Cruzeiro

CRUZEIRO

Conselho do Cruzeiro aprova contas de 2020 com déficit de R$226,5 milhões

Reunião virtual contou com a participação de 80 conselheiros

postado em 29/04/2021 19:30 / atualizado em 29/04/2021 20:48

(Foto: Divulgação/Cruzeiro)
O Cruzeiro informou que teve as contas de 2020 aprovadas pelo Conselho Deliberativo em reunião por videoconferência nesta quinta-feira. De acordo com o clube, apenas um dos 80 conselheiros participantes da sessão virtual se manifestou de forma contrária ao balanço, porém fora do prazo estipulado no edital de convocação. A Raposa contabilizou déficit de R$226,5 milhões e fechou a dívida total em R$897 milhões.

A reunião foi conduzida pelo presidente do Conselho, Nagib Geraldo Simões, que esteve ao lado de seu vice, Maurício Marques da Silva, e do primeiro e segundo secretários, Marcus Edmundo Lambertucci e Evandro de Carvalho. O presidente do clube, Sérgio Santos Rodrigues, participou de maneira remota, enquanto o vice, Lidson Potsch Magalhães, compareceu ao evento.

Na última sexta-feira (23), o Superesportes publicou alguns números das contas do Cruzeiro. A gestão de Sérgio Rodrigues tratou como “superávit de R$33 milhões” a redução do déficit de R$259,2 milhões, em maio, para R$226,5 milhões, em dezembro. Esse saldo corresponde ao período de atuação do mandatário, que tomou posse na presidência em 1º de junho de 2020.

O principal ponto para a redução do prejuízo foi o acordo de parcelamento de tributos com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. A dívida ativa de R$334,1 milhões caiu para R$182,3 milhões - o que representa uma economia de quase R$152 milhões. Além disso, o pagamento será feito em 145 meses contados a partir de outubro de 2020.

O Cruzeiro ainda renegociou prazos de empréstimos bancários e ganhou fôlego para liquidá-los no curto prazo, despencando de R$65,6 milhões, em 2019, para R$14,4 milhões, em 2020. Por outro lado, a direção terá de administrar um crescimento em obrigações trabalhistas e sociais do passivo circulante - de R$81,7 milhões para R$90,8 milhões. O campo "contas a pagar" também apresenta cifras vultosas: R$136,3 milhões.

Nas despesas, o custo com futebol caiu de R$438 milhões, em 2019, para R$250 milhões, em 2020 (43%) -, porém ficou acima de 2017, quando a Raposa se sagrou pentacampeã da Copa do Brasil - R$245 milhões. Chamou a atenção o aumento de R$36,4 milhões em "acordos e indenizações" (de R$16,8 milhões para R$53,2 milhões), em função da necessidade das rescisões de jogadores após o rebaixamento da equipe no fim de 2019. 

“O clube vem buscando reduzir despesas do departamento de futebol. Sabemos que para criar um time competitivo para ter possibilidade de buscar posições expressivas nas tabelas das competições é necessário investir, porém investir com consciência é um dos pilares do clube”, diz uma nota explicativa do balanço.

Últimos 5 anos:

2016 - R$ 193 milhões
2017 - R$ 245 milhões
2018 - R$ 306 milhões
2019 - R$ 438 milhões
2020 - R$ 250 milhões

No quesito dívida, o clube salientou a redução das obrigações em curto prazo, caindo 77% do valor total, em 2019, para 36,5%, em 2020. Da pendência de R$897 milhões, R$312 milhões fazem parte do "passivo circulante", com até 12 meses para quitação, e R$585 milhões compõem o "passivo não circulante", com vencimento superior a um ano.

Passivo circulante do Cruzeiro

Total
R$609 milhões em 2019
R$312 milhões em 2020

Fornecedores
R$15,5 milhões em 2019
R$11,3 milhões em 2020

Empréstimos e financiamentos
R$65,6 milhões em 2019
R$14,4 milhões em 2020

Obrigações trabalhistas e sociais
R$81,7 milhões em 2019
R$90,8 milhões em 2020

Obrigações fiscais correntes
R$49,8 milhões em 2019
R$16,3 milhões em 2020

Obrigações fiscais e sociais parceladas
R$246,8 milhões em 2019
R$39,3 milhões em 2020

Contas a pagar
R$148,1 milhões em 2019
R$136,3 milhões em 2020

Outras contas a pagar
R$ 1,5 milhão em 2019
R$3,1 milhões em 2020

Passivo não circulante do Cruzeiro
 
Total
R$195 milhões em 2019
R$585 milhões em 2020

Empréstimos e financiamentos
R$76,6 milhões em 2019
R$113,8 milhões em 2020

Obrigações trabalhistas e sociais
R$953 mil em 2019
R$72,6 milhões em 2020

Obrigações trabalhistas e sociais parceladas
R$24,4 milhões em 2019
R$178,2 milhões em 2020

Contas a pagar
R$46,8 milhões em 2019
R$62,4 milhões em 2020

Provisão para contingência
R$45,7 milhões em 2019
R$158,2 milhões em 2020

Em relação às receitas, o Cruzeiro faturou R$118,8 milhões líquidos em 2020, 57,7% a menos que os R$280,8 milhões em 2019. A baixa expressiva se deve à queda à segunda divisão do Campeonato Brasileiro, que impactou drasticamente em cotas de televisão - de R$102,5 milhões para R$40,3 milhões - e vendas de direitos econômicos - de R$108 milhões para R$23,45 milhões.


A pandemia de COVID-19 minou o ganho com bilheteria, uma vez que os estádios não recebem público há mais de um ano devido ao risco sanitário provocado por aglomerações. Assim, o Cruzeiro embolsou pouco mais de R$1 milhão em venda de ingressos, ante R$18,5 milhões em 2019.

Em compensação, o sócio-torcedor se manteve fiel ao programa, proporcionando arrecadação de R$11,8 milhões, relativamente próxima aos R$14,12 milhões do ano passado. Em patrocínios/royalties, o Cruzeiro obteve R$33,7 milhões em 2020, valor superior aos R$27,34 milhões de 2019.

“As receitas do clube tiveram uma redução no montante de R$166 milhões em relação ao ano anterior de 2019. Essas quedas ocorreram nas rubricas de venda dos direitos televisivos e venda de direitos econômicos, em função do descenso à Série B, além da queda expressiva das bilheteiras de jogos e clubes sociais em função da pandemia. O clube vem buscando outras formas de receitas usando estratégias de marketing em ações de monetização e engajamento, além da busca de novos clientes”.

Outras receitas
R$6,731 milhões em 2019
R$5,698 milhões em 2020

Associados / escolinhas
R$11,538 milhões em 2019
R$7,14 milhões em 2020

Sócio-torcedor
R$14,12 milhões em 2019
R$ 11,8 milhões em 2020

Bilheteria
R$18,516 milhões em 2019
R$1,042 milhão em 2020

Patrocínios / Royaties
R$27,34 milhões em 2019
R$33,753 milhões em 2020

Publicidade e transmissões de TV
R$102,596 mi em 2019
R$40,377 mi em 2020

Direitos econômicos (vendas) e cessões de atletas
R$108,109 milhões em 2019
R$23,453 milhões em 2020

Tags: Cruzeiro reunião patrimônio balanço interiormg futnacional Conselho Deliberativo Sérgio Rodrigues