Atlético

Plano de Negócios do governo mostra potencial econômico do Independência

Galo pode ter lucro de R$ 9,4 milhões neste ano e de R$ 5,2 milhões a partir de 2013

postado em 01/03/2012 15:14 / atualizado em 01/03/2012 15:39

Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

O acordo feito pelo Atlético com o consórcio Arena Independência (BWA e Ingresso Fácil) para dividir receitas e despesas na operação do estádio do Horto poderá se transformar em um importante incremento financeiro para os cofres do clube. O Superesportes teve acesso a um estudo feito pelo governo estadual, denominado Plano de Negócios Referência, que destrincha todo o potencial econômico do Independência.

Os números contidos na pesquisa de mercado desenvolvida pelo governo dão uma boa margem de lucro anual na operação. Contudo, os valores apresentados representam a exploração comercial do estádio em todo seu potencial. Isso significa que o lucro operacional exemplificado abaixo abrange o perfeito uso, por parte de BWA/Ingresso Fácil e Atlético, de toda a gama de produtos que o Independência oferece a partir de sua reabertura.

O presidente alvinegro, Alexandre Kalil, está otimista com o acerto, que ainda passará novamente pelo crivo da Advocacia Geral do Estado após alguns ajustes de redação e de uma ação popular movida pelo torcedor João Batista Ribeiro, que também é juiz federal. Kalil acredita que o Atlético será o clube de maior receita no estado. “Não tenho dúvida, é matemática. Queremos a receita, ela é muito bem vinda. Trabalhamos para isso, dentro do que é legal”.

Lucro alvinegro em números

Juarez Rodrigues/EM/D.A Press
Bem trabalhado, o Independência pode gerar uma receita para o Atlético de R$ 11 milhões em 2012. Os fatores que precisam ser explorados para alcançar essa quantia são: camarotes, área vip, lojas, bares, bares vip, eventos, patrocínio master (naming rights), exclusividade de marcas, cotas de patrocínio e apoio e vip lounge.

As despesas previstas pelo plano de referência são de R$ 1,6 milhão. Os custos são baseados em: área vip, exploração imobiliária, publicidade e patrocínio, pessoal, manutenção da área externa, custos gerais, seguro patrimonial e vigilância.

O lucro, portanto, que o Atlético pode ter é de 9,4 milhões, sem incluir as receitas de bilheteria. Vale lembrar que o clube só tem direito a arrecadação de seus jogos. O Galo pretende lançar um programa de sócio-torcedor com detalhes ainda a serem anunciados e que poderão melhorar o saldo positivo das contas.

A partir de 2013

A reabertura do Mineirão, prevista para o ano que vem, foi levada em conta na previsão de receitas e custos do Independência. Desta forma, o valor da operação do estádio é alterado.

Uma média anual foi feita para mostrar a receita e a despesa alvinegra, entre 2013 e 2021, ano limite do atual contrato do consórcio Arena Independência com o governo para gestão do estádio. Este também é o ano em que o Atlético encerra o acordo feito com a BWA/Ingresso Fácil. No entanto, o período de tempo pode ser estendido por até 27 anos.

O Mineirão teoricamente voltará a receber eventos esportivos importantes a partir de 2013, o que inclui jogos de, principalmente, Atlético e Cruzeiro.

O Independência, então, poderá dar um lucro de R 5,2 milhões anuais para o Atlético. Seriam R$ 7,6 milhões em receitas e R$ 2,4 milhões de despesas.

Projeção de receitas para o Atlético
Propriedades do estádio
2012
A partir de 2013
Camarote
R$ 28,8 mil
R$ 27,8 mil
Área Vip
R$ 885 mil
R$ 852 mil
Lojas
R$ 4,4 mil
R$ 8,8 mil
Bares
R$ 6,7 milhões
R$ 3,2 milhões
Bares Vip
R$ 600 mil
R$ 550 mil
Eventos
R$ 40 mil
R$ 155 mil
Patrocinador master
R$ 400 mil
R$ 450 mil
Exclusividade de marcas
R$ 175 mil
R$ 67,5 mil
Cotas de patrocínio
R$ 1,4 milhão
R$ 1,5 milhão
Cotas de apoio
R$ 475 mil
R$ 530 mil
Vip Lounge
R$ 250 mil
R$ 300 mil
Total
R$ 11 milhões
R$ 7,6 milhões


Projeção de despesas para o Atlético
Custos
2012
A partir de 2013
Área Vip
R$ 101 mil
R$ 98 mil
Exploração imobiliária
R$ 123 mil
R$ 91,5 mil
Publicidade e patrocínio
R$ 471 mil
R$ 520 mil
Pessoal
R$ 623 mil
R$ 1,24 milhão
Manutenção área externa
R$ 3,6 mil
R$ 7,2 mil
Custos gerais
R$ 102 mil
R$ 102 mil
Seguro patrimonial
R$ 35 mil
R$ 70 mil
Vigilância
R$ 144 mil
R$ 288 mil
Total
R$ 1,6 milhão
R$ 2,4 milhões


Como foram feitas as contas?

Da receita bruta do estádio prevista em cada fator analisado do Plano de Negócio Referência, foram excluídos os 5% que o governo estadual tem direito e os 5% pertencentes ao América. A partir do valor de cada fator que BWA e Atlético podem explorar, foram deduzidos os impostos devidos, como PIS, COFINS e ISS.

Como o estudo contempla o ano de 2012 completo em todos os serviços apresentados pelo Independência, a reportagem levou em consideração que a Arena terá sua plena utilização a partir da metade do ano, no mês de junho. Atualmente, não há uma data definida para que o estádio seja completamente liberado, visto os recentes atrasos anunciados pela Secopa e o problema de visibilidade gerado pelos guarda-corpos, que deverão ser trocados.

A partir da receita líquida que sobrou, coube ao Atlético a metade do valor, como previsto no acordo com o consórcio vencedor da licitação. A outra metade fica com este, composto por BWA e Ingresso Fácil.

Nas despesas, América e governo estadual não tem participação e não participam das contas.

Investimentos de operacionalização

Juarez Rodrigues/EM/D.A Press
A diretoria do Galo divulga que precisará investir aproximadamente R$ 7,5 milhões para operacionalizar o Independência. “O Atlético arrumou o financiamento desse dinheiro. O clube vai pagar esses sete milhões e meio, aproximadamente, enquanto estiver usando o estádio, com o dinheiro da própria renda do estádio”, explica Alexandre Kalil.

O Plano de Negócios Referência já previa, de fato, uma projeção de investimentos que deveriam ser feitos pelo consórcio vencedor da licitação. São recursos para construção civil (divisão de camarotes, instalação de equipamentos, etc), equipamentos (ar condicionado, televisões, sonorização, etc), projetos, constituição da Sociedade de Propósito específico e estruturação financeira (fluxo de caixa).

De acordo com o estudo feito pelo governo, seria necessário um investimento de cerca de R$ 16 milhões para operacionalizar o estádio. São R$ 12,4 milhões só em equipamentos.

As contas de América
e Cruzeiro

O mesmo documento mostra que o América poderá ter um lucro de R$ 1,35 milhão em 2012, com 5% da receita bruta de todos os fatores comerciais, contando que o Independência seja colocado em pleno funcionamento a partir de junho. O cálculo do lucro americano anual para 2013 em diante revelou uma estimativa de R$ 1 milhão. Esses números não contemplam a receita de bilheteria do clube.

O América não participa da divisão de despesas do estádio.

Já o Cruzeiro pretende fazer um acordo com a BWA/Ingresso Fácil para que jogue no Independência sem precisar pagar o aluguel, dando a movimentação comercial do estádio como contrapartida. Isso, além de ficar com 100% da renda de seus jogos como mandante. A diretoria do clube aguarda um contato oficial do consórcio com o retorno dessa proposta.

Todos os valores contidos nesta reportagem são aproximados e foram calculados a partir do Plano de Negócios Referência, do governo estadual, de 2011. Os números foram analisados dentro do percentual que cabe ao Atlético

Tags: novoindependencia novomineirao