Cruzeiro

CRUZEIRO

MP volta a se pronunciar e pede condenação de ex-dirigentes do Cruzeiro

Ministério Público se posicionou nas redes sociais na tarde desta quinta-feira

postado em 04/03/2021 14:07 / atualizado em 04/03/2021 14:51

(Foto: Túlio Santos/EM D.A Press)

O Ministério Público de Minas Gerais voltou a se pronunciar nesta quinta-feira sobre o caso envolvendo ex-dirigentes do Cruzeiro. Nas redes sociais, o MPMG disse que espera que todos os denunciados sejam condenados.

"O MPMG denunciou em outubro o ex-presidente do Cruzeiro, o ex-vice-presidente de futebol, o ex-diretor-geral, um ex-assessor de futebol do clube, três empresários, o ex-presidente do Ipatinga Futebol Clube (IFC) e o pai de um atleta das categorias de base do clube", disse o MP, em nota.

"A denúncia narra crimes de lavagem de dinheiro, apropriação indébita, falsidade ideológica e formação de organização criminosa. Cabe agora à Justiça prosseguir com a ação penal. O MPMG espera que todos os denunciados sejam condenados", acrescentou.

No dia 11 de novembro, a Justiça aceitou a denúncia oferecida pelo Ministério Público de Minas Gerais contra integrantes da antiga diretoria do Cruzeiro. O ex-presidente Wagner Pires de Sá, o ex-vice-presidente de futebol Itair Machado e o ex-diretor-geral Sérgio Nonato vão responder por até quatro crimes: lavagem de dinheiro, apropriação indébita, falsidade ideológica e organização criminosa. Segundo o MPMG, o rombo nos cofres do clube na gestão de 2018/2019 foi estimado em R$ 6,5 milhões.

Além de Machado, Pires de Sá e Nonato, tornaram-se réus o ex-assessor de futebol Fabrício Visacro (cunhado de Itair); os empresários Wagner Cruz, Carlinhos Sabiá e Cristiano Richard dos Santos Machado; o ex-presidente do Ipatinga, Cristiano Polastri Araújo; e Ivo Gonçalves, pai do adolescente Estevão William, de 12 anos, considerado uma das grandes promessas das categorias de base da Raposa.

Nesta semana, a torcida do Cruzeiro intensificou a cobrança nas redes sociais depois da prisão de um ex-presidente do Barcelona, na Espanha, na última segunda-feira.

A polícia da Catalunha prendeu Josep Maria Bartomeu por suspeita de seu envolvimento no caso conhecido como 'Barçagate', investigação sobre uma empresa contratada pelo clube para supostamente realizar campanhas de difamação nas redes sociais contra jogadores e dirigentes contrários à gestão do ex-cartola.

Contudo, Bartomeu já foi solto e responderá em liberdade.


Saiba os crimes que cada um dos denunciados vai responder:


Wagner Pires de Sá - falsidade ideológica, apropriação indébita e formação de organização criminosa

Itair Machado -  lavagem de dinheiro, apropriação indébita, falsidade ideológica e formação de organização criminosa

Sérgio Nonato - organização criminosa e apropriação indébita

Empresários Wagner Cruz, Carlinhos Sabiá e Cristiano Richard - acusados de integrar organização criminosa e apropriação indébita, sendo que dois deles ainda responderão por lavagem de dinheiro

Ivo Gonçalves - falsidade ideológica

Cristiano Araújo - lavagem de dinheiro

Fabrício Visacro -
apropriação indébita