Cruzeiro

CRUZEIRO

Jogadores avaliam possível duelo com o Boca, e Barcos diz: 'A gente é Cruzeiro e eu sei que vão respeitar'

Equipe mineira conhecerá nesta quinta o rival das quartas da Libertadores

postado em 30/08/2018 08:30 / atualizado em 30/08/2018 14:54

JUAN MABROMATA/AFP

Boca Juniors ou Libertad? Após eliminar o Flamengo nessa quarta-feira, o Cruzeiro conhecerá o adversário nas quartas de final da Copa Libertadores na noite desta quinta. Questionados sobre o futuro na competição internacional, os jogadores celestes foram uníssonos: não se pode escolher rival.

“É Libertadores. Não tem adversário para escolher não. A gente tem que estar focado em qualquer jogo. Nosso time quer ser campeão, vai lutar para ser campeão e vamos fazer de tudo para sair com a vitória”, disse o zagueiro Dedé após a derrota por 1 a 0 para o Flamengo, no Mineirão.


A tendência é que o Boca avance, por conta da boa vitória por 2 a 0 a partida de ida, na Bombonera. Até mesmo uma derrota por 1 a 0 garantiria classificação aos xeneizes. Diante da iminência do confronto contra os argentinos, o lateral-direito Edilson reforçou o coro puxado por Dedé.

“A gente não pode escolher adversário. Tanto o Libertad, quanto o Boca tem uma tradição gigantesca na Libertadores. A nossa equipe está em ascensão e está crescendo a cada jogo, isso é o mais importante”, disse.

‘Vão respeitar’

Barcos mostrou respeito ao Boca, hexacampeão da Copa Libertadores. O centroavante, entretanto, frisou que os argentinos respeitarão o Cruzeiro num eventual confronto de quartas de final.

“É diferente (a atmosfera da Bombonera). Obviamente, na Argentina, o povo também é diferente. Vai ser um grande jogo, se Deus quiser, mas não estamos pensando muita coisa antes, na frente, na Libertadores. O Boca é um time bom, muito bom da Argentina. Eles são muito grandes, mas a gente é Cruzeiro e eu sei que eles vão nos respeitar”, disse.

A voz da experiência

STRINGER/BRAZIL

Thiago Neves enfrentou o Boca em seis oportunidades, todas com a camisa do Fluminense. Na semifinal da Libertadores de 2008, o time carioca avançou. Na partida de ida, empate por 2 a 2 em Avellaneda, estádio do Racing. O meia cruzeirense anotou um dos gols. Na volta, triunfo por 3 a 1 de virada no Maracanã.

Em 2012, foram mais quatro confrontos entre Fluminense e Boca Juniors. Na fase de grupos da Libertadores, o time de Fred e Thiago Neves - companheiros de Cruzeiro atualmente - fez história ao vencer por 2 a 1  na Bombonera. No Rio de Janeiro, os argentinos deram o troco: 2 a 0.

Os times voltaram a se enfrentar nas quartas de final. Em Buenos Aires, o Boca venceu por 1 a 0. No Rio de Janeiro, o Fluminense vencia pelo mesmo placar até o finalzinho da partida. Aos 45 minutos do segundo tempo, entretanto, Santiago Silva marcou e garantiu a passagem dos argentinos para a semifinal.

Com um histórico grande de duelos contra o possível rival, Thiago Neves mostrou confiança no elenco e na comissão técnica do Cruzeiro. “Acho que nessa fase não temos que escolher adversário. Independentemente de quem vier, a gente está bem preparado. Está se preparando para o Boca, vai se preparar para o Libertad. A gente tem uma comissão técnica competente, que vai estudar os dois times. A gente quer classificar, chegar a essa final e continuar com o nosso sonho do tri”, disse Thiago Neves, que falou ainda da pressão de visitar o Boca.

“Pressão tem, mas torcedor não entra em campo. Ali é 11 contra 11. Pressão a gente teve no Maracanã, teve em outros estádios. Nosso time é cascudo. Se tiver que enfrentar o Boca, a gente vai jogar de igual para igual lá”, concluiu.

Tags: thiago neves libertadores2018 futinternacional futnacional cruzeiroec cruzeiro