Cruzeiro
1

CRUZEIRO

Em apresentação, Barcos fala sobre escolha pelo Cruzeiro, gratidão à torcida e briga por títulos

Pirata concedeu entrevista coletiva na manhã deste sábado, na Toca II

postado em 14/07/2018 10:30 / atualizado em 14/07/2018 13:17

Edesio Ferreira/EM D.A Press
Depois de assinar contrato até 30 de junho de 2019, o atacante Hernán Barcos foi apresentado pela diretoria do Cruzeiro na manhã deste sábado, na sala de imprensa da Toca da Raposa II. Ladeado pelo diretor de futebol Marcelo Djian e pelo presidente Wagner Pires de Sá, o argentino agradeceu aos torcedores pela calorosa recepção nessa sexta-feira no aeroporto, explicou a escolha pelo clube celeste e ressaltou o desejo de brigar pelas três competições em disputa: Copa do Brasil, Copa Libertadores e Campeonato Brasileiro.


“Muito obrigado pela recepção de ontem, pelas postagens nas redes sociais, me emocionei muito, foi muito lindo. Chegar desse jeito é gratificante, ter o apoio do torcedor é importante para a tranquilidade e o trabalho que vamos ter. Sobre a decisão de vir para o Cruzeiro, tive várias propostas, avaliei tudo com meus empresários, que são os meus irmãos. O Cruzeiro sempre foi a primeira opção, pela grandeza do clube, pelo que significa tanto nacional quanto internacionalmente. Como falou o presidente, há três competições muito importantes que o Cruzeiro quer brigar por elas. Não apenas está competindo, vai brigar por elas e tentar conseguir. Isso para um atleta é muito importante. Com a grandeza do Cruzeiro, não foi difícil a decisão de vir para cá”, disse o jogador.

Barcos recebeu das mãos de Wagner Pires a camisa de número 28, a mesma usada por ele quando foi contratado pelo Grêmio, em 2013. Dois sócios do futebol entregram um cartão de fidelidade do programa ao jogador.

Como vinha jogando normalmente pela LDU de Quito no Campeonato Equatoriano e na Copa Sul-Americana (marcou 11 gols em 22 jogos no primeiro semestre), o Pirata assegura que dependerá somente da regularização de seu contrato na CBF para ficar à disposição do técnico Mano Menezes.

“Estava treinando até semana passada. Jogamos o último jogo num sábado. Estou no ritmo, é só começar a treinar de novo que estarei à disposição. Só esperar o papel, a (resolução da) burocracia que preciso para estar habilitado, aí ficarei à disposição”. 

Nessa sexta, Mano Menezes disse que a opção por Barcos para suprir as ausências dos lesionados Fred e Sassá se deveu ao fato de o atleta ser conhecedor do futebol brasileiro. De 2012 a 2015, o atacante jogou por Palmeiras e Grêmio, contabilizando, ao todo, 76 gols em 174 jogos.

“O Brasil é o número 1 em visibilidade e estrutura. Qualquer clube do mundo que procura atletas, vêm para o Brasil e a Argentina. Depois vai nos outros países. Tive um ano e meio na LDU, um clube que amo muito, uma referência no Equador. Mas hoje tive essa oportunidade que eu sabia que não poderia deixar passar”, justificou o novo reforço celeste.



LEIA A ÍNTEGRA DA ENTREVISTA DE HERNÁN BARCOS

Por que o acerto com o Cruzeiro?

“Muito obrigado pela recepção de ontem, pelas postagens nas redes sociais, me emocionei muito, foi muito lindo. Chegar desse jeito é gratificante, ter o apoio do torcedor é importante para a tranquilidade e o trabalho que vamos ter. Sobre a decisão de vir para o Cruzeiro, tive várias propostas, avaliei tudo com meus empresários, que são os meus irmãos. O Cruzeiro sempre foi a primeira opção, pela grandeza do clube, pelo que significa tanto nacional quanto internacionalmente. Como falou o presidente, há três competições muito importantes que o Cruzeiro quer brigar por elas. Não apenas está competindo, vai brigar por elas e tentar conseguir. Isso para um atleta é muito importante. Com a grandeza do Cruzeiro, não foi difícil a decisão de vir para cá”.

Quando estreará?

“Estava treinando até semana passada. Jogamos o último jogo num sábado. Estou no ritmo, é só começar a treinar de novo que estarei à disposição. Só esperar o papel, a (resolução da) burocracia que preciso para estar habilitado, aí ficarei à disposição”.

Nota: Barcos jogou 22 partidas pela LDU de Quito no primeiro semestre e marcou 11 gols.

Novos companheiros

“Ontem conversei um pouquinho com cada um dos meus companheiros, tive uma recepção muito boa, calorosa. Antes de vir, conversei com vários para saber como era o grupo. Para um, é importante ter um grupo bom. Me falaram que o grupo é espetacular. Isso pude verificar ontem, ouvindo o que cada um pensa, o que cada um sabe. Você vê que o grupo é humano, muito bom. E quanto à estrutura, fiquei surpreso com a grandeza que tem, com as coisas que têm à disposição. Você só precisa se preocupar em jogar futebol, pois o suporte está à vista”.

Nota: Barcos conversou com os jogadores do elenco do Cruzeiro nessa sexta-feira, na Toca da Raposa II.

Retorno ao futebol brasileiro

“Sempre tive várias propostas do futebol brasileiro, mas pensei que não seria o momento (de retornar). E hoje, com o Cruzeiro, foi diferente. O Cruzeiro se interessou mesmo e eu fiquei muito feliz. Quando um clube se interessa, é porque quer te contratar. Estou de braços abertos e vou tentar jogar tudo que puder para devolver a confiança aplicada pelo Cruzeiro em mim”.

Nota: no Brasil, Barcos jogou no Palmeiras, pelo qual foi campeão da Copa do Brasil, e no Grêmio.

Jogar no futebol brasileiro

“O Brasil é o número 1 em visibilidade e estrutura. Qualquer clube do mundo que procura atletas, vêm para o Brasil e a Argentina. Depois vai nos outros países. Tive um ano e meio na LDU, um clube que amo muito, uma referência no Equador. Mas hoje tive essa oportunidade que eu sabia que não poderia deixar passar”.

Nota:
Barcos atuou no futebol brasileiro entre janeiro de 2012 e fevereiro de 2015

Edesio Ferreira/EM D.A Press

Elenco do Cruzeiro

“O Cruzeiro tem um grupo forte e um treinador que é referência. Para brigar pelas competições será importante. O grupo tem consciência do que está jogando. Cada um de nós dará o melhor para brigar pelas três competições. Um clube como o Cruzeiro tem que brigar por tudo que disputar”.

O que mudou das passagens de Palmeiras e Grêmio para cá?

“Tenho um pouco menos de cabelo, né?! Caiu um pouco (risos). Tenho quatro anos a mais. Mas estou bem fisicamente, venho trabalhando bastante e ganhei experiência. É o mais importante na hora de jogar essas competições. Tem que ser forte mentalmente. Talvez um jogador de 18, 20 anos não tenha a mesma força mental de um atleta de 30, 34. Vou tentar mostrar essa experiência no Cruzeiro”.

Nota: Pelo Palmeiras, Barcos marcou 31 gols em 61 jogos. No Grêmio, foram 45 em 113 partidas.

Torcida em Cruzeiro x Atlético-PR na Copa do Brasil

“Vou estar com o grupo, acompanhando, depois vendo o jogo de fora. Vou torcer para o Cruzeiro ganhar, passar de fase e eu poder também competir na Copa do Brasil. É um jogo duro, difícil, mas temos confiança em passar de fase”.

Nota: o Cruzeiro enfrentará o Atlético-PR nesta segunda-feira, às 20h, no Mineirão, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Na ida, em 16 de maio, o time celeste venceu o Furacão na Arena da Baixada, em Curitiba, por 2 a 1.

Apelido Pirata

“O apelido Pirata começou no Equador, em 2011. Eu não gostava muito, porque Pirata, para nós argentinos, é o cara que sai à noite para festas, um pirata mesmo. E eu não gostava, pois ficava em casa. Aí fica com uma imagem de festa, que eu não tinha. Então não gostei muito. Aí sai do Equador e pensei: ‘tchau, pirata’. Aqui no Brasil, outra vez veio o pirata. Não tinha o que fazer. Fui convidado para um programa, aí a Renata Fan disse para eu fazer o gesto do pirata quando fizesse um gol, então viralizou. Até hoje comemoro com o gesto. Muitas crianças e pessoas hoje continuam fazendo”.

Companheiros de ataque no Cruzeiro

“Ainda não treinei, mas pelo que vi do futebol do Cruzeiro, tem muita gente boa na frente. Isso facilita o trabalho do centroavante. Quando você tem seis ou sete chances por jogo, é mais fácil fazer gol. Vou ter um trabalho difícil, mas que será muito bom”.

Ficha do jogador

Nome: Hernán Barcos

Naturalidade: Bell Ville, Argentina

Posição: atacante

Altura: 1,89m

Clubes: Racing-ARG (2003-2004), Guaraní-PAR (2005/2006), Olmedo-EQU (2006/2007), Estrela Vermelha-SER (2007/2008), Huracán-ARG (2008), Shanghai Shenhua-CHN (2009); Shenzhen-CHN (2009); LDU de Quito-EQU (2010/2011), Palmeiras (2012/2013), Grêmio (2013/2015), Tianjin Teda-CHN (2015), Sporting-POR (2016), Vélez Sarsfield-ARG (2016), LDU de Quito-EQU (2017/2018) e Cruzeiro (desde 2018).

Seleção Argentina: 4 jogos e nenhum gol (2012)

Títulos: Recopa Sul-Americana (2010), Campeonato Equatoriano (2010) e Copa do Brasil (2012).

Prêmios:

Chuteira de Ouro da Revista Placar (2014) – 29 gols

Artilheiro da Superliga Chinesa (2009) – 17 gols

Artilheiro do Campeonato Equatoriano (2017) – 21 gols

Maior artilheiro da história da Copa Sul-Americana – 17 gols

Números por clubes:

243 gols em 527 jogos

Racing-ARG:
3 jogos e nenhum gol

Guaraní-PAR: 30 jogos e 12 gols

Olmedo-EQU: 43 jogos e 22 gols

Estrela Vermelha (Sérvia): 18 jogos e 3 gols

Huracán-ARG: 17 jogos e 3 gols

Shanghai Shenhua-CHN: 20 jogos e 6 gols

Shenzhen Ruby-CHN: 14 jogos e 14 gols

LDU de Quito-EQU: 158 jogos e 90 gols

Palmeiras: 61 jogos e 31 gols

Grêmio: 113 jogos e 45 gols

Tianjin Teda-CHN: 28 jogos e 15 gols

Sporting-POR: 8 jogos

Vélez Sarsfield-ARG: 11 jogos e 2 gol

Tags: entrevista apresentação vídeo interiormg seriea libertadores2018 copadobrasil mercadobola cruzeiro barcos