Cruzeiro

CRUZEIRO

Cruzeiro se despede da Copa do Brasil sem vitória pela quarta vez; relembre os episódios

Em 2020, time celeste repetiu as edições de 1990, 1997 e 2015

postado em 26/08/2020 21:00 / atualizado em 27/08/2020 01:48

(Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)

O Cruzeiro se despediu da Copa do Brasil de 2020 sem vencer um duelo sequer. Em quatro partidas, foram três empates e uma derrota, com quatro gols marcados e seis sofridos.

Na primeira fase, em 13 de fevereiro, o time contou com a vantagem do empate como visitante diante do São Raimundo-RR (2 a 2).

Na segunda fase, em 4 de março, a Raposa voltou a ficar em igualdade, com o Boa Esporte, por 1 a 1, em Varginha. Nos pênaltis, venceu por 5 a 4.

Já na terceira fase, contra o CRB, o Cruzeiro teve atuação muito ruim no Mineirão, em 11 de março, e perdeu o jogo de ida por 2 a 0, com dois gols do atacante Léo Gamalho. O revés pesou na demissão de Adilson Batista.

Por conta da paralisação do futebol em meio à pandemia do novo coronavírus, o confronto de volta ocorreu somente nesta quarta-feira, 26 de agosto, no estádio Rei Pelé, em Maceió.

Apesar da melhora em relação ao resultado de cinco meses atrás, o grupo treinado por Enderson Moreira não converteu o volume de jogo em quantidade suficiente de gols e empatou por 1 a 1.

Edições anteriores


Maior campeão da Copa do Brasil, com seis títulos (1993, 1996, 2000, 2003, 2017 e 2018), o Cruzeiro também terminou o torneio sem vitória nas edições de 1990, 1997 e 2015.

Há 30 anos, o algoz foi o Goiás. No primeiro jogo, em Belo Horizonte, as equipes empataram por 0 a 0. No segundo, em Goiânia, o time esmeraldino goleou por 4 a 0.

Em 1997, ano em que disputou a Copa Libertadores e se sagrou campeão, o Cruzeiro entrou na Copa do Brasil diretamente nas oitavas de final. No primeiro embate, empatou por 1 a  1 com o Santa Cruz, no Recife. Na volta, em BH, perdeu por 1 a 0.

Já em 2015, a Raposa mediu forças com o Palmeiras, que viria a conquistar o torneio. Os paulistas levaram a melhor tanto em São Paulo, por 2 a 1, quanto no Mineirão, por 3 a 2.