Cruzeiro

CRUZEIRO

Egídio encara fuga do Z4 como título para o Cruzeiro: 'Não será com a gente que vai cair'

Perto de completar 200 jogos, lateral afirma que grupo celeste 'está fechado'

postado em 08/10/2019 17:00 / atualizado em 08/10/2019 18:05

<i>(Foto: Juarez Rodrigues/EM D.A Press)</i>
O Cruzeiro terá confronto direto com o Fluminense nesta quarta-feira, às 21h30, no Mineirão, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. A situação do time celeste é pior: 18º lugar, com 20 pontos. Já o tricolor, apesar da incômoda 15ª colocação, com 25 pontos, vem de vitórias seguidas sobre Grêmio (2 a 1) e Botafogo (1 a 0). Ao avaliar o duelo, o lateral-esquerdo Egídio afirma que a possível saída da Raposa da zona de rebaixamento será celebrada como um título.


“Passar por uma situação dessas é bastante desconfortável. Não queremos nem sair na rua com a família para poder jantar, nos privamos bastante dessas situações. Nosso título este ano será tirar o Cruzeiro dessa situação. É muito desconfortável você ficar na zona de rebaixamento. Você olha a tabela e até vira o rosto, vendo seu time lá embaixo”, diz o camisa 6, que tenta tirar forças do momento difícil.

“Ao mesmo tempo, mentalizamos coisas positivas para subir onde deveria estar, que é lá em cima. É chato, mas você não pode parar e achar que vai só vencer. Estava escutando uma música que fala que a vida não é só de coisas boas, também tem momentos difíceis. Você tem que acreditar e trabalhar para reverter essa situação”, acrescenta, referindo-se à canção ‘Vai Dar Tudo Certo’, de Waldecy Aguiar.

Em 14 temporadas como atleta profissional, Egídio, de 33 anos, ganhou títulos importantes, como três edições do Campeonato Brasileiro (2013, 2014 e 2016), três da Copa do Brasil (2006, 2015 e 2018) e estaduais de Rio de Janeiro (2008, 2009, 2011), Minas Gerais (2018 e 2019), Bahia (2010) e Goiás (2012). Justamente no momento em que alcançará marca expressiva pelo Cruzeiro, o lateral se encontra em situação incomum na carreira, de briga contra o descenso.

“Decisão. Realmente, a menos da metade do fim do campeonato e nós nos encontramos em uma situação que eu, particularmente no Cruzeiro, nunca passei. Sei do tamanho e da grandeza do Cruzeiro, que já passou por uma situação parecida e conseguiu sair. Então, tenho certeza de que vamos conseguir sair. A lembrança que eu fico dessa positividade de completar 200 jogos com a camisa do Cruzeiro foi que, no meu centésimo jogo, marquei um golaço de falta contra o Botafogo (vitória por 1 a 0, pelo Brasileiro de 2014). Conseguimos, além do gol, a vitória. A vitória (sobre o Fluminense) será o meu maior presente nesses 200 jogos”.

No momento, conforme cálculos de probabilidade do Departamento de Matemática da UFMG, o Cruzeiro necessitaria de ao menos oito vitórias em 15 jogos para permanecer na elite nacional. Com essa campanha, o time atingiria 44 pontos e teria mais de 97% de chance de ficar na Série A em 2020. Egídio assegura que a Raposa continuará na primeira divisão.

“Nós já nos comprometemos e nos fechamos. De todas as glórias e conquistas que tivemos no Cruzeiro, não vamos deixar de jeito nenhum isso acontecer. O Cruzeiro nunca caiu e não será com a gente que vai cair. Tenho certeza de que não vamos deixar essa imagem do Cruzeiro que resplandece se apagar na Série A”.

Por fim, o lateral-esquerdo exalta a força do elenco celeste em partidas de grande apelo. “É uma decisão, estamos jogando em casa, é a nossa vida no Brasileiro. O Cruzeiro se mostrou sempre muito presente na Série A, tanto que tem quatro títulos brasileiros. Vamos nos dedicar ao máximo a essa decisão. Já demonstramos que em decisões o Cruzeiro é forte. A responsabilidade de brigar embaixo é ainda maior, com certeza. Se Deus quiser vamos conseguir essa vitória para encostar no próprio Fluminense”.


Tags: Fluminense Cruzeiro Egídio seriea interiormg futnacional lateral-esquerdo