Cruzeiro

CASO DE POLÍCIA

'Enfia na lomba': técnico do Cruzeiro feminino é preso por desacatar mulher

Confusão aconteceu depois que fiscalização contra a COVID-19 da Prefeitura de Juatuba, na Grande BH, impediu aglomeração causada por treino da equipe

postado em 14/03/2021 23:22 / atualizado em 15/03/2021 11:14

(Foto: Rodolfo Rodrigues/Cruzeiro)
Um treino do time feminino do Cruzeiro acabou em confusão em Juatuba, na Grande BH. O técnico da equipe, Marcelo Frigério, conhecido como Tchelo, foi detido por desacato contra uma mulher que fazia a fiscalização das medidas contra a COVID-19 na cidade. O caso aconteceu nessa sexta (12/3), mas só veio à tona neste domingo (14/3).

Conforme boletim de ocorrência que a reportagem teve acesso, Tchelo se desentendeu com uma fiscal da prefeitura no Estádio Municipal Antônio Moreira Duarte, o Curumim.

A mulher tentava impedir a aglomeração de pessoas no local, causada pelas atletas do Cruzeiro, segundo o documento gerado pela Polícia Militar. Muitas das jogadoras estavam sem máscara, de acordo com a PM.

Em meio à fiscalização, Tchelo disse à PM que um auxiliar o contou que a fiscal havia sido mal educada com as jogadoras. “Sai, sai sai”, teria dito a mulher.

Após o bate-boca, a PM foi acionada. Em determinado momento, Tchelo disse, conforme o BO, para a fiscal: “Pega essa sua caneta e enfia na sua lomba”.

Depois dos dizeres, o técnico do Cruzeiro se dirigiu à fiscal e se envolveu em um empurra-empurra com outros dois agentes da prefeitura local.

"Nesse momento, quatro homens seguraram-no impedindo-o de agredi-la", informa o boletim de ocorrência da PM.

Diante do ocorrido, os militares prenderam o técnico do Cruzeiro pela acusação de desacato. Ele foi conduzido à 1ª Delegacia da Polícia Civil em Juatuba.

Na delegacia, Marcelo Frigério assumiu o compromisso de comparecer ao Juizado Especial Criminal em Mateus Leme, também na Grande BH.

Em nota, o Cruzeiro afirma que o técnico "negou com veemência que houve qualquer agressão verbal ou física a qualquer membro feminino da equipe de fiscalização". O clube lamentou "profundamente que o ocorrido, em um momento delicado como este de pandemia, que afeta a todos, tenha tomado esta proporção".

Veja a nota completa do Cruzeiro


O Cruzeiro Esporte Clube lamenta o ocorrido na última sexta-feira, no Estádio Curumim, em Juatuba, onde a equipe de futebol feminino realizava as suas atividades de pré-temporada. Na ocasião, fiscais sanitários compareceram ao local e solicitaram que as jogadoras deixassem o espaço, sem qualquer educação ou cortesia que lhes competia no exercício da função.

O treinador Tchelo foi convidado a prestar esclarecimentos na delegacia e o mesmo relata que as palavras, no momento de tensão, foram dirigidas a Geraldo Ricardo Lima, que também é o presidente da Liga de Desportos de Juatuba, e que, por motivo desconhecido, não estaria satisfeito com a presença da equipe feminina na cidade. Ele alega que no fervor do momento e pela maneira como as atletas estavam sendo tratadas, tentou agir, de forma a protegê-las, mas negou com veemência que houve qualquer agressão verbal ou física a qualquer membro feminino da equipe de fiscalização.

O Cruzeiro destaca que Marcelo Frigerio, o Tchelo, tem 23 anos de atuação no futebol feminino, com uma trajetória respeitada dentro e fora dos gramados. O Clube lamenta profundamente que o ocorrido, em um momento delicado como este de pandemia, que afeta a todos, tenha tomado esta proporção. E a instituição tomará todas as providências cabíveis para proteger os seus profissionais e as suas atletas.

O Clube destaca ainda o apoio total e irrestrito da Prefeitura de Juatuba, que tomará medidas administrativas sobre o caso.

O Cruzeiro Esporte Clube reforça e apoia a luta para que todas as mulheres ganhem cada vez mais voz, e sejam respeitadas em todos os espaços, valorizando a pluralidade.

Tags: cruzeiro mulher desacato futfeminino time feminino Marcelo Frigério Tchelo