MMA

VIOLÊNCIA

Hall da Fama do UFC tenta conter violência em protesto na Califórnia

Ex-campeão, Chuck Liddell admite choque com morte de negro

postado em 03/06/2020 10:02 / atualizado em 02/06/2020 23:56

(Foto: Reprodução/ABC)
A onda de protestos provocados pela morte de George Floyd, um homem negro de 46 anos, asfixiado pelo joelho por um policial em Minneapolis (EUA), no dia 25 de maio, ganhou a adesão de várias personalidades do esporte. Entre eles está Chuck Liddell, Hall da Fama do UFC e um dos principais lutadores da companhia ao longo da história. O ex-campeão dos meio-pesados saiu às ruas para conter a violência de manifestantes vândalos que promoveram tumultos e quebradeira. 

Chuck Liddell decidiu sair às ruas em Huntington Beach, na Califórnia, para conter os ânimos dos mais exaltados nos protestos. Ele apareceu em vídeo da rede de TV ABC, se misturando à multidão para evitar um tumulto e separar alguns brigões. O ex-lutador, de 50 anos, disse que é a favor dos protestos, mas contra qualquer tipo de violência. 

“Sou a favor de protestar, apoio todo o direito das pessoas protestarem. Eu entendo esses protestos. Para qualquer pessoa, é difícil assistir ao vídeo (da morte de George Floyd, que viralizou na internet). Entendo a raiva, mas violência só gera violência. Não vai resolver nada. Eu apenas fiz o melhor para manter as pessoas seguras”, declarou o ex-campeão do UFC ao site MMA Fighting

Chuck Liddell, conhecido como Ice Man, disse que saiu com um amigo para observar o protesto e viu cenas de violência. Ele resolveu intervir para tirar os ‘valentões’ do local. “Desci para ver o que estava acontecendo e tentei manter a paz. Consegui convencer algumas pessoas e ouvi coisas loucas de todos os lados. Algumas pessoas estavam lá para defender a cidade, elas não queriam que outros destruíssem a cidade. Era uma daquelas situações em que havia valentões que tentavam pegar alvos fáceis. Queriam intimidar o cara menor. Eu não posso assistir a isso”, relatou. 



VÍDEO CHOCANTE

Liddell se mostrou revoltado e admitiu ter ficado incrédulo ao assistir ao vídeo que mostrou George Floyd no chão e gritando – ‘Eu não consigo respirar’ – enquanto o policial pressionava o seu pescoço com o joelho. O homem resistiu durante cerca de 8min e morreu asfixiado. “Eu tinha ouvido o que aconteceu, mas depois assisti ao vídeo e pensei – Espere, tire o joelho de cima dele. Naquele momento, eu não sabia que ele tinha morrido. Observei-o incrédulo e perguntei – Será que ninguém vai fazer nada?”, afirmou.

O ex-lutador se preocupou em ajudar pessoas que protegiam seus negócios da onda de vandalismo, como donos de lojas e restaurantes. E mandou mensagem de paz. “Eu queria ajudar as pessoas que têm negócios sendo alvos de vandalismo e outras que estavam lá para se expressar. Não queria que elas se machucassem. Eu entendo que as pessoas estão revoltadas. Mas ódio não combate ódio. Precisamos amar, perpetuar violência não é uma coisa boa”, ensinou o Ice Man.

Tags: violência Califórnia ex-campeão UFC Hall da Fama chuck liddell Huntington Beach george floyd Ice Man