Cruzeiro

CRUZEIRO

Ex-diretor do Cruzeiro solicita bloqueio de valores da venda de Jadsom

Clube celeste foi condenado na Justiça e ainda não pagou valores a Amarildo Ribeiro

postado em 29/01/2021 15:02 / atualizado em 29/01/2021 16:15

(Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

A defesa de Amarildo Ribeiro, ex-diretor de base do Cruzeiro, solicitou à Justiça o bloqueio de parte dos valores da venda do volante Jadsom Silva ao Bragantino. Em manifestação anexada ao processo que corre na 17ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, o advogado Thiago Mendonça de Paiva requer o depósito em juízo de R$521.124,14.

Com base em matérias da imprensa, Thiago Paiva frisa que o Cruzeiro “está realizando a venda de 40% desses direitos do volante ao clube Red Bull Bragantino, que irá pagar, à vista, um milhão de dólares, sendo que, conforme noticiado, o presidente do clube já se encontra em São Paulo para concretização do negócio”.

O advogado de Amarildo Ribeiro pede que o próprio Bragantino efetue a transferência em juízo, tão logo feche o acordo com o Cruzeiro, “sob pena de multa no montante total da execução de R$521.124,14”. A condenação do clube em primeira instância na ação movida pelo ex-diretor foi em 18 de agosto de 2020.

A saída de Jadsom Silva para o Bragantino será definida nos próximos dias. Segundo a Rádio Itatiaia, a Raposa receberá 1 milhão de dólares - cerca de R$5,4 milhões - por 40% dos direitos econômicos e manterá 20% em uma futura venda. O meio-campista de 19 anos assinará contrato de cinco anos com o Red Bull e vai retirar a reclamação trabalhista na qual cobrava salários atrasados.

Não é a primeira vez que Amarildo Ribeiro pleiteia o bloqueio de receitas do Cruzeiro. Em setembro, ele chegou a ter parecer favorável na negociação do atacante Renato Kayzer para o Athletico-PR, mas o clube, por meio de mandado de segurança, reverteu a situação e pôde ficar com R$3,8 milhões sem repassar qualquer quantia ao ex-diretor. Desde então, as partes continuam em queda de braço na Justiça, ainda sem perspectiva de acordo.


Valores da condenação do Cruzeiro no processo de Amarildo Ribeiro:


- saldo de salário de outubro 2019; R$ 7.500,00
 
- salários de novembro e dezembro de 2019; R$ 54.833,00
 
- saldo de salário de janeiro 2020; R$ 4.666,66
 
- aviso prévio indenizado de 33 dias; R$ 38.500,00
 
- 13º salário de 2019; R$ 35.000,00
 
- 13º salário proporcional de 2020 (2/12); R$ 5.833,34
 
- férias vencidas, acrescidas de 1/3, em dobro; R$ 93.333,34
 
- férias proporcionais + 1/3 (8/12); R$ 31.111,12
 
- diferenças de FGTS; R$ 27.160,09
 
- multa prevista no art. 467 da CLT; R$ 148.968,77
 
- multa prevista no art. 477, § 8° da CLT. R$ 35.000,00
 
- Honorários advocatícios conforme fundamentação (5%). R$ 24.039,45
 
Total Geral da Execução: R$505.945,77 com acréscimo de 3% (juros) = R$521.124,14

Tags: cruzeiro venda mercado diretor Justiça interiormg Amarildo Ribeiro Jadsom