Cruzeiro

CRUZEIRO

'Cruzeiro SAF': presidente detalha projeto clube-empresa e fala de datas

Sérgio Santos Rodrigues espera que projeto de lei seja aprovado no Senado em março

postado em 15/01/2021 15:13 / atualizado em 15/01/2021 15:23

(Foto: Cruzeiro/Divulgação)
Sérgio Santos Rodrigues explicou, nesta sexta-feira, qual é a ideia para preparar a viabilização do projeto clube-empresa no Cruzeiro já a partir deste ano. Em entrevista à Rádio 98FM, o presidente disse ainda que espera que o projeto de lei sobre o tema, que tramita no Senado Federal, seja aprovado até meados de março. 

“Se Deus quiser o Rodrigo Pacheco (DEM), que é nosso senador mineiro, vai ser presidente do Senado no dia 1º de fevereiro. Ele é autor do projeto e aí a gente já conversou (...) Para Minas Gerais, (a eleição de Pacheco) será muito boa. Tomara que dê certo. Depois, eles terão como prioridade (a aprovação do projeto) para ver se até março a gente tem essa lei aprovada”, disse o presidente.

De acordo com o Senado Federal, o projeto de lei 5516, de 2019, cria o Sistema do Futebol Brasileiro, mediante tipificação da Sociedade Anônima do Futebol, estabelecimento de normas de governança, controle e transparência, instituição de meios de financiamento da atividade futebolística e previsão de um sistema tributário transitório.

“O Estatuto do Cruzeiro já prevê, logo no artigo 1º, que o Cruzeiro pode criar uma empresa para explorar o departamento de futebol, desde que o clube siga com 51% das ações. A gente vai criar uma S.A. do futebol, passar a exploração do departamento de futebol, não as propriedades do clube. A Toca I e a Toca II, por exemplo, a posse iria para a exploração do futebol, mas a propriedade seguiria do Cruzeiro. Aí a S.A. paga aluguel para o clube, vira uma fonte de receita”, explicou o mandatário.

“Essa S.A. que vai explorar o futebol profissional e de base, 51% fica para o Cruzeiro, 49% de ações a gente vai negociar. É um modelo, basicamente, que o Estatuto do Cruzeiro adota para a lei alemã. Na Alemanha, a lei obriga que os clubes tenham pelo menos 50% mais 1% das ações da S.A. do futebol”, completou.

Em outubro do ano passado, o Cruzeiro criou um grupo de estudos para debater o tema. Os trabalhos são liderados pelo CEO do clube, Sandro Gonzalez. Além dele, fazem parte da equipe Edson Potsch (vice-presidente administrativo), Paulo Assis (diretor de operações), Matheus Rocha (diretor financeiro), André Argolo (executivo de esportes), Bruno Gervásio (assessor da presidência), Moacyr Lobato (desembargador) e Fernando Drummond (advogado).

Tags: Cruzeiro serieb interiormg futnacional