Cruzeiro

CRUZEIRO

Cruzeiro pode embolsar R$ 40 milhões com desapropriação de sede

Cessão de imóvel ao Ministério Público dará boa receita ao clube

postado em 05/05/2021 23:43

(Foto: Arquivo EM/DAPress)

Em dificuldade financeira, o Cruzeiro pode ter um grande alívio no caixa para o restante da temporada. De acordo com informações do programa Bastidores, da Rádio Itatiaia, o prédio da sede administrativa do clube, no Barro Preto, será desapropriado para uso do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que pagará R$ 40 milhões pelo imóvel.

Segundo o repórter João Vitor Xavier, que divulgou a informação na Rádio Itatiaia, o MP pretende utilizar o prédio para instalação de um órgão que atuará na investigação e no combate a casos de corrupção, crime organizado e lavagem de dinheiro. Com a desapropriação, os letreiros afixados na fachada do imóvel, 'Cruzeiro Esporte Clube' e 'Sede Administrativa Presidente Zezé Perrella', seriam removidos.

O procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Jarbas Soares, se manifestou sobre a desapropriação da sede administrativa do Cruzeiro pelo MP. Ele admitiu que o prédio do Cruzeiro no Barro Preto é uma opção para a instalação da nova sede do órgão. 

"Quanto à notícia divulgada - aquisição da sede do Cruzeiro -, informo que o MP procura, sim, imóvelpara seu novo órgão de investigação do dinheiro público desviado, inclusive para locação. Há inúmeras opções. A do Barro Preto será possível se também for bom para o Cruzeiro", escreveu o magistrado no Twitter. 



Na noite desta quarta-feira, o Cruzeiro soltou nota sobre o assunto. O clube, que em fevereiro passado transferiu o setor administrativo do Barro Preto para a WeWork, empresa de coworking (espaço compartilhado) localizada no Boulevard Shopping, na Região Centro-Sul de BH, calculou que a economia com a desativação do prédio seria de R$ 2 milhões por ano. 

Na nota oficial, o Cruzeiro alegou que a mudança da sede administrativa sempre teve como objetivo diminuir as despesas do clube. A diretoria, no entanto, garantiu que ainda não há uma definição sobre eventual desapropriação do imóvel para uso do Ministério Público de Minas Gerais. 

"É público que a diretoria do Cruzeiro não tem medido esforços para cortar gastos e buscar novas receitas, com o intuito de oxigenar a saúde financeira do Clube."

"Além de significar uma economia importante para a instituição, a mudança da Sede Administrativa sempre teve entre seus objetivos a oportunidade de rentabilização para os cofres do Cruzeiro, seja em modelo de locação ou de venda, condicionada neste último caso (venda) à apreciação e aprovação do Conselho Deliberativo.

A diretoria tem estudado de forma responsável e minuciosa diversas propostas e consultas realizadas, mas ressalta que ainda não há uma definição."

Tags: cruzeiro sede desapropriação barro preto Ministério Público de Minas Gerais interiormg R$ 40 milhões