Cruzeiro

Cruzeiro

Longevidade no comando: técnicos conduzem trabalhos duradouros por Cruzeiro e Lara

Mano Menezes e Leonardo González estão nos respectivos clubes desde julho de 2016

postado em 23/04/2019 09:17 / atualizado em 23/04/2019 12:58

<i>(Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro)</i>
O jogo entre Deportivo Lara e Cruzeiro, na Venezuela, pela quinta rodada do Grupo B da Copa Libertadores, colocará frente a frente dois treinadores com trabalhos duradouros. Leonardo González e Mano Menezes assumiram as equipes em julho de 2016 e, desde então, têm conquistado bons resultados. Eles se enfrentam nesta terça-feira, às 17h (de Brasília), no Estádio Metropolitano de Lara, em Cabudare.

Mano está na segunda passagem pelo Cruzeiro. A primeira durou cerca de três meses, de setembro a dezembro de 2015. Em julho de 2016, após treinar o Shandong Luneng da China, ele regressou à Toca com o objetivo de salvar o clube do rebaixamento à Série B. A missão foi alcançada com sucesso. A Raposa saltou da penúltima colocação, na 16ª rodada do Brasileiro (15 pontos), para a 12ª, ao término do campeonato (51 pontos). Na Copa do Brasil, perdeu nas semifinais para Grêmio.

Nos anos subsequentes, Mano Menezes teve oportunidade de indicar contratações e reformular o elenco. Respaldado pela diretoria, ele construiu equipes sólidas especialmente em duelos de mata-mata. Foram dois títulos consecutivos na Copa do Brasil, em 2017 e 2018, e dois no Campeonato Mineiro, em 2018 e 2019. Na Série A, a equipe cruzeirense desempenhou papel de coadjuvante: 5º em 2017, com 57 pontos, e 8º em 2018, com 53.

Em 2019, o Cruzeiro ganhou o Mineiro de maneira invicta, com 11 vitórias e cinco empates em 16 jogos. Foram 36 gols marcados e nove sofridos. Fred terminou o torneio como artilheiro, com 12 gols. Na Copa Libertadores, o time tem 100% de aproveitamento no Grupo B, com 12 pontos, e está classificado às oitavas de final com duas rodadas de antecedência. A missão é assegurar a melhor campanha geral para ser mandante nas partidas de volta dos mata-matas. De 2000 para cá, somente três equipes venceram os seis duelos da fase de grupos: Vasco, em 2001; Santos, em 2007; e Boca Juniors, em 2015.

Além dos troféus, Mano lapidou o modo de jogo de vários atletas. Antes de ser vendido ao Flamengo no início do ano, por 13 milhões de euros (R$ 55,25 milhões), Arrascaeta aprendeu a colaborar com a marcação. Lucas Romero, outrora considerado volante de contenção, adapta-se à função de ‘elemento-surpresa’ no meio-campo. Já o meia Rafinha, que divide opiniões entre os torcedores, goza de prestígio com o comandante justamente por ser um jogador aplicado taticamente e de bom condicionamento físico.

Nessa segunda-feira, o treinador de 56 anos completou 1.000 dias consecutivos no Cruzeiro. São 197 partidas desde 26 de julho de 2016, com 100 vitórias, 55 empates e 42 derrotas. Contando o período em 2015, o gaúcho tem 213 jogos (108 vitórias, 61 empates e 44 derrotas) e é o quarto que mais dirigiu a equipe, abaixo somente de Niginho (256), Levir Culpi (257) e Ilton Chaves (362).

Se cumprir o contrato até dezembro, Mano contabilizará 1.253 dias no Cruzeiro. Técnicos que também conduziram projetos em longo prazo ficaram menos tempo no clube. Campeão brasileiro em 2013 e 2014, Marcelo Oliveira comandou o elenco de 1º de janeiro de 2013 a 2 de junho de 2015 (882 dias). Adilson Batista, duas vezes campeão mineiro (2008 e 2009) e finalista da Copa Libertadores (2009), teve contrato de 1º de janeiro de 2008 a 3 de junho de 2010 (884 dias). Levir Culpi chefiou o grupo cruzeirense entre o primeiro dia de 1998 e 21 de novembro de 1999 (689 dias), enquanto Vanderlei Luxemburgo, marcado pela conquista da Tríplice Coroa em 2003 (Mineiro, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro), ficou na Toca de 13 de agosto de 2002 a 27 de fevereiro de 2004 (563 dias).

Leonardo González

<i>(Foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)</i>
Enquanto Mano jogou somente futebol amador por clubes do Rio Grande do Sul, Leonardo González, de 46 anos, teve experiência como atleta profissional entre as décadas de 1990 e 2000, atuando por Trujillanos e Caracas e fazendo parte da seleção da Venezuela nas edições de 1993, 1995 e 1997 da Copa América. O ex-zagueiro, que disputou 39 partidas com a camisa vinotinto, pendurou as chuteiras em 2010, quando deu sequência à trajetória no mundo da bola na função de assistente. Em 2014, consolidou o primeiro trabalho como técnico no Deportivo La Guaira, pelo qual faturou duas edições da Copa Venezuela, em 2014 e 2015. Em 31 de julho de 2016, foi contratado pelo Deportivo Lara, que se mantém nas “cabeças” do futebol no país. Com ele, a equipe celebrou o bi consecutivo do Torneio Apertura e o vice geral do Campeonato Venezuelano em 2017 e 2018.

Por causa da diferença entre os calendários do futebol brasileiro e da Venezuela, Leo González tem 130 jogos no comando do Lara, 67 a menos que Mano na segunda passagem pelo Cruzeiro. Segundo dados disponibilizados pelo site Ogol, são 54 vitórias, 39 empates e 37 derrotas, com 155 gols marcados e 133 sofridos.

Na Libertadores de 2019, o Deportivo Lara fez jogos parelhos contra Emelec (empates por 0 a 0, em casa, e 2 a 2, fora) e venceu o Huracán por 2 a 1, como mandante. Diante do Cruzeiro, o time venezuelano ficou bem postado na marcação e só levou o segundo gol da derrota por 2 a 0, no Mineirão, em finalização do volante Jadson no último lance da partida, aos 50min da etapa final.

O cumprimento das orientações de Leonardo González rendeu à equipe a segunda colocação do Grupo B, com cinco pontos. Ainda que não vença o Cruzeiro na Venezuela, o Deportivo Lara seguirá com chances de classificação inédita às oitavas de final. O último compromisso pelo Grupo B será contra o Huracán, na Argentina.

Mano Menezes no Cruzeiro

Desde 26 de julho de 2016 (1.001 dias)

213 jogos

108 vitórias

61 empates

44 derrotas

315 gols marcados

177 gols sofridos

Títulos: Copa do Brasil, em 2017 e 2018, e Campeonato Mineiro, em 2018 e 2019

Leonardo González no Deportivo Lara

Período: desde 31 de julho de 2016 (996 dias)

130 jogos

54 vitórias

39 empates

37 derrotas

155 gols marcados

133 gols sofridos

Vice-campeão venezuelano em 2017 e 2018

Tags: Copa Libertadores Deportivo Lara cruzeiroec seriea nacional