Cruzeiro
1

Presidente diz que situação de Roth no Cruzeiro não muda em caso de novo revés

Gilvan de Pinho Tavares afirma que não há "nome de destaque" disponível no mercado

postado em 26/09/2012 19:13 / atualizado em 26/09/2012 19:16

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Embora o Cruzeiro seja atualmente a equipe com o maior jejum de vitórias no Campeonato Brasileiro, um novo resultado negativo contra o Internacional, neste sábado, não afetará a situação do técnico Celso Roth no clube. Isso é o que garante o presidente Gilvan de Pinho Tavares.

Em entrevista à Rádio Itatiaia, o mandatário cruzeirense foi enfático quando questionado se a permanência de Roth no clube estaria em xeque caso o time fosse derrotado pelo Internacional. “Absolutamente não”, afirmou.

Gilvan de Pinho Tavares utilizou o exemplo de troca de treinadores em 2011 para defender que não haja mudança de comando. No Brasileirão do ano passado, o Cruzeiro demitiu Joel Santana enquanto a equipe ocupava o 11º lugar. Após a troca de técnico, o time celeste caiu na tabela, brigou contra o rebaixamento e acabou a competição em 16º.

“Eu assisti um treinador quando o Cruzeiro estava bem colocado no Campeonato Brasileiro. Nós perdemos antes o treinador que está atualmente no Atlético. Depois foi contratado o Joel Santana. Ele estava tendo vitórias no Cruzeiro, foi dispensado, fizeram experiências com treinador que subiu da base e não deu certo. Depois contrataram um outro treinador que também não deu certo. Isso não foi bom para o Cruzeiro e para time nenhum. O treinador que está lá tem um conhecimento do time muito maior que um que vier e chegar agora, principalmente quando você não tem nenhum nome de destaque disponível para trazer”, destacou.

Antes de o Cruzeiro enfrentar o Vasco em Varginha, há duas rodadas, Gilvan ressaltou que “não poderia se apegar a treinador”, pois há pressão da torcida por resultados positivos. A declaração do presidente gerou resposta de Roth, que questionou a qualidade do elenco.

Agora, depois de o Cruzeiro empatar com o Vasco e ser derrotado pelo São Paulo, Gilvan afirma que não há qualquer problema de relacionamento com Roth. “O clima é o melhor possível”, disse.

“Não houve troca de farpas. Ele não entendeu ou a coisa foi levada de forma diferente para ele. Ele não escutou o que falei. Falei uma verdade universal no futebol. Quando me perguntaram se o treinador continuasse perdendo seria mantido no Cruzeiro, falei que treinador vive de vitórias. Não falei que ele sairia se perdesse, até porque a partida em seguida era contra o Vasco da Gama. O resultado entre Cruzeiro e Vasco, em qualquer lugar, é um resultado normal. O jogo com o Vasco foi difícil e terminou empatado por 1 a 1. No domingo, jogamos com o São Paulo. Jogar com o São Paulo, lá em São Paulo, se o Cruzeiro não ganhar, não é demérito nenhum para o treinador e para o time”, complementou.