Cruzeiro

CRUZEIRO

TAS mantém decisão da Fifa e sentencia Cruzeiro a pagar Defensor pela compra de Arrascaeta

Clube foi notificado no último dia 9 e terá de quitar dívida de cerca de R$ 5 milhões

postado em 30/04/2019 16:35 / atualizado em 30/04/2019 19:56

<i>(Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)</i>
O Cruzeiro recebeu, no último dia 9, mais uma decisão que o obriga a quitar dívida com o Defensor-URU pela compra do meia Arrascaeta, feita em janeiro de 2015. Desta vez, a determinação partiu do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), entidade que manteve a deliberação dada inicialmente pela Fifa em 29 de agosto de 2017. Segundo o novo documento, obtido pelo Superesportes, o clube celeste precisará desembolsar 1,151 milhão de euros (R$5.064.745) ou recorrer ao Superior Tribunal de Justiça da Suíça – última instância neste caso.

Em 2015, o acordo entre os clubes previa o pagamento, por parte do Cruzeiro, de 2 milhões de euros à vista e mais 29 parcelas de 70 mil euros ao Defensor pela compra de Arrascaeta. O clube celeste, no entanto, deixou de pagar 15 dessas prestações, acumulando débito de 1,05 milhão de euros (R$4.620.315). O montante aumentou com inclusão de multas e correções monetárias. Desde que assumiu o Cruzeiro, a gestão encabeçada pelo presidente Wagner Pires de Sá ainda buscou negociar com representantes do Defensor o valor total. Nenhuma proposta, porém, agradou aos uruguaios. 

De acordo com advogados especializados em direito desportivo ouvidos pela reportagem, caso o Cruzeiro não recorra ao Superior Tribunal de Justiça da Suíça e também não realize o pagamento, um processo disciplinar será aberto pela Fifa. São três sanções possíveis: inicialmente aplicação de  multa, seguido da possibilidade de o clube perder pontos no Campeonato Brasileiro e, por fim, a mais séria delas, o rebaixamento para a Série B do torneio nacional.

Ainda conforme apurou a reportagem, praticamente não há mais espaço para negociações diretamente com o Defensor. A gota d'água teria sido a negociação de Arrascaeta com o Flamengo. Embora o Cruzeiro tenha conseguido cerca de R$ 55,2 milhões pela venda do camisa 10 ao rubro-negro, nenhum movimento foi feito ao clube estrangeiro para quitação definitiva da dívida. Isso, de alguma forma, revoltou os dirigentes uruguaios.

Procurado pela reportagem, o advogado que representa o Cruzeiro nas ações internacionais, Breno Tannuri, garantiu que o fim do processo ainda poderá durar até dois anos. “Tenho uma série de instâncias para recorrer. A Suprema Corte da Suíça, depois vira um processo de execução e posso recorrer também, enfim. Eu acho que esse é um processo que ainda pode demorar um ano e meio ou dois anos”, afirmou. 

Entenda o caso

Destaque do Defensor do Uruguai na Copa Libertadores de 2014, Arrascaeta foi comprado pelo Cruzeiro por 4 milhões de euros (cerca de R$12 milhões por 50% dos direitos econômicos) em janeiro de 2015. O empresário Pedro Lourenço, dono do Supermercados BH, emprestou ao clube 50% do valor, que foi repassada de imediato aos uruguaios. A outra metade, conforme explicado à época pelo então gerente de futebol Valdir Barbosa, seria paga em 29 parcelas de 70 mil euros. Em função desse atraso, o Defensor recorreu à Fifa para tentar receber o dinheiro. 

Tags: cruzeiro interiormg seriea arrascaeta flamengorj mercadobola defensor futinternacional