Cruzeiro

TRAGÉDIA NO NINHO DO URUBU

América, Atlético e Cruzeiro alegam estar em dia com laudos dos alojamentos das categorias de base

Tragédia no centro de treinamento do Flamengo, no Rio, gera alerta para estruturas de base Brasil afora

postado em 09/02/2019 15:01 / atualizado em 09/02/2019 15:35

Paulo Filgueiras/EM/D. A Press
A morte de dez jogadores das categorias de base do Flamengo no alojamento do centro de treinamento Ninho do Urubu, no Rio de Janeiro, gerou um alerta sobre as condições a que estão submetidos atletas em todo o Brasil. Em Minas, as estruturas de Atlético, Cruzeiro e América estão entre as referências no país no quesito segurança. Os três clubes afirmam receber vistorias anualmente do Corpo de Bombeiros e da Vigilância Sanitária para desenvolver a atividade diária de práticas esportivas.

O diretor de administração e controle do Atlético, Plínio Signorini, diz que a verificação ajuda a evitar problemas: “É rotineiro no clube. Já havia conversado com o pessoal que administra a Cidade do Galo para saber se estava tudo em ordem em relação a extintores de incêndio, saídas de emergência. A estrutura do prédio é nova, bem planejada, de concreto armado. Temos uma segurança e cuidado com a parte elétrica, com direcionamento de geradores e transformadores com supervisão da Cemig”.

A Cidade do Galo abriga cerca de 100 jovens. Inaugurado em 2001, o prédio tem 31 apartamentos. Plínio afirma que o clube fará treinamentos com funcionários e atletas para situações de emergência: “Os funcionários precisam estar bem orientados. Não adianta ter uma estrutura de incêndio bem fundamentada se os funcionários não estão preparados”.

Na Toca da Raposa I, exclusiva para a base do Cruzeiro depois que o profissional se transferiu para a Toca II, em 2002, a situação é parecida. Ainda que os prédios sejam mais antigos (o principal foi inaugurado em 1973), há manutenção permanente. “Não temos mais chuveiro elétrico no vestiário do Sub-20, por exemplo. Também eliminamos cortinas dos quartos, colocando insulfilm. Tudo para minimizar o risco de incêndio. Nossos laudos estão em dia e nos preocupamos com as podas das árvores, que oferecem risco em época de chuvas e ventos fortes como agora”, destaca Quintiliano Lemos, diretor-executivo geral das divisões inferiores da Raposa.

Auremar de Castro/EM/D. A Press (arquivo)
O CT celeste tem capacidade para 90 garotos. Há também o hotel do profissional, com capacidade para 70 atletas, que recebe jogadores estrangeiros. Para mantê-los, o clube conta com profissionais como engenheiros, eletricistas e marceneiros.“Temos preocupação constante com o bem-estar de todos. Afinal, antes de serem aspirantes a grandes jogadores, são garotos cujos pais, os familiares, nos confiaram a vida. Temos de ter responsabilidade, não só pelo que ocorreu no Flamengo”, ressalta Lemos.

João Zebral / América
O América inaugurou no ano passado um espaço para alocar seus atletas de base em substituição ao antigo CT de Santa Luzia. Adquirido pelo clube há cinco anos, foi posteriormente anexado ao CT Lanna Drumond. Há 60 jogadores morando no alojamento, que conta com cozinha, salas de jogos e salas de reuniões para a comissão técnica. “Todos os laudos exigidos pela legislação estão vigentes. Inclusive, o América possui a Licença A do Certificado de Clube Formador (CCF), que atende às exigências de entidades de administração do desporto. Destacamos também que, em breve, a estrutura será totalmente modernizada, com a construção do Planeta América, que vai dobrar a área do centro de treinamentos. O projeto está em fase final e as obras devem começar ainda em 2019”, informou, por meio de nota.

NOTA COMPLETA DIVULGADA PELO AMÉRICA

Diante dos questionamentos recebidos ao longo do dia, esclarecemos que estrutura do Clube, nossas categorias de base funcionam no CT Lanna Drumond, que possui uma área de aproximadamente 70 mil m². O CT atende aos atletas do time profissional, além das categorias Sub-20, Sub-17, Sub-15 e Sub-14.

Aproximadamente 60 garotos moram no alojamento do Clube, onde há dez quartos, com seis atletas por quarto. Os atletas de todas as categorias contam com estrutura completa, incluindo seis refeições diárias, atendimentos psicológico e pedagógico, planos de saúde e odontológico, seguro de vida e escola particular.

Todos os laudos exigidos pela legislação estão vigentes, com presença de extintores de incêndio nas dependências do CT. Inclusive, o América possui a Licença A do Certificado de Clube Formador (CCF), que atende às exigências de entidades de administração do desporto.

Destacamos também que, em breve, a estrutura do CT será totalmente reformulada e modernizada, com a construção do Planeta América, que vai dobrar a área do centro de treinamentos do América. O projeto já está em fase final de planejamento e as obras vão começar ainda em 2019.

Tags: flamengorj cruzeiroec atleticomg americamg