Cruzeiro

CRUZEIRO

Redução da folha salarial e base 'terceirizada': Perrella revela ideias para o Cruzeiro em 2020

Novo gestor do futebol do clube usou como exemplo Athletico-PR e Bahia

postado em 12/10/2019 06:00 / atualizado em 11/10/2019 19:56

<i>(Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press)</i>
Presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro e novo gestor do futebol, Zezé Perrella projetou, durante sua apresentação, ideias para o clube já pensando em 2020. Ele pontuou a importância de reduzir a folha salarial e usou como exemplo as gestões feitas pelas direções de Athletico-PR e Bahia.

Acho que dá para você, com inteligência e tudo, montar um elenco mais barato e qualificado. Prova disso é o Athletico-PR. Não sei qual é a folha, mas deve ser metade da nossa. O próprio Bahia, em posição inferior, tem elenco mais barato. Sabemos que não montaremos grande time com salários baixos, mas tenho comigo que dá pra reduzir”, analisou.

Zezé Perrella garante que não será candidato à presidência do Cruzeiro na eleição que deverá ser antecipada para 16 de dezembro deste ano. Inicialmente, ele também descarta ocupar um cargo na próxima administração. A tendência é que o pleito tenha o empresário Pedro Lourenço, dono da rede Supermercados BH, como candidato único. Seu filho será assessor direto de Perrella já em 2019.

Base

Outra ideia do ex-senador para o futuro do Cruzeiro é voltada para as categorias de base. Ele relembrou de sua época como presidente do clube, 1995 a 2002, e 2009 a 2001, quando ‘terceirizou’ as divisões inferiores da equipe ao Itaúna, clube do interior de Minas Gerais. 

“Temos de fazer trabalho nas categorias de base, pois não vislumbro ninguém com capacidade em curto prazo de fazer dinheiro com esses atletas. Estou sugerindo para o ano que vem, para quem ficar no meu lugar, que trabalhemos com três categorias só. Podemos terceirizar as categorias menores. O trabalho que fiz com o Itaúna naquela época gerou muito resultado. O Cruzeiro gastava 30 mil reais por mês. Então podemos fazer convênios com clubes do interior”, projetou.

Naquela oportunidade, entre 2007 e 2008, Perrella contratou Newton Motta para dirigir a base e iniciou um processo de intercâmbio de jogadores com o Itaúna. Entre os mais conhecidos, o atacante Anselmo Ramon foi um dos jogadores revelados pelo clube do interior mineiro. 

Nós gastamos hoje 18 milhões com categoria de base, e acho que isso é inviável. Em cinco anos você gasta… e o que acontece? Você tem que comprar o jogador pra própria base. Acho que temos de rever isso aí, trabalhar com infantil, juvenil e júnior - ou só juvenil e júnior -  e deixar as demais categorias terceirizadas. Poderíamos economizar 9 milhões por ano”, finalizou.

Atualmente, as categorias de base do Cruzeiro são coordenadas pelo diretor Amarildo Ribeiro, homem de confiança do ex-vice-presidente de futebol, Itair Machado. Não há informação sobre a saída desse profissional. Ainda fazem parte do organograma o superintendente Guilherme Cruz, o gerente Wilmer Mendes - filho do ex-presidente do Conselho Deliberativo, Wilmer Santa Luzia -,  e o diretor administrativo Quintiliano Lemos - sobinho do vice-presidente Hermínio Lemos.

Tags: cruzeiro interiormg seriea futnacional perrella