Cruzeiro

CRUZEIRO

Coincidências do Brasileiro de 1991 com o atual dão esperança ao torcedor do Cruzeiro na luta contra o rebaixamento

Naquele ano, clube celeste chegou à última rodada com risco de ser rebaixado. Botafogo derrotou o time que caiu

postado em 06/12/2019 16:00 / atualizado em 06/12/2019 17:27

(Foto: Paulo de Deus/EM. Brasil)

Ao torcedor celeste que se apaga ao passado, vale a pena se atentar ao ano de 1991. Naquela ocasião, o Cruzeiro chegou à última rodada do Campeonato Brasileiro para enfrentar o Palmeiras correndo risco de ser rebaixado. A Raposa venceu e se livrou da queda. Quem caiu para a Série B foi o Grêmio, que perdeu para o Botafogo, no Rio de Janeiro. Um empate salvaria a equipe gaúcha.

Esse enredo lembra muito a temporada atual. Uma diferença significativa é o fato de o Cruzeiro agora figurar na zona de rebaixamento e não contar apenas com suas forças. Desta vez, o time de Adilson Batista tem que vencer o Palmeiras no Mineirão e torcer para o Botafogo bater o Ceará no Engenhão – clique aqui e confira a tabela. Os jogos serão disputados no domingo, às 16h.

Em 1991, o Cruzeiro chegou à rodada derradeira do Brasileiro fora da zona da degola. Naquela época, apenas os dois últimos eram rebaixados. A Raposa estava no 17º posto, com 14 pontos. Apareciam atrás na tabela Grêmio (13), Vitória (12) e Sport (11).

Em jogo disputado no Independência, o Cruzeiro venceu o Verdão por 2 a 0. Os gols foram marcados por dois ídolos do clube: o lateral-esquerdo Nonato e o meia Boiadeiro. Outra curiosidade é a presença de Adilson Batista. Ele formava a dupla de zaga com Paulão. Hoje, ele é o responsável por armar o time que pode se safar da queda.

Com o triunfo no Horto, o Cruzeiro foi a 16 pontos e atingiu a 16ª posição, exatamente o posto que o time precisa neste ano - a vitória valia dois pontos até 1994. O clube que acabou caindo foi o Grêmio. O Tricolor enfrentou o Botafogo no Rio de Janeiro, no antigo estádio Caio Martins, e foi batido por 3 a 1, caindo para a 19ª posição, já que o Sport venceu o Flamengo (2 a 1), na Ilha do Retiro. Mais uma vez, os cruzeirenses vão torcer para o Fogão.

Aquela foi a grande prova de fogo do Cruzeiro. O Campeonato Brasileiro terminou no meio do ano. No segundo semestre, aquele time chegou com força à Supercopa. Eliminou Colo Colo, Nacional e Olimpia. Na decisão, enfrentou o River Plate. Perdeu no Monumental de Núñez por 2 a 0, mas venceu no Mineirão por 3 a 0 e ficou com o caneco.

Cruzeiro 2 x 0 Palmeiras


Cruzeiro
Pereira; Paulão, Adilson Batista, Balu; Nonato, Boiadeiro, Luís Fernando Flores, Rogério Lage, Marcinho (Quirino), Charles e Paulinho
Técnico: Pedro Pires de Toledo

Palmeiras
Velloso; Toninho, Eduardo Paulista (Aguirregaray), Odair, Biro, Galeano (Lima), Betinho, Ranielli, Jorginho Cantinflas, Dorival Júnior e Edvaldo
Técnico: Carpegiani

Gols: Nonato e Boiadeiro
Motivo: Última rodada do Campeonato Brasileiro de 1991
Estádio: Independência

Botafogo 3 x 1 Grêmio


Botafogo
Ricardo Cruz; De León, André, Jefferson, Paulo Roberto, Pingo, Carlos Alberto Dias, Juninho, Vivinho (Renato Martins), Valdeir (Bujica) e Pichetti.
Técnico: Valdir Barbosa
 
Grêmio
Gomes; Vilson, João Marcelo, Chiquinho, Hélcio, Jandir, Caio, João Antônio (Nílson), Donizete Oliveira (Darci), Maurício e Nando
Técnico: Dino Sani

Gols:
Bujica e Pichetti (2 gols) (Botafogo) e Chiquinho (Grêmio)
Motivo:
Última rodada do Campeonato Brasileiro de 1991
Estádio: Caio Martins

Tags: botafogo raposa rebaixamento cruzeiroec 1991 seriea