Cruzeiro

CRUZEIRO

Ainda sem acordo, reunião para votar afastamento de Wagner segue agendada; oposição do Cruzeiro faz pressão por renúncia

Perrella afirmou que só cancelaria encontro caso trio aceitasse renunciar

postado em 14/10/2019 18:17

<i>(Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press)</i>
Como ainda não há acordo entre situação e oposição, segue agendada para o próximo dia 21 (segunda-feira), no auditório do Dayrell Hotel, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, a Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo do Cruzeiro

A pauta do encontro, marcado pelo presidente do Conselho Deliberativo e hoje gestor do futebol do clube, Zezé Perrella, é a votação de possível afastamento do presidente Wagner Pires de Sá e de seus vices, Hermínio Lemos e Ronaldo Granata. Além disso, está prevista a criação de um Comitê Gestor.

Na última sexta-feira, quando foi apresentado como parte da administração de Wagner, Perrella afirmou que o objetivo era cancelar a reunião caso o trio eleito em 2017 aceitasse antecipar a eleição presidencial do clube para o fim deste ano. Mas ainda não há acordo, conforme apurou o Superesportes

Segundo vice-presidente, Hermínio não aceita abandonar o mandato. Ele transferiu as negociações ao irmão, José Francisco Lemos, que explicou a situação à reportagem. "Estamos conversando, discutindo. É um conjunto de coisas, precisamos de um entendimento entre as correntes para buscar paz no Cruzeiro"

Perguntado se Hermínio estava disposto a renunciar caso a ‘paz’ do clube só fosse possível com essa atitude, José Francisco Lemos foi claro: "Isso não é paz. Se você obriga alguém a fazer algo que não quer, isso não é paz", ressaltou o irmão de Hermínio, que é o decano do Conselho Deliberativo do Cruzeiro. 

Zezé Perrella e Ronaldo Granata não atenderam aos contatos feitos pela reportagem. O segundo-vice presidente do Cruzeiro, porém, já teria aceitado a renunciar ao cargo para convocação de novas eleições. 

Oposição pressiona por renúncia

Enquanto tem esperança de que Perrella não cancelará a reunião, a oposição do Cruzeiro segue fazendo pressão pela renúncia coletiva de Wagner e seus vices. Em grupos de Whatsapp, líderes da Cruzeiro Pró-Transparente, principal corrente de oposição do clube, insistem com o presidente do Conselho Deliberativo sobre importância da saída dos atuais dirigentes.

As cartas de renúncias de Wagner, Hermínio e Granata já estão prontas. Inicialmente, eles teriam até esta terça-feira para assiná-las, mas o período teria sido ampliado por Zezé para a noite desta quarta-feira. Nos documentos, obtidos pelo Superesportes, o trio precisaria abrir mão do último ano de mandato “em caráter irrevogável e irretratável”.

Outro documento que também já está pronto - esse assinado por Perrella - é a convocação das eleições para 16 de dezembro. Ele só terá validade, no entanto, se Wagner, Hermínio e Granata concordarem com as renúncias. O presidente eleito, de acordo com esse documento, teria mandato apenas até o fim de 2020 - para cumprir o triênio 2018/2019/2020 -, quando seriam convocadas novas eleições.

Tags: futnacional seriea interiormg cruzeiro