UAI

2

Botafogo x Galo: CBF divulga áudio do VAR em pênalti não marcado em Ademir

Apesar da vitória no jogo válido pelo Campeonato Brasileiro, o Atlético questiona a decisão do árbitro Raphael Claus no lance polêmico

20/07/2022 14:16 / atualizado em 20/07/2022 14:59
compartilhe
Possível pênalti em Ademir ocorreu no último lance da partida, quando o Atlético já vencia o Botafogo por 1 a 0
foto: Reprodução/CBF

Possível pênalti em Ademir ocorreu no último lance da partida, quando o Atlético já vencia o Botafogo por 1 a 0


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou, nesta quarta-feira (20), o áudio do árbitro de vídeo (VAR) na vitória por 1 a 0 do Atlético sobre o Botafogo. A partida, válida pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi disputada no domingo, no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro. 

Botafogo x Atlético: veja fotos do jogo no Nilton Santos






No lance, Hulk acertou cobrança de falta no travessão, Ademir pegou o rebote, e Keno finalizou para as redes, mas o lance foi anulado por impedimento. Os jogadores do time mineiro reclamaram da decisão, mas o jogo foi encerrado logo em seguida.

O árbitro de vídeo, Rodrigo Guarizo, constatou a condição legal de Ademir e impedimento de Keno. Como o possível pênalti ocorreu antes do gol, ele analisou o lance e chamou Claus para confirmar a penalidade. No entanto, ao ir na cabine do VAR, o árbitro não viu falta. 



Áudio do VAR em conversa com Raphael Claus


Árbitro: Ajustado. Segue

VAR: Checando. Solta para mim (a linha). Temos que ver essa linha. Volta para mim, ver quem toca nessa bola, porque ele está em posição de impedimento. Volta em outra (câmera) que eu preciso ver quem é o último que toca. Temos possível penal também. Vamos ver o possível impedimento primeiramente, na hora do chute. Fazer a linha.
 
Árbitro: Penal não é, o cara sente o contato e cai. Não tem empurrão, movimento nenhum.

VAR: Está legal (a posição). Segue. Nessa ação agora, tenho que ver o possível penal. Tenho que ver quem é o último que toca na bola. O último que toca na bola é o atacante. Para no momento do toque para mim. É a panturrilha dele que toca na bola. Jogador está à frente da linha da bola, esse gol está impedido. Tenho que checar se é penal.

VAR: Claus, o gol quando sai está em posição de impedimento. Antes, acontece um penal. Você tem que vir checar para ver se é penal ou não.

Árbitro: Mas eu falei que não é penal.

VAR: Essa (câmera) primeiramente. Na hora do chute, ele está em posição legal. A bola sobra para ele (Ademir), e essa é a ação do defensor.

Árbitro: Tá, mas para mim... me dá uma câmera mais fechada.

VAR: Ok, vou te dar uma câmera mais fechada.

Árbitro: Quero ver se tem braço, alguma coisa. O braço não tem movimento de empurrão. Câmera lateral. Para mim é uma disputa por espaço.

VAR: Tem a coxa dele (do defensor) no quadril dele (atacante) atrás.

Árbitro: Ok, mas a coxa vai na direção da bola e tem o contato mais lateral. O jogador mais valoriza. Não tem empurrão, não tem nada. Não está impedido em nenhuma das duas situações?

VAR: Essa não. Na outra situação, ele está em situação de impedimento. Ele toca na bola para chegar ao jogador. Agora, a panturrilha dele toca e sobra para o jogador que está impedido.

Árbitro: Ok, impedimento. 

Reclamações do Atlético


O presidente do Atlético, Sérgio Coelho, ao lado do vice, José Murilo Procópio, concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira para falar sobre as decisões da arbitragem contra o alvinegro nos últimos jogos. 



Em nota divulgada à imprensa e lida pelo dirigente, o clube - ainda sem acesso aos áudios - falou sobre o lance na partida contra o Botafogo, tratando a não marcação do pênalti como um 'erro grotesco'. 

"Galo x Botafogo - ainda não tivemos acesso aos áudios (mais uma vez), mas o lance do pênalti no Ademir no último lance do jogo é evidente e indiscutível. Trata-se de erro grotesco do mesmo árbitro que cometeu outro erro em não marcar pênalti em nosso jogo ano passado contra Atlético Goianiense em Goiás, mesmo vendo os lances no VAR ele não deu esses dois pênaltis claros a nosso favor", diz parte da nota.

Além disso, o mandatário do Galo questionou o motivo de os árbitros não terem sido afastadoslistou erros contra o clube no Campeonato Brasileiro e criticou o trabalho de Wilson Luiz Seneme, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF. 

Contratações dos times da Série A para o segundo semestre



Compartilhe