Cruzeiro

CRUZEIRO

Arrascaeta joga por 15 minutos, garante empate ao Cruzeiro e é o oitavo estrangeiro a balançar a rede em decisão de Copa do Brasil

Camisa 10 balançou as redes do Flamengo nesta quinta-feira, no Maracanã

postado em 08/09/2017 00:39 / atualizado em 08/09/2017 13:53

Ramon Lisboa/EM/D.A Press
Eram 34min do segundo tempo. O Cruzeiro perdia para o Flamengo no Maracanã por 1 a 0, com gol de Lucas Paquetá em posição de impedimento. Mano Menezes, então, chamou Arrascaeta e o colocou no lugar de Thiago Neves. A última substituição no jogo de ida na noite desta quinta-feira surtiu efeito. Com apenas quatro minutos em campo, o uruguaio driblou da lateral para o meio e passou a bola para Hudson. O volante arriscou de fora da área e viu o goleiro Thiago rebater. O camisa 10, que acompanhou o lance, foi mais esperto que a dupla de zaga adversária e no rebote marcou o gol de empate da Raposa.

O curioso é que Arrascaeta poderia nem estar em campo, já que a fratura por estresse na tíbia esquerda, sofrida no fim de julho, o afastaria dos gramados por até dois meses e meio. Mas a recuperação ocorreu em menos de um mês. E o meia-atacante, livre de dores, falou sobre o tratamento no departamento médico que lhe possibilitou voltar a jogar rapidamente.

“A dedicação que tivemos com o departamento médico. Eles fizeram um grande trabalho. Tratamos a perna até segunda, domingo à tarde. Sempre que tivemos uma folguinha, eles se dedicaram muito. Esse gol representa todos eles também, que estão por trás de tudo isso”, disse o meia-atacante, que comemorou o empate no Rio de Janeiro e mostrou confiança para o duelo do dia 27 (quarta-feira), às 21h45, no Mineirão.

“É um resultado importante. Ainda faltam 90 minutos de um jogo muito difícil. Empatar não está mal”.


Oitavo estrangeiro a balançar a rede

Com o gol no Maracanã, Arrascaeta foi o oitavo estrangeiro a balançar a rede numa decisão de Copa do Brasil. O primeiro foi Aristizábal, atacante do próprio Cruzeiro na final de 2003, justamente contra o Flamengo. Também marcaram os atacantes Herrera, Acosta e Bolaños e os meias Valdívia, Dátolo e Cazares.

"Gringos" que fizeram gol em finais da Copa do Brasil

Aristizábal (2003): atacante colombiano marcou o segundo gol da vitória do Cruzeiro por 3 a 1 sobre o Flamengo, no Mineirão, pelo jogo de volta, que valeu a conquista do tetracampeonato ao clube celeste.

Herrera e Acosta (2008): o centroavante argentino e o meia-atacante uruguaio balançaram a rede na vitória do Corinthians sobre o Sport por 3 a 1, pelo jogo de ida, no Morumbi. Contudo, clube paulista foi derrotado na volta por 2 a 0, no Recife, e perdeu o título. À época, Mano Menezes era o técnico do Timão.

Valdivia (2012): armador chileno, em cobrança de pênalti, abriu caminho para o triunfo do Palmeiras sobre o Coritiba por 2 a 0, na Arena Barueri, no confronto de ida. Verdão arrancou empate por 1 a 1 na volta e foi campeão.

Dátolo (2014): meia argentino anotou um dos gols do Atlético que bateu o Cruzeiro por 2 a 0, no Independência, na primeira partida da decisão. Alvinegro levantou o primeiro troféu do torneio ao vencer no Mineirão por 1 a 0.

Bolanõs e Cazares (2016): os equatorianos roubaram a cena no empate entre Grêmio e Atlético por 1 a 1, na Arena do Grêmio, pelo duelo de volta. O primeiro, que é atacante, colocou o time gaúcho em vantagem. O segundo foi protagonista de um gol antológico do meio-campo para o alvinegro. No fim das contas, o Grêmio comemorou o título, pois ganhou na ida por 3 a 1, no Mineirão.

Arrascaeta (2017): meia uruguaio garantiu empate ao Cruzeiro com o Flamengo no Maracanã. Jogo de volta acontecerá no dia 27 de setembro, às 21h45, no Mineirão.

Tags: futnacional interiormg copadobrasil flamengorj arrascaeta cruzeiro