Corinthians

ATLÉTICO

Cazares no Corinthians: Atlético faz jogo duro e não abre mão de compensação para liberar meia

Meia equatoriano tem contrato com o Atlético só até o fim do ano

postado em 21/09/2020 20:26 / atualizado em 21/09/2020 21:47

(Foto: Bruno Cantini / Agência Galo / Atlético)
Uma reunião nesta terça-feira pode definir o futuro do meia Juan Cazares, de 28 anos. O equatoriano já se acertou com o Corinthians e depende da liberação por parte do Atlético, clube com o qual tem vínculo até 31 de dezembro. Representante do jogador, o empresário André Cury alega ter avançado nas conversas para antecipar a saída e compensar o Galo com um percentual dos direitos em transferência futura. Já o presidente atleticano Sérgio Sette Câmara nega e promete fazer jogo duro.

Em contato com o Superesportes, o representante de Cazares, André Cury, disse que o percentual a ser mantido pelo Atlético será definido numa reunião nesta terça-feira. “Estamos muito perto do acordo. Acho que amanhã (terça) sai”, disse.

Já em entrevista à Rádio Itatiaia na noite desta segunda-feira, o presidente Sérgio Sette Câmara negou a versão do empresário de que haja um acordo encaminhado para Cazares deixar o Atlético. Segundo ele, o clube ainda não recebeu uma proposta oficial. O fato é que o Galo quer mesmo ser compensado para aceitar a liberação do meio-campista antes de dezembro, quando se encerra o vínculo.

“Não recebemos proposta. O que vi foi aí na imprensa, existe uma situação do Cazares que ele tem contrato conosco até 31 de dezembro e ele vai cumprir até a meia-noite de 31 de dezembro. A proposta tem que vir no sentido de ser alguma coisa compensatória para o clube. Liberar o jogador sem qualquer tipo de compensação para o clube, não”, disse.

Sette Câmara assegurou que, sem uma oferta interessante, Cazares terá que seguir sua rotina de treinos à parte na Cidade do Galo até o final do ano. “É claro que eles estão pensando em pegar o passe dele no início de janeiro e negociar com algum clube, colocar algum dinheiro no bolso, mas eles vão ter que esperar até o dia 31 de dezembro, até a meia-noite o dia 31 de dezembro, porque eu sou osso duro de roer e não vou liberar o jogador de graça, sem que o Atlético tenha algum tipo de compensação ou desconto daquilo que a gente deve a ele. Alguma coisa tem que ser feita para compensar, senão ele vai ficando aqui, cumprindo os horários dele lá no CT”.

O presidente ainda alertou que a relação com André Cury piorou nos últimos meses, período em que o representante teria criado dificuldades em negociações que interessavam ao Atlético.

“Nós tivemos outras propostas, todo mundo já sabe disso, isso já foi falado. Em diversas situações que tentamos liberar o jogador, houve uma dificuldade muito grande por parte do procurador dele (André Cury). Eu tinha até um bom relacionamento com ele, mas ele não se mostrou correto conosco, no meu modo de ver, nesse sentido, porque foram muitas as propostas que vieram, e ele pedia um valor absurdo para ele mesmo ou para liberar o jogador, dificultando”.


Corinthians não fez consulta direta


Também à Rádio Itatiaia, Sette Câmara afirmou que o Corinthians não fez qualquer consulta ou proposta diretamente ao Atlético por Cazares. “Não, o Sanchez (presidente Andrés Sanchez) eu tenho uma boa relação com ele, ele não me ligou. Se ele fez contato com o Mattos (Alexandre Mattos, diretor de futebol), ele ainda não me chamou. Geralmente, quase que imediato, quando ele tem esse tipo de contato, ele me passa aqui. Tem papo do empresário, mas isso aí é natural no futebol, especulações. Se vier alguma coisa que seja interessante para o clube, a gente vai estudar”, concluiu.

Cazares não vem sendo aproveitado pelo técnico argentino Jorge Sampaoli. Como está fora dos planos, ele treina diariamente em horário diferente do elenco profissional.

Antes de se aproximar do Corinthians, Cazares também esteve nos planos do Santos. Iniciadas em agosto, as conversas entre o Peixe e o Galo não evoluíram.

Em janeiro deste ano, o Galo rejeitou proposta de 3 milhões de dólares (R$ 12,7 milhões na cotação da época) do Al-Ain pelo meia. O clube queria mais. Em julho, o Al Ittihad Kalba, dos Emirados Árabes, fez uma oferta menor, mas que seduziu o Atlético. Desta vez, foi o atleta que não quis, já que recusou o salário oferecido.

Trajetória no Galo


Cazares estreou pelo Galo em fevereiro de 2016, em vitória por 1 a 0 sobre o Independiente del Valle, pela fase de grupos da Copa Libertadores. O meia mostrou muita habilidade e técnica, com dribles e passes certeiros. Ele foi substituído no segundo tempo para a entrada de Robinho, também debutante da noite. Como o equatoriano era o melhor em campo, a torcida vaiou fortemente o técnico Diego Aguirre.

A primeira temporada de Cazares pelo Atlético foi positiva, com dez gols em 40 jogos. Entretanto, em 2016, ele já pisava na bola. Em 13 outubro daquele ano, o armador era esperado em Belo Horizonte durante o período da manhã, depois de atuar pela Seleção do Equador. Contudo, ele simplesmente não embarcou no voo reservado pela diretoria e não deu notícias. Foi punido, mas voltou a se envolver em episódios controversos.

Em campo, Cazares chegou a fazer golaços, como o do empate em 1 a 1 com o Grêmio pelo segundo jogo da final da Copa do Brasil, em 2016. Ele arriscou de antes do meio-campo e surpreendeu o goleiro Marcelo Grohe. Por outro lado, em determinadas partidas parecia sonolento.

No ano passado, o armador chegou a dizer que se fosse mais regular jogaria no Real Madrid. "Se eu consigo manter 70 jogos do mesmo nível, estou no Real Madrid", disse Cazares, em coletiva de imprensa. O armador tem 203 jogos pelo Galo e 41 gols marcados. Ele é o estrangeiro com mais partidas e o segundo maior artilheiro, atrás apenas do argentino Lucas Pratto, com 42.

Críticas


Não faltam críticos ao modo de agir de Cazares. O técnico Levir Culpi comandou o atleta em 2019 e disparou contra ele, em entrevista após deixar o clube. "Ele é quem precisa resolver o que quer fazer. Se ele acha que é bom sair na zona e chegar bêbado para treinar, ele vai fazer isso. Agora, tem um preço. Tudo tem um preço", declarou Levir em entrevista ao jornalista Afonso Alberto, no YouTube.

O próprio presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, detonou Cazares em maio deste ano. “O Atlético investiu um dinheiro quando o trouxe do Banfield. O Jorge Marino (empresário) levou um percentual na negociação, o Cazares deve ter levado luvas na época, salário elevado, teve problemas aqui durante o período em que ele estava. Enfim, não preciso nem dizer. Ele vai para o jornal utilizando a camisa do clube com nossos patrocinadores por conta de mau comportamento, e isso denigre a imagem do Atlético. Isso tudo pesou na carreira do Cazares. E ele não se valorizou como poderia. É uma pena, nós conhecemos esta história e sabemos como vai terminar”, disse o mandatário alvinegro ao jornalista Afonso Alberto.

“Eu tenho o direito de tê-lo aqui até o último dia do contrato e, neste tempo, se aparecer alguma proposta iremos tentar negociar e repor aquilo que gastamos. Fez grandes partidas aqui? Sim, mas também fez péssimas. Teve um comportamento não condizente com um atleta de futebol e o salário que ele recebe. Eu lembro que conversei com um clube árabe que tinha interesse, e o dirigente me deu a ficha completa do Cazares. Hoje em dia, o cara entra no Google e fica sabendo de tudo. Se o jogador é um profissional exemplar ou se o extracampo é complicado. No caso do Cazares, o extracampo dele é, no mínimo, questionável”, completou o dirigente. 


Polícia


Em 2019, o jogador foi acusado de estupro e lesão corporal por duas mulheres. A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu o inquérito e informou que não houve indícios suficientes de autoria ou mesmo materialidade para indiciamento do jogador. A decisão foi tomada após a polícia colher depoimento de diversos envolvidos.

Festa na quarentena


Este ano, Cazares voltou a se envolver em polêmica. Desta vez, ele foi multado por promover uma festa em Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte durante a pandemia de Covid-19. Ele foi multado em R$ 130 mil, já que, segundo a assessoria de imprensa do município, não era a primeira vez que Cazares foi autuado neste tipo de infração durante a pandemia.

Pelada durante a pandemia


Em maio deste ano, Cazares e Rómulo Otero, atualmente no Corinthians, foram flagrados jogando uma 'pelada' em Santa Luzia. Os jogadores, que estavam em quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus, furaram o isolamento social. O Galo disse que orientou os jogadores a ficarem em casa.

Tags: atlético corinthinas corinthianssp seriea santossp mercadobola cazares