Futebol Internacional

FUTEBOL INGLÊS

Chelsea recorre à CAS contra proibição de realizar contratações por um ano

Clube inglês apresentou recurso à Corte Arbitral do Esporte

postado em 07/06/2019 12:39 / atualizado em 07/06/2019 12:39

<i>(Foto: AFP / Yuri KADOBNOV)</i>
O Chelsea interpôs um recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) contra a proibição de realizar contratações por um ano, imposta pela Fifa para quebrar as regras de transferência de jovens jogadores.

O tribunal confirmou o recebimento do recurso, que já era esperado, acrescentando que "não é possível dizer neste momento" quando deverá ser apresentado o seu veredicto. A CAS, porém, sugeriu que sua comissão de juízes pode tomar uma decisão sem uma audiência formal, se baseando nos argumentos apresentados em documentos escritos pelas partes envolvidas no caso.

O Chelsea não pediu um congelamento urgente da suspensão, o que permitiria ao clube contratar e registrar jogadores durante a janela de transferências que antecederá o começo da temporada 2019/2020 do futebol europeu.

Sem uma decisão provisória, o Chelsea não pode registrar nenhum novo jogador que contratado, ainda que exista a possibilidade de encher os seus cofres nas próximas semanas com a esperada venda do meia belga Eden Hazard para o Real Madrid, em transferência que deve girar em torno dos US$ 130 milhões (aproximadamente R$ 500 milhões).

A Fifa considerou o Chelsea culpado por ter cometido violações às regras de transferências destinadas a proteger jogadores menores de idade em 29 casos. A entidade afirma que clubes não podem contratar estrangeiros com menos de 18 anos, exceto nos casos em que os pais dos atletas se mudem para o país de destino por motivos não ligados ao futebol - ou nas situações em que clube e jogadores estão a menos de 50 quilômetros da fronteira do país de origem do jovem.

A exceção da entidade também se aplica para transferências de atletas entre 16 e 18 anos feitas dentro da União Europeia. O argumento do Chelsea é que, de todos os jogadores apontados, somente alguns assinaram contratos com o clube, sendo que outros passaram apenas por testes.

 


Confira o comunicado na íntegra:

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) registrou recurso interposto pelo Chelsea Football Club Ltd (CFC) contra a Federação Internacional de Futebol (FIFA). O apelo é dirigido contra a decisão do Comitê de Apelação da FIFA, de 11 de abril de 2019, em que o CFC foi declarado responsável por violações dos Regulamentos da FIFA sobre o Status e Transferência de Jogadores e proibidos de registrar novos jogadores, nacional e internacionalmente, por dois inteiros e consecutivos períodos de registro, multado em 600 mil francos suíços, emitido com uma reprimenda e advertido sobre sua conduta futura.

De um modo geral, os procedimentos de arbitragem de recurso do CAS envolvem uma troca de submissões por escrito entre as partes, enquanto um painel de árbitros do CAS estiver sendo convocado para ouvir a apelação. Uma vez que o Painel seja formalmente constituído, emite instruções processuais, incluindo, inter alia, para a realização de uma audiência. Após a audiência, se uma delas for realizada (um painel do CAS também pode emitir uma decisão com base apenas nas observações escritas das partes), o Painel delibera e, em seguida, emite sua decisão 
a forma de um Arbitral Award.

Não é possível dizer neste momento quando o Arbitral Award será emitido. A CAS não fornecerá mais nenhuma informação em relação a este procedimento, exceto para emitir uma Divulgação anunciando a decisão do painel.

 

Tags: contratar proibido chelsea selefut futinternacional