UAI

2

Presidente do Atlético detona Seneme: 'Cargo não condiz com sua postura'

Clube alvinegro reclama de falta de diálogo, diz que o nível de arbitragem caiu muito na temporada 2022 e afirma: "Em relação ao VAR, a piora é uma aberração"

20/07/2022 13:17 / atualizado em 20/07/2022 13:27
compartilhe
Atlético detonou Wilson Luiz Seneme
foto: AFP

Atlético detonou Wilson Luiz Seneme

O Atlético demonstrou insatisfação com o trabalho de Wilson Luiz Seneme, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, o presidente do Galo, Sérgio Coelho, disparou contra o comandante da arbitragem nacional.


De acordo com o Atlético, existe falta de diálogo com Seneme. O clube alvinegro informa que é uma reclamação geral. Na visão de Sérgio Coelho, a postura do ex-árbitro não condiz com o cargo que ele ocupa.

"É lamentável a forma como o presidente da comissão de arbitragem da CBF tem conduzido sua atuação no órgão. É incompreensível a falta de diálogo com boa parte dos clubes e federações, inclusive com o Galo. A reclamação é geral. No nosso entendimento, o Sr. Wilson Seneme está no lugar errado. Sua postura não condiz com o cargo que ocupa. Falo pelo celular com qualquer presidente de clube no Brasil, com o presidente da CBF e da Conmebol, mas, com o presidente da comissão de arbitragem, não consigo falar. Eu e a maioria dos clubes", disparou Sérgio Coelho.

Sérgio Coelho afirmou ainda que a arbitragem brasileira piorou com a chegada de Seneme para substituir Leonardo Gaciba (ele assumiu o cargo em abril deste ano). O presidente do Galo diz que a queda de nível das atuações dos árbitros de vídeo é 'uma aberração'.

"E que fique bem claro: a arbitragem mudou para muito pior neste ano. Caiu a qualidade das atuações, com critérios confusos e díspares. Em relação ao VAR, a piora é uma aberração. Há árbitros inseguros e mal preparados, e outros inexperientes escalados para jogos de alta exigência", disse.

Sérgio Coelho é a favor de uma mudança no comando da arbitragem brasileira. Ele pede uma 'verdadeira liderança' na presidência da comissão.

"Enfim, a gestão da arbitragem brasileira está horrível, com árbitros sempre repetidos nas escalas, e outros que estreiam na rodada 18 do campeonato, por exemplo. São atitudes que demonstram, de forma inequívoca, que a comissão de arbitragem da CBF está sem rumo e à deriva. Os sucessivos erros que temos visto impactam a credibilidade do futebol brasileiro. Talvez seja preciso que busquemos uma verdadeira liderança para o setor", concluiu.

Contratações dos times da Série A para o segundo semestre



Compartilhe