Cruzeiro

CRUZEIRO

Cruzeiro anuncia rompimento com FMF e diz que tentará anular eleição do presidente Adriano Aro

Clube celeste já estuda processo contra a Federação Mineira de Futebol

postado em 24/01/2019 16:48 / atualizado em 24/01/2019 20:02

<i>(Foto: Marcos Vieira/EM/D.A. Press)</i>

Vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado revelou nesta quinta-feira, em entrevista coletiva na Toca da Raposa II, que o Cruzeiro buscará na Justiça anular o pleito que elegeu, em outubro de 2017, Adriano Aro como presidente da Federação Mineira de Futebol. Ele disse ainda ainda que, a partir de agora, o clube celeste está rompido com a entidade máxima do futebol de Minas Gerais.

A gota d'àgua para o rompimento do Cruzeiro com a Federação Mineira de Futebol aconteceu nesta semana, depois da reunião para definir os detalhes do clássico estadual marcado para o próximo domingo, às 11h, no Mineirão. O clube celeste se mostrou favorável ao jogo com torcida dividida meio a meio, mas apontou que a FMF não intermediou da melhor forma o contato entre os rivais. Além disso, o Cruzeiro entende que “todas as decisões” da entidade prejudicam o clube.

 

“Por que a Federação não entrou no meio? Porque a Federação Mineira não intermediou (o contato entre os clubes para clássico com torcida meio a meio)? E a partir deste momento o Cruzeiro está rompido com a Federação Mineira. Inclusive, vamos estudar juridicamente, já começamos a fazer isso hoje (quinta-feira), para pedir a anulação da eleição do Adriano Aro, porque entendemos que foi ilegal. O Cruzeiro vai entrar na Justiça pedindo anulação. Tudo que se briga na Federação e na CBF, por ter esse vice-presidente (Castellar Neto) lá, o Cruzeiro perde”, justificou o dirigente.


Adriano Aro foi eleito por aclamação como presidente da Federação Mineira de Futebol em outubro de 2017. Ele era secretário-geral da entidade na gestão de Castellar Guimarães Neto, que não buscou a reeleição por “objetivos profissionais”. Meses depois, o então mandatário se tornou um dos vice-presidentes da Confederação Brasileira de Futebol. Embora tenha sido eleito no fim de 2017, Aro só tomou posse na FMF em junho de 2018.


Outro lado

Citado por Itair Machado em mais de uma ocasião, Adriano Aro foi procurado, mas não atendeu os telefonemas. Em áudio enviado pela assessoria de comunicação da Federação Mineira de Futebol, ele deu o seguinte pronunciamento.

"Recebi com muita tristeza essas declarações do Itair. Todos os pedidos que o Cruzeiro fez na minha gestão foram atendidos, não há nada que tenham me pedido que não tenha sido atendido. Sempre tratei com a maior cordialidade e respeito o presidente Wagner, o Fabiano (de Oliveira Costa, advogado celeste), o próprio Itair, toda a diretoria do Cruzeiro. È um clube pelo qual tenho muito carinho e repeito, sei da grandeza do clube e da importância dele para a Federação Mineira de Futebol. Mas o que me parece, agora, é que se alguma expectativa do Cruzeiro seja frustrada, é uma oportunidade para os dirigentes virem a público dizer que a Federação toma lado, veste camisa, que é tudo difícil, que o Cruzeiro rompe o relacionamento. E a relação assim, de fato, é muito complicada. Me parece que, fazer isso às vésperas de um clássico é querer exercer pressão sobre a FMF. E pressão deste calibre não vamos aceitar. Se o dirigente acha que houve irregularidade no processo eleitoral, que busque as autoridades, procure a Justiça, enfim, corra atrás do que entende que é devido. Tenho a mais absoluta tranquilidade e certeza que não teve nada de errado, estou muito tranquilo, acho que a atitude dele não vai sutir efeito nenhum. O que vou fazer é continuar o bom trabalho que vem sendo feito pela Federação a favor de todos os clubes, vou continaur atendnendo todos os pedidos do Cruzeiro que estiverem ao meu alcance. Mas, se o Cruzeiro acha que vou exercer pressão sobre o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-MG), aí eles estão muito enganados. Isso não vou fazer, não é do meu feitio. O que o Cruzeiro pretendia é que a Federação se intrometesse em uma decisão do Tribunal e isso seria anti-ético, imoral e ilegal da minha parte. Esse tipo de pressão a FMF não vai ceder. Vamos continuar o bom trabalho, cuidando do nosso campeonato e fazendo o que estiver ao nosso alcance pelo bem do futebol"

Tags: Federação Mineira de Futebol mineiro2019 seriea interiormg cruzeiro