DA ARQUIBANCADA

Ficar ou não ficar, eis a questão

'Tomara que joguem para vencer e entrem para a história do clube ao ficar na Série A'

postado em 30/11/2018 10:39

Mourão Panda / América

Série B, 2010. No último jogo da competição, o goleiro Flávio fez defesas salvadoras, o América empatou em 0 a 0 com a Ponte Preta e se classificou em quarto lugar para disputar a Série A em 2011. No meio daquele ano, o jornal Estado de Minas criou este projeto Da Arquibancada e, desde então, passei a escrever esta coluna sobre o América. Com um time mal montado, o Coelho teve vários treinadores em 2011: Mauro Fernandes foi até a nona rodada, deixando a equipe na 18ª colocação; Antonio Lopes sobreviveu até a 31ª rodada, abandonando o Coelho na lanterna; com o Coelhão afundado no brejo, Salum trouxe Givanildo Oliveira para tentar salvar a lavoura. Porém, mesmo com vitórias espetaculares sobre Vasco da Gama (4 a 1), Ceará (4 a 1), Fluminense (3 a 0) e Corinthians (2 a 1), o América não conseguiu escapar do rebaixamento. Triste.

Série B, 2012. O América teve quatro treinadores nesse campeonato: Givanildo Oliveira; Milagres; Mauro Fernandes; Cláudio Prates. Não deu certo, o clube terminou a competição em oitavo lugar, com 55 pontos. Série B, 2013. Paulo Comelli foi o treinador nas 19 rodadas do turno. Silas comandou o time no segundo turno. Classificação final do América: nono lugar, com 57 pontos.

Série B, 2014. Em campo, o time conquistou 67 pontos e teria se classificado em terceiro lugar para disputar a Série A em 2015. Porém, dirigentes contrataram e deixaram escalar um jogador que estava impedido por lei de atuar na competição. Com esse terrível erro administrativo, o América perdeu seis pontos no STJD e terminou na quinta posição, um ponto abaixo do G-4. Dureza.

Série B, 2015. O que deveria ter ocorrido em 2014, deu certo em 2015. Com João Ricardo pegando tudo no gol e Marcelo Toscano e Richarlison (lançado por Givanildo) jogando um bolão no ataque, o América garantiu uma vaga para participar da Série A no ano seguinte.

Campeonato Mineiro, 2016. Givamito, que tinha comandado o time na campanha vitoriosa de retorno à Primeirona, permaneceu à frente da equipe. Com um esquema tático pragmático – quase sempre organizado em 3-5-2 –, o América superou o Cruzeiro nas semifinais e o Atlético nas finais. O Coelhão conquistou seu 16º título estadual. Série A, 2016. 2015 foi bom para o América, e o início de 2016 também. Porém, deu tudo errado na disputa da Série A, uma competição para esquecer. Pronto: esqueci.

Série B, 2017. Sob o comando de Enderson Moreira, que chegara ao América em julho de 2016, o Coelhão foi bem no primeiro turno e repetiu a dose no returno. Contra tudo e contra todos, o time surpreendeu na reta final e, com 73 pontos ganhos, atropelou o poderoso Internacional e foi campeão nacional.

Série A, 2018. No domingo, América e Fluminense disputarão partida decisiva no Maracanã. Quem vencer permanecerá na Série A; quem perder descerá para o inferno da Série B. Givanildo Oliveira e os jogadores trouxeram de volta a esperança. Tomara que joguem para vencer e entrem para a história do clube ao ficar na Série A. Coeeeeelho!

Tags: americamg