MMA
1

UFC

Brasiliense tenta manter invencibilidade no UFC e almeja cinturão das pesos moscas

Viviane Araújo está invicta há mais de dois anos. A ceilandense de 33 anos é a sensação da categoria

postado em 13/12/2019 12:41 / atualizado em 14/12/2019 22:02

(Foto: MAURO PIMENTEL)
Com apenas uma derrota em oito lutas, Viviane Araújo, ou Vivi, é um dos destaques recentes do UFC. Na quinta colocação do peso mosca feminino, Viviane pode alçar voos mais altos caso vença a norte americana Jessica Eye (14-7) na noite de hoje. No seu último confronto, no UFC 240 no Canadá, Vivi bateu a dona da casa Alexis Davis por decisão unânime. Hoje, Amanda Nunes defende o cinturão e José Aldo está confirmado no card principal.

“Com certeza é a luta mais importante. Tive um ótimo preparo, com uma equipe sensacional, treinando todas as técnicas para chegar na luta da melhor maneira possível. Quero mostrar serviço na organização e estar preparada para disputar o cinturão.”, disse a atleta do Cerrado MMA. 

Viviane é a segunda melhor brasileira na categoria. Na quarta posição, a curitibana Jennifer Maia enxerga Vivi no retrovisor. Uma vitória sobre Jessica Eye, segunda colocada, coloca a brasiliense no radar de Dana White para uma disputa de cinturão contra a peruana Valentina Shevchenko. 

A norte americana Jessica Eye fez apenas uma luta em 2019, enquanto Viviane entrou três vezes no octógono. A brasileira prefere estar sempre competindo e em preparação para os combates. “A constância de lutas é muito importante para o atleta. O atleta deve se testar várias vezes. Lutar pouco é ruim para a performance e evolução pessoal. Melhorei nas minhas habilidades e no psicológico durante essas três lutas”, contou. 

Completou citando as dificuldades de enfrentar uma atleta de alto nível: “A Jessica está na segunda posição do ranking e não é a toa. Ela é uma ótima atleta. Mas estudamos  bastante o jogo dela. Treinei o wrestling e afiei o jiu-jitsu. Ela tem algumas fraquezas, como chão. Usarei bastante o jiu-jitsu, trabalhar o chão e buscar a finalização.” 

A ceilandense é uma das poucas brasileiras que mantêm seus treinamentos no país. Atleta da Cerrado MMA, Vivi não pensa em deixar a academia em que foi formada para treinar nos Estados Unidos. “Não penso em sair de Brasília tão cedo. As pessoas sempre me perguntam se penso em sair, mas não. Aqui tenho todo suporte: fisioterapia, um dos melhores preparadores físicos e a equipe técnica é muito boa. Não me falta nada, estou em alto nível e consigo mantê-lo. “, completou a atleta. 

Além de Viviane Araújo, outros três brasileiros lutarão no UFC 245, em Las Vegas. Na disputa de cinturão do peso galo, a campeã Amanda Nunes encara a holandesa Germaine de Randamie. José Aldo, ex-campeão dos penas, encara Marlon Moraes na categoria galo e a manauara Ketlen Vieira enfrenta a mexicana Irene Aldana pelo peso galo.

Às vésperas da luta, Vivi deixou um recado para os brasilienses que forem torcer por ela: “Que todo mundo me mande energias positivas. Vou estar representando minha cidade. Brasília, Ceilândia. Com certeza essa vitória vai vir e quero levar Brasília e Ceilândia para o topo”.
 
 
*Estagiário sob a supervisão de Marcos Paulo Lima