redução. A solicitação foi atendida e, nesta quinta-feira, o clube chegou a publicar no site oficial uma nota com a íntegra da decisão do órgão com a determinação para reajustar o preço da entrada de R$ 110 para R$ 55. A justificativa é que o valor escolhido deve ser o mesmo do cobrado para setores equivalentes do estádio.

A reação do Fortaleza na sequência foi de anunciar o cancelamento das vendas à torcida visitante, também com nota oficial, ao alegar que o Palmeiras perdeu o prazo para fazer a solicitação da carga. Antes disso, 3 mil palmeirenses haviam comprado o bilhete. "O clube visitante terá o direito de adquirir a quantidade máxima de ingressos correspondente a 10% da capacidade do estádio, desde que se manifeste em até três dias úteis antes da realização da partida", disse o texto.

O vice-presidente do Fortaleza, Marcello Desidério, reforçou o descontentamento do clube em uma entrevista à rádio Assunção 620 AM, em que atacou a postura do Palmeiras no caso. "O clube que mais maltrata o visitante se chama Associação Esportiva Palmeiras (sic). E teve a cara de pau, desculpe a dureza da palavra, para vir reclamar de tratamento que não oferece para o visitante", comentou.

Logo depois, em contato com a reportagem, o vice-presidente do Palmeiras garantiu que o clube vai continuar na briga para reabrir a venda de ingressos. "O Fortaleza está descumprindo uma lei e uma determinação do STJD. A gente vai informar o STJD sobre o descumprimento do Fortaleza e também o Ministério Público e o Procon do Ceará sobre o desrespeito no tratamento com o consumidor para esse jogo", afirmou.

Antes desse imbróglio, os dois clubes tinham uma boa convivência nos bastidores. Recentemente as duas diretorias trataram a saída do atacante Felipe Pires, negociado ao Fortaleza após uma passagem rápida pelo Palmeiras durante o primeiro semestre. O jogador, inclusive, até fez um gol no último domingo no jogo contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Em julho, o Palmeiras ainda utilizou o CT do Fortaleza para se preparar para enfrentar o Ceará, pelo Brasileirão. As duas diretorias também estiveram do mesmo lado durante a longa negociação com a TV Globo sobre os direitos de transmissão da competição.

Tags: palmeirassp fortalezace futnacional seriea futebol brasileirão palmeiras