UAI

2

'Quis voltar ao Cruzeiro, mas o Fábio não deixou', brinca ex-goleiro Gomes

Ídolo da Raposa pela Tríplice Coroa, Gomes 'culpou' Fábio por não conseguir retornar ao Cruzeiro e disse ter recebido propostas de outros clubes do Brasil

06/07/2022 07:00 / atualizado em 06/07/2022 01:52
compartilhe
Fábio (esq), atual goleiro do Fluminense, e ex-goleiro Gomes (dir); ambos ídolos do Cruzeiro
foto: Reprodução

Fábio (esq), atual goleiro do Fluminense, e ex-goleiro Gomes (dir); ambos ídolos do Cruzeiro


Ídolo e campeão da tríplice Coroa pelo Cruzeiro em 2003, o ex-goleiro Gomes apontou a qualidade de Fábio, arqueiro da Raposa entre 2005 e 2021, como grande empecilho para não conseguir retornar ao clube. Em entrevista ao Superesportes, para o quadro 'Por Onde Anda?', o ex-jogador revelou sempre ter tido o desejo de voltar a vestir a camisa celeste.
 
 

"Sempre quis voltar para o Cruzeiro. Sempre quis, mas o Fábio nunca deixou. Queria voltar para jogar, poxa. Mas como eu iria voltar com o Fábio ali. Era complicado. Não coincidiu. Vamos supor: se o Fábio não estivesse no Cruzeiro na época que eu pensava em parar, era uma possibilidade grande. Claro, se o Cruzeiro quisesse. Mas sempre foi vontade minha. Na época que eu saí, falei para o Alvimar: 'Quero voltar um dia'. Mas o tempo passou", disse o ex-jogador.

Gomes foi revelado pelo Cruzeiro em 2001. Acertou sua saída do clube em 2004, para o PSV, da Holanda, após ser um dos protagonistas das sete conquistas do clube nesse meio tempo. Foram dois Campeonatos Mineiros, um Supercampeonato Mineiro, uma Copa do Brasil, duas Sul-Minas e um Brasileiro.

Em busca de repor sua saída, o Cruzeiro testou alguns goleiros, um deles, Fábio, contratado em 2005 junto ao Vasco. Após viver momentos de instabilidade, o atual arqueiro do Fluminense se firmou no gol celeste e trilhou uma jornada de 17 anos em Belo Horizonte.

No total, Fábio somou 976 partidas com a camisa do Cruzeiro - o atleta com mais jogos pelo clube. Foram sete Campeonatos Mineiro, dois Brasileiros e três Copas do Brasil pela Raposa, além de diversos prêmios individuais.

Outras propostas


Ao enxergar como baixa a possibilidade de retornar à Toca da Raposa, Gomes analisou propostas de outros clubes do Brasil. No entanto, para ele, não faria sentido voltar ao seu país de origem se não fosse para vestir a camisa do seu time de coração, o Cruzeiro.



"Eu quase vim para o Palmeiras na época do Fernando Prass. Teve uma conversa bem adiantada. Tiveram conversas com o Santos, com o Grêmio. Tiveram conversas com o São Paulo, depois do Rogério Ceni. Foi em 2016, 2017, 2018. Não lembro exatamente a época. (...) Mas nunca deu certo. Até porque, acho que faria sentido. Se eu voltasse ao Brasil, iria somente ao Cruzeiro. Não para encerrar a carreira, porque não nunca quis isso", contou o ex-goleiro.

Gomes trilhou significativa carreira no cenário internacional. Além de passar pelo PSV, o ex-jogador também atuou por Tottenham e Watford, ambos da Inglaterra, e pelo Hoffenheim, da Alemanha.

Graças à notoriedade e às boas atuações, foi frequentemente convocado para a Seleção Brasileira, sendo chamado pelo técnico Dunga para a Copa do Mundo de 2010. Por seu país, conquistou duas Copas das Confederações.


Compartilhe