Cruzeiro

CRUZEIRO

Na chegada ao Cruzeiro, Fabrício pede desculpas ao Inter e diz estar pronto para estreia no clássico

Lateral se coloca à disposição para jogar como meia e promete honrar a camisa

postado em 09/04/2015 16:11 / atualizado em 09/04/2015 17:36

{'id_site': 1, 'imagem_destaque': 'ns1/app/foto_126510467054/2015/04/09/6659/20150409160139750235i.JPG', 'id_content': 3081727L, 'url': 'https://www.mg.superesportes.com.br/app/fotos/futebol/cruzeiro/2015/04/09/galeria_cruzeiro,6659/fotos-da-apresentacao-do-lateral-esquerdo-fabricio.shtml', 'titulo_destaque': 'Fotos da apresenta\xe7\xe3o do lateral-esquerdo Fabr\xedcio', 'samesite': True, 'id_pk': 6659L, 'id_conteudo': 3081727L, 'id_aplicativo': 11, 'meta_type': 'foto', 'titulo': 'Fotos da apresenta\xe7\xe3o do lateral-esquerdo Fabr\xedcio', 'id_treeapp': 151, 'descricao_destaque': 'Jogador chegou animado para defender o clube no Mineiro, na Copa do Brasil e no Brasileiro', 'schema': 'foto_126510467054'}
Novo reforço do Cruzeiro para a temporada 2015, Fabrício foi apresentado nesta quinta-feira, na Toca da Raposa II. Na chegada ao novo clube, o lateral-esquerdo aproveitou para fazer um pedido de desculpas ao Internacional e negou que tenha sofrido injúria racial de torcedores colorados no jogo contra o Ypiranga-RS, quando rebateu vaias com gestos obscenos, tirou a camisa e foi expulso. “Nunca aconteceu (injúria racial). O problema foi com a torcida”, disse.

Emprestado gratuitamente pelo Internacional até julho de 2016, Fabrício não poderá defender o Cruzeiro na Copa Libertadores, uma vez que jogou pelo clube gaúcho na competição.

Já inscrito no Campeonato Mineiro, Fabrício se colocou à disposição do técnico Marcelo Oliveira para estrear no clássico contra o Atlético, neste domingo. “Estava atuando lá (no Internacional), fiquei só dois dias parados. Vou ficar à disposição para estrear neste clássico, que é um jogo que todo mundo gosta de jogar”, disse o jogador, de 28 anos.

Confira abaixo como foi a apresentação de Fabrício:

Alexandre Guzanshe/EM/DA Press
Ofensas à torcida do Internacional

“Quero falar sobre o Internacional, o fato que aconteceu. O fato não podia ter acontecido. Só eu sei o que estava passando. Tenho de agradecer pelo tempo no Internacional. Foram quatro anos maravilhosos, o clube nunca atrasou salário. Estava me desentendendo com a torcida. Quero pedir desculpa à instituição colorada. Sempre fui jogador que batalhei. Sempre lutei, ajudando a equipe. No ano passado, fui quem mais joguei no Internacional, fiz gol para levar o Internacional para a Libertadores. Sei que tenho de matar um leão por dia. Sobre a injúria racial, nunca aconteceu. O problema foi com a torcida. Não teve nada de injúria racial”

Chegada ao Cruzeiro e procura de outros clubes

"Agradeço a confiança de todos. Tinham outros clubes atrás de mim, eu falei com meu empresário que só jogava em dois. Um deles era o Cruzeiro, a negociação foi rápida. Agora, já estou aqui, estou à disposição, vou fazer meu primeiro trieno hoje, espero ajudar o Cruzeiro a conquistar os títulos que está acostumado. Estou aqui para ajudar nessa caminhada"

Concorrência na lateral esquerda

"Vou chegar aqui com bastante lateral-esquerdo, mas onde o professor optar por me colocar eu vou ajudar. Hoje, sou lateral, mas já joguei de meia. Até nas categorias de base, o Everton Ribeiro jogava de lateral e eu de meia, era o contrário"

Possibilidade de fazer estreia no clássico contra o Atlético, no domingo

“Estou à disposição dele (Marcelo Oliveira). Estava atuando lá (no Internacional), fiquei só dois dias parados. Vou ficar à disposição para estrear neste clássico, que é um jogo que todo mundo gosta de jogar"

Jejum do Cruzeiro em clássicos contra o Atlético

"Tem alguns jogos que o Cruzeiro não vence, mas isso acontece. O Grêmio também estava há dois anos sem ganhar e ganhou ano passado. A cada jogo é uma história, mudam jogadores. Então espero que domingo a gente esteja focado, a gente sabe da importância do jogo, para buscar o resultado positivo e decidir em casa depois"

Pedido de Marcelo Oliveira por contratação

"Cheguei e dei de cara com o Marcelo. Ele disse que me queria aqui e eu vim de surpresa. Em 2013, perdemos em Caxias de 2 a 1 (jogo entre Internacional e Cruzeiro). Quando acabou o jogo, a torcida estava vaiando bastante, o Marcelo veio falar comigo no meio-campo, me deu um abraço. Ele disse que queria me levar pro Cruzeiro. Agradeci a confiança, mas a gente sabia que era difícil, porque meu contrato no Inter era longo. Tentaram este ano também. Como eu estava no Inter, surgiu este fato, estava me desgastando. Surgiu este fato, não pensei duas vezes. Em dois minutos, meu empresário falou que o Cruzeiro estava interessado em mim, eu aceitei na hora"

Alexandre Guzanshe/EM/DA Press
Relação com Willians, ex-companheiro no Internacional

"Willians é um grande amigo meu, eu sei a camisa dele, ele sabe a minha. Na mesma hora que discutimos (em treinamento do Internacional), a gente deu um abraço e deu risada. Estávamos em véspera de Gre-Nal, depois ganhamos de 4 a 1. O Willians é um grande amigo meu e tomara que a gente dê certo como era no Internacional"

Saída do Internacional e oportunidade no Cruzeiro

"O cara tem que ter pulso firme para chegar e falar que vai bancar o jogador. Não foi certo o que eu fiz, agradeço a confiança, quero dar meu melhor aqui. Fico feliz por essa oportunidade que estou tendo aqui, quero corresponder da melhor maneira possível"

Lembrança de gols marcado contra o Atlético em 2014

"Sou lateral, mas se ele (treinador) pedir para eu jogar de centroavante ou de goleiro eu quero ajudar, não quero ficar de fora. Fiz gol aos 47 do segundo tempo, o jogo estava 1 a 1. Foi importante, a gente precisava da vitória para a Libertadores. Foi um jogo difícil contra o Atlético e eu pude fazer o gol naquela oportunidade. Se o treinador me levar para o jogo, quero ajudar. Se tiver oportunidade de fazer, quero fazer gol também, mas o importante é vencer a partida"

Como já disputou a Libertadores pelo Internacional, Fabrício não poderá defender o Cruzeiro no torneio

"É doloroso. Quando o cara é garoto sempre quer jogar uma Libertadores num time grande. Eu tava jogando no Inter, não poderei atuar pelo Cruzeiro. Vida que segue, estarei na torcida, no estádio, o time jogou muito ontem, está no caminho certo, estarei na torcida pelo título"

Propostas de outros clubes e escolha pelo Cruzeiro

"Eram seis, sete times procurando, mas não deu muito tempo de conversar. Ele (procurador) tinha me falado da informação, eu fiquei interessado no Cruzeiro e em outro time do Brasil, que agora não vem ao caso. Quis vir para cá, tenho amigos aqui já, todos falam que a estrutura é maravilhosa, pelo fato também de ter ganhado nos dois últimos anos. Falei com muita gente e hoje estou aqui para honrar esta camisa"