Cruzeiro
1

CRUZEIRO

Após vexame na Copa do Brasil, torcida do Cruzeiro xinga jogadores e técnico Adilson Batista

Cobranças foram acirradas no acesso aos vestiários

postado em 12/03/2020 00:00 / atualizado em 12/03/2020 01:46

(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D. A Press)
A derrota por 2 a 0 para o CRB de Alagoas nesta quarta-feira, no Mineirão, em jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, gerou ira da torcida do Cruzeiro e cantos de “time sem vergonha” depois do apito final do árbitro Sávio Pereira Sampaio (DF). As cobranças se acirraram no trajeto de jogadores e do técnico Adilson Batista rumo ao vestiário. Houve xingamentos de forma generalizada.


As perseguições da torcida a alguns jogadores começaram no primeiro tempo. O lateral-esquerdo João Lucas era apupado sempre que tocava na bola. Sem clima para continuar em campo, ele foi substituído no intervalo por Rafael Santos. Também apagado, Everton Felipe deu lugar a Robinho.

Na etapa final, logo depois do segundo gol do CRB, as vaias passaram a ser dirigidas ao volante Machado e ao lateral-direito Edilson.

Ao fim do jogo, o Mineirão foi tomado por fortes vaias. Na saída do campo, jogadores e o técnico Adilson Batista foram xingados por torcedores que se aglomeraram sobre o túnel de acesso aos vestiários. 

Em sua entrevista coletiva, Adilson Batista rebateu os cânticos de time sem vergonha ao declarar que quem deveria ter vergonha eram "as pessoas que colocaram o clube nessa situação". Ele se referia ao presidente Wagner Pires de Sá e sua diretoria, que renunciaram no fim de 2019.



Em dado momento, ao ser perguntado se corria o risco de ser demitido, ele rebateu: “Você está me derrubando já? Não sei, tem que perguntar para quem está gerindo. Eu tenho consciência que estou fazendo o meu melhor”.



Tags: cruzeiro vaias copadobrasil crbal