MMA

UFC

Em duelo de brasileiras na China, mineira busca estreia positiva no UFC

Lara Procópio, de BH, é mais uma de Minas a tentar a sorte no MMA

postado em 28/08/2019 08:07 / atualizado em 28/08/2019 01:53

<i>(Foto: Reprodução/Instagram)</i>
UFC em Shenzhen, na China, na madrugada de sábado (de Brasília), terá a presença de uma mineira. Lara Procópio, de 23 anos, dá os primeiros passos na principal organização de MMA longe de casa e em duelo de brasileiras. Ela vai enfrentar a capixaba Karol Rosa, pelo peso galo (até 61kg), logo no segundo combate do evento, o primeiro da franquia na cidade chinesa da província de Guangdong. 

Invicta no MMA, com seis vitórias nas lutas que disputou como profissional, Lara Procópio começou a trajetória como lutadora no jiu-jitsu, aos 7 anos, aprendendo as primeiras técnicas com o pai em BH. Ela ganhou novo impulso ao migrar para as artes marciais mistas. Desde 2016, quando estreou no octógono, ela passou a treinar na Nova União, no Rio de Janeiro, conceituada academia que conta com nomes como José Aldo e é liderada pelo renomado treinador André Pederneiras. 

Depois de duas vitórias no BH Fight, ela chamou a atenção ao ganhar três vezes no Shooto, evento coordenado por Pederneiras. E uma ligação do pai facilitou a transferência da capital mineira para o Rio de Janeiro. Lara passou por teste, foi aprovada e se fixou na Cidade Maravilhosa, com orientação de André Pederneiras na Nova União. A realização do sonho de chegar ao UFC veio com o contrato assinado para lutar na China. E a mineira não hesitou nem mesmo ao saber que a estreia seria fora de sua categoria, a peso mosca (57kg). 

<i>(Foto: Reprodução/Instagram)</i>
Começo no MMA

Meu pai é professor de jiu-jitsu e tem uma academia em BH. Eu treino desde criancinha, competi pela primeira vez aos sete anos de idade. Minha vida sempre foi dentro da academia, do tatame. Até que chegou uma fase da minha vida que eu queria mais coisa além do jiu-jitsu. Eu já fazia Muay Thai para manter o peso para as competições do jiu-jitsu, me empolguei com isso e disse para o meu pai que eu queria competir no MMA. Primeiro, ele ficou receoso de ver a filha levando porrada, mas depois, com muita insistência da minha irmã, ele decidiu que ia me ajudar. Fiz três lutas no amador e depois, em 2016, eu estreei no profissional

Transição para o Rio

Em BH não tinha muitas meninas para treinar na época, era bem desvalorizado o MMA. Mal tinha para competir no jiu-jitsu, então não tinha muito como crescer lá. Aí meu pai, que tinha passado uma temporada no Rio quando era mais novo, ligou para um amigo dele aqui da Nova União, conversou com o Dedé (Pederneiras) e eu fiz uma semana de teste na equipe. Eu dei a vida e ele me chamou para treinar com ele. Voltei para BH, arrumei minha vida lá, saí do meu trabalho e vim de vez para o Rio. Faz três anos que eu estou na Nova União

Vida antes de começar no MMA

Eu trabalhava em um estúdio fotográfico, com edição de imagem. Antes disso, trabalhei com um projeto social em colégio particular e em creche, mas sempre voltado para a luta, dando aula. Também trabalhei ajudando meu pai na academia. Comecei com 15 anos de idade, conciliando estudo e a luta. Amo dar aula, dou até hoje. Minha vida pode ser resumida dentro da academia

Expectativa para a estreia

A oportunidade chegou na hora certa. Eu vinha tentando lutar pelo Contender Series, o Dedé tentou me botar nesse agora do dia 27 e eu segui treinando para me manter preparada caso pintasse uma oportunidade. Não tinha nada certo, mas eu estava na expectativa de acontecer. Surgiu a oportunidade de lutar na China, no 61kg [peso-galo], e eu aceitei na mesma hora. Eu estou muito empolgada e confiante. Estar no UFC é algo que eu sempre esperei. Estou olhando para isso como um motivador. Podem esperar uma boa estreia porque eu vou chegar para fazer história no UFC

<i>(Foto: Reprodução/Instagram)</i>
Karol Rosa

Acho a Karol Rosa uma atleta dura. Ela é mais alta do que eu, luta numa categoria acima, então provavelmente vai estar bem forte. Ela é faixa-marrom de jiu-jitsu, mas não acho que ela vai querer fazer chão comigo. Acho que ela vai querer manter a distancia e buscar a trocação dela, fazer um anti-jogo o tempo inteiro e me pegar em contra-ataque. Para mim, ela não é uma atleta completa, deixa brechas, inclusive na trocação, e acredito que impondo o meu jogo agarrado vou complicar a vida dela

Viagem longa até a China

Nunca fui para fora do país, vai ser a minha primeira viagem. Se eu pudesse, escolhia um lugar mais perto porque são dois dias de viagem. Mas eu estou indo com a minha equipe, tenho amigos da Nova União que moram lá e vão estar lá comigo. Eu estou me sentindo amparada, com pessoas próximas, de convivência no dia-a-dia. Vai dar tudo certo! A viagem longa não vai atrapalhar

Peso-galo ou peso-mosca?

Apareceu a oportunidade no peso-galo, mas a minha categoria mesmo é o peso-mosca. As próximas lutas já devem ser no mosca

Principal qualidade

Acredito que eu sou muito dedicada. Quando boto alguma meta na cabeça, não paro até alcançar. Eu foco em fazer sempre o meu melhor. Meu principal ponto é disciplina e determinação. Desde o amador, todas as vezes que entrava no octógono, eu pensava que ia entrar invicta no UFC e eu consegui. Estou 6-0 e estou no UFC

UFC China

Sábado, 31 de agosto
Horário: a partir das 4h da manhã (de Brasília)
Local: Shenzhen Universiade Sports Centre Arena, em Shenzhen, China 

Card principal

Jéssica Bate-Estaca Andrade x Weli Zhang - cinturão peso palha
Elizeu Capoeira x Li Jingliang - MEIO-MÉDIOS
Kai Kara-France x Mark De La Rosa - PESO MOSCA
Zhenghong Lu x Movsar Evloev - PESO PENA 
Yanan Wu x Mizuki Inoue - PESO MOSCA

Card preliminar

Kenan Song x Derrick Krantz - MEIO-MÉDIOS
Anthony Hernandez x Jun Yong Park - PESO MÉDIO
Mudaerji Su x Andre Soukhamthath - PESO GALO
Da Un Jung x Khadis Ibragimov - MEIO-PESADOS
Damir Ismagulov x Thiago Moisés - PESO LEVE
Karol Rosa x Lara Procópio - PESO GALO
Batgerel Danaa x Heili Alateng - PESO GALO

Tags: Lara Procópio Karol Rosa UFC China ufc ufc shenzhen mineira