Cruzeiro

CRUZEIRO

Cruzeiro: Conceição quer adaptar Matheus Barbosa à função de 'box to box'

Técnico acredita que volante tem potencial para defender e atacar com intensidade

postado em 03/04/2021 07:00 / atualizado em 03/04/2021 10:32

(Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Traduzido literalmente para o português, o termo em inglês box to box (às vezes escrito box-to-box, com hífen) significa “caixa a caixa”. No futebol, trata-se de uma função na qual um jogador vai de uma área até a outra, defendendo e atacando com a mesma intensidade. No Cruzeiro, Felipe Conceição quer adaptar Matheus Barbosa a esse modelo. O técnico acredita que o meio-campista tem características ideais para a posição: vigor físico, passadas largas, velocidade e qualidade técnica.

“Ele tem potencial para fazer o que a gente chama de box to box”, avaliou Conceição, em entrevista ao Superesportes. “Vejo nele as características de ser um cara que pise na área e consiga defender, como outros meias que cumprem essa função. É um cara que tem se dedicado muito, tem bastante qualidade técnica, uma passada larga muito boa. Não tenho dúvidas do potencial dele e de onde ele pode chegar”, complementou.


Felipe ressaltou que o processo requer repetição, insistência e, sobretudo, paciência. Afinal, Matheus Barbosa costumava ser volante de contenção em seus clubes anteriores (Cuiabá e Avaí). Vale destacar ainda que ele começou a carreira no Grêmio como zagueiro, a ponto de formar dupla com Marquinhos, do Paris Saint-Germain, na Seleção Brasileira Sub-17.

“Estou aproveitando essa qualidade dele para utilizá-lo um pouco mais adiantado, aproveitando o potencial que ele tem de passada larga, de volume de movimentos em longo espaço, de poder pisar na área do adversário e estar na nossa área defendendo. Lógico que requer uma adaptação, mas qualidade, potencial e genética para fazer essa função ele tem e está crescendo a cada dia”, frisou o treinador do Cruzeiro.

Barbosa esteve em campo nas sete partidas da Raposa na temporada 2021. Em seis, foi titular. Na quinta-feira, ele por pouco não balançou a rede do Tombense, em duelo pela sexta rodada do Mineiro. Após falha do volante Pablo, o camisa 17 cruzeirense dividiu a bola na grande área e finalizou na trave. Foi o lance mais perigoso da equipe, que decepcionou ao empatar por 0 a 0, no Mineirão.

Juninho é exemplo


Um bom exemplo das pretensões de Conceição para Matheus Barbosa no Cruzeiro é Juninho, do América. Em 2019, Felipe treinou o Coelho e contribuiu para a evolução do volante, que passou a atuar como uma espécie de meia-direita, em vez de ficar limitado à marcação. Em 38 rodadas na Série B, o camisa 8 marcou cinco gols e deu três assistências. Defensivamente, foi o quarto que mais desarmou no elenco, com 53 intervenções, de acordo com as estatísticas do SofaScore.

“Antes de a gente assumir o América, o Juninho era um segundo volante, às vezes um lateral-direito, às vezes lateral-esquerdo. A gente o colocou nessa função, e ele teve as mesmas dificuldades no início do processo. Só que a gente vê e repara as características do atleta e sabe que com o tempo ele tem capacidade de realizar boas atuações e até se destacar. Assim é o Matheus”.

Conceição ficou notabilizado por tirar o América da zona de rebaixamento da Série B e quase conquistar o acesso - saiu da penúltima posição, na nona rodada (5 pontos), para a quinta, na 38ª (61 pontos). Ele encaixou o time com um meio-campo formado por Zé Ricardo ao centro, Juninho pela direita e Willian Maranhão na esquerda. O ataque tinha Matheusinho, Felipe Azevedo e Júnior Viçosa.

“Lembro-me do início do processo no América: eu jogava com Zé Ricardo, Juninho e Maranhão. Também havia questionamentos de que faltava um meia para pisar na área ou de definição. Minha maneira de jogar é que todos ataquem e todos defendam. É um processo natural”.

No Cruzeiro, Conceição vem apostando em Adriano, Matheus Barbosa e Marcinho para o meio-campo. Nos próximos jogos, ele deve promover a entrada de Rômulo, que se destacou na posição no futebol italiano, onde defendeu Fiorentina, Verona, Juventus, Genoa, Lazio e Brescia.

Em nove anos na Itália, Rômulo disputou 218 jogos oficiais, marcou 17 gols e deu 34 assistências, conforme os sites Transfermarkt e OGol. As estatísticas contemplam Série A, Série B e Copa nacional. O time pelo qual o volante alcançou os melhores números foi o Verona: 13 gols e 26 assistências em 124 apresentações.

Assista à entrevista exclusiva do técnico Felipe Conceição ao Superesportes

Tags: técnico volante Cruzeiro interiormg futnacional Felipe Conceição Matheus Barbosa