UAI

2

Gomes opina sobre saída de Fábio do Cruzeiro: 'Clube é mais importante'

Em entrevista para o Superesportes, o ex-goleiro Gomes disse que o Cruzeiro precisou prezar pela sua saúde financeira ao não renovar com Fábio

07/07/2022 07:00 / atualizado em 07/07/2022 00:32
compartilhe
Ex-goleiro Gomes (esq) em treino na Toca da Raposa, em 2003 -- Goleiro Fábio (dir) em treino na cidade de Varginha, em 2020, pelo Cruzeiro
foto: Paulo Filgueiras/Estado de Minas -- Douglas Magno/Light Press/Cruzeiro

Ex-goleiro Gomes (esq) em treino na Toca da Raposa, em 2003 -- Goleiro Fábio (dir) em treino na cidade de Varginha, em 2020, pelo Cruzeiro



Ídolo do Cruzeiro, o ex-goleiro Gomes avaliou a saída do arqueiro Fábio da Raposa. Em entrevista ao Superesportes, para o quadro 'Por Onde Anda?', o ex-jogador afirmou que, mesmo com a grande história que seu companheiro de posição escreveu no clube, era preciso terminar o vínculo de 17 anos, para o bem da instituição.
 


"Cara, acho que o sentimento meu foi o de todo torcedor cruzeirense. No início, (pensei): 'Poxa vida, o que estão fazendo com o Fábio?'. Mas, se a gente analisar um contexto do todo, e principalmente quando o Ronaldo entrou, vimos que o buraco era mais fundo. Alguma coisa precisaria ser feita", disse Gomes.

"A aceitação foi muito rápida, porque a gente viu: 'Talvez esse seja o caminho'. O Fábio está muito bem empregado hoje. Está muito bem no Fluminense. (...) O Fábio significa muito para o torcedor, para o clube, mas, neste momento, o clube é mais importante. A saúde do clube é mais importante. Naquele momento, o Cruzeiro estava respirando por aparelhos", completou o ex-jogador.

Após desacerto com a nova diretoria, Fábio deixou o Cruzeiro antes do início da temporada. Atualmente no Fluminense, o goleiro chegou a relatar que ofereceu reduzir seu salário consideravelmente para permanecer no clube. A direção celeste, no entanto, optou pela não permanência do atleta.
 
Com 976 partidas e 12 títulos, Fábio é o jogador que mais vezes vestiu a camisa celeste nos 101 anos de história do clube. As conquistas foram: dois Brasileiros (2013 e 2014), três Copas do Brasil (2000, 2017 e 2018) e sete Campeonatos Mineiros (2006, 2008, 2009, 2011, 2014, 2018 e 2019).
 
Revelado pelo Cruzeiro em 2001, Gomes também construiu grande história no clube e é ídolo da torcida. Pela Raposa, foram dois Campeonatos Mineiros (2003 e 2004), um Supercampeonato Mineiro (2002), uma Copa do Brasil (2003), duas Sul-Minas (2001 e 2002) e um Brasileiro (2003).
 
 

Momentos marcantes de Fábio no Cruzeiro

 

Não encaixava no modelo?


Para Gomes, além da questão financeira, a diretoria celeste pode ter optado pela não permanência de Fábio devido a outro fator. Atual técnico do Cruzeiro, Paulo Pezzolano pede para que seus goleiros utilizem muito o jogo com os pés, habilidade em que o arqueiro do Fluminense não se sobressai.

"Algo precisaria ser feito. Um novo planejamento, com identidade do treinador que eles estavam trazendo. Assim, o Fábio encaixa em qualquer clube, em qualquer estilo, mas, talvez, o pé não é o forte dele. Hoje, tem o Rafael, que eles já viram com uma possibilidade de encaixar naquilo que o treinador queria. Então, tem estilos diferentes. Talvez, esse foi o grande motivo para uma mudança. Mas o Rafael está dando conta do recado", opinou Gomes.

Entre os goleiros da Série B, o do Cruzeiro, Rafael Cabral é o que mais trocou passes na competição. São 405 movimentos totais, sendo apenas dois errados - aproveitamento de 99,5%. Em média, são 25 tentativas de tocar a bola para o companheiro por partida.
 


Compartilhe